Física Quântica, a base da Bioenergética

Física Quântica, a base da Bioenergética.

Há pouco mais de cem anos, o físico Max Planck (1858-1947), Nobel de Física em 1918, considerado  um conservador, tentando compreender a energia irradiada pelo espectro da radiação térmica, expressa como ondas eletromagnéticas produzidas por qualquer organismo emissor de calor, a uma temperatura “x”, chegou, depois de muitas experiências e cálculos, à revolucionária “Constante de Planck”, que subverteu os princípios da física clássica.
Este foi o início da trajetória da Física ou Mecânica Quântica, que estuda os eventos que transcorrem nas camadas atômicas e sub-atômicas, ou seja, entre as moléculas, átomos, elétrons, prótons, pósitrons, e outras partículas. Planck criou uma fórmula que se interpunha justamente entre a Lei de Wien (para baixas freqüências), e a Lei de Rayleight (para altas freqüências), ao contrário das experiências tentadas até então por outros estudiosos.
Albert Einsten, criador da Teoria da Relatividade, foi o primeiro a utilizar a expressão Quantum para a constante de Planck (E = h.v), em uma pesquisa publicada em março de 1905 sobre as conseqüências dos fenômenos fotoelétricos, quando desenvolveu o conceito de fóton. Este termo se relaciona a um evento físico muito comum, a quantização – um elétron passa de uma energia mínima para o nível posterior, se for aquecido, mas jamais passará por estágios intermediários, proibidos para ele, neste caso a energia está quantizada, a partícula realizou um salto energético de um valor para outro. Este conceito é fundamental para se compreender a importância da física quântica.
Seus resultados são mais evidentes na esfera macroscópica do que na microscópica, embora os efeitos percebidos no campo mais visível dependam das atitudes quânticas reveladas pelos fenômenos que ocorrem nos níveis abaixo da escala atômica. Esta teoria revolucionou a arena das idéias não só no âmbito das Ciências Exatas, mas também no das discussões filosóficas vigentes no século XX.
No dia-a-dia, mesmo sem termos conhecimento sobre a Física Quântica, temos em nossa esfera de consumo muitos de seus resultados concretos, como o aparelho de CD, o controle remoto, os equipamentos hospitalares de ressonância magnética, até mesmo o famoso computador.
          A Física Quântica envolve conceitos como os de partícula – objeto com uma mínima dimensão de massa, que compõe corpos maiores – e onda – a radiação eletromagnética, invisível para nós, que não necessita de um ambiente material para se propagar, e sim do espaço vazio. Enquanto as partículas tinham seu movimento analisado pela mecânica de Newton, as radiações das ondas eletromagnéticas eram descritas pelas equações de Maxwell (James Clerk Maxwell). No início do século XX, porém, algumas pesquisas apresentaram contradições reveladoras, demonstrando que os comportamentos de ambas podem não ser assim tão diferentes uns dos outros. Foram essas idéias que levaram Max Planck à descoberta dos mecanismos da Física Quântica, embora ele não pretendesse se desligar dos conceitos da Física Clássica.
         A conexão da Mecânica Quântica com conceitos como a não-localidade e a causalidade, levou esta disciplina a uma ligação mais profunda com conceitos filosóficos, psicológicos e espirituais. Hoje há uma forte tendência em unir os conceitos quânticos às teorias sobre a Consciência.
 
Físicos como o indiano Amit Goswami se valem dos conceitos da Física moderna para apresentar provas científicas da existência da imortalidade, da reencarnação e da vida após a morte. Professor titular da Universidade de Física de Oregon, Ph.D em física quântica, físico residente no Institute of Noetic Sciences, suas idéias aparecem no filme “Quem somos nós?” e em obras como “A Física da Alma”, “O Médico Quântico”, entre outras. Ele defende a conciliação entre física quântica, espiritualidade, medicina, filosofia e estudos sobre a consciência. Seus livros estão repletos de descrições técnicas, objetivas, científicas, o que tem silenciado seus detratores.
         
 
Fritjof Capra, Ph.D., físico e teórico de sistemas, revela a importância do observador na produção dos fenômenos quânticos. Ele não só testemunha os atributos do evento físico, mas também influencia na forma como essas qualidades se manifestarão. A consciência do sujeito que examina a trajetória de um elétron vai definir como será seu comportamento. Assim, segundo o autor, a partícula é despojada de seu caráter específico se não for submetida à análise racional do observador, ou seja, tudo se interpenetra e se torna interdependente, mente e matéria, o indivíduo que observa e o objeto sob análise. Outro renomado físico, prêmio Nobel de Física, Eugen Wingner, atesta igualmente que o papel da consciência no âmbito da teoria quântica é imprescindível.
 
Fonte: http://www.infoescola.com/fisica/quantica/

Indicações literárias que abordam a saúde sob o aspecto quântico (Bioenergética)…

 “Evolução Espontânea” oferece um ponto de vista animador sobre o destino da humanidade e é um desses livros que podem mudar a visão do mundo. Com pitadas de humor espiritual e sólidos conhecimentos científicos, Bruce Lipton e Steve Bhaerman apresentam uma versão diferente a respeito da civilização que surge diante de nós. Ao levarem o leitor para além da análise do colapso das economias ou da existência de religiões inflexíveis, demonstram que o caos nada mais é do que uma etapa natural do processo evolutivo, e não o final trágico de um planeta. 
É uma nova proposta de vida, tão instigante e repleta de possibilidades que nos leva a desejar um mundo melhor agora.
* * *
         
“O elo perdido entre a vida e a consciência”. 
É dessa forma que Gregg Braden, autor de O código de Deus, best-seller do jornal The New York Times, define o livro A Biologia da Crença, lançamento da Butterfly Editora. Nesta obra, o cientista norte-americano Bruce Lipton explica como todas as células do corpo são influenciadas pelo pensamento. A experiência de Lipton na condição de professor universitário o gabaritou a expor seus próprios conhecimentos de forma simples e direta. Além disso, a obra está repleta de ilustrações e considerações bem-humoradas. Bruce Lipton, o autor de A Biologia da Crença, é um dos pioneiros de uma nova área de estudos denominada “Nova Biologia”, que discorre acerca da relação entre os organismos biológicos, o meio ambiente, o pensamento, as percepções e até o subconsciente e mostra, por exemplo, que, ao contrário do que se sabe, o DNA e os genes são influenciados pelos sinais de fora das células, como as mensagens de energia emanadas de pensamentos positivos e negativos. Por isso, segundo M. T. Morter Jr., fundador do Morter Health System, “A biologia da crença mostra que a mente é mais poderosa do que qualquer medicamento.
* * *
Uma mensagem codificada foi descoberta nas moléculas da vida, no interior do DNA em cada célula do nosso corpo. Graças a um achado notável que liga o alfabeto bíblico ao nosso código genético, a “linguagem da vida” agora pode ser lida com as letras antigas de uma mensagem eterna. Independentemente de raça, religião, herança cultural ou estilo de vida, a mensagem é a mesma em cada célula de homem, mulher e crianças, do passado e do presente.
Com quase um terço das nações do mundo envolvidas em conflitos armados, essa prova de um vínculo universal entre os seres humanos oferece uma evidência incontestável de que somos maiores do que qualquer crença que tenha nos separado no passado. 
* **
Para o renomado físico quântico Amit Goswami, a medicina é um campo propício para a aplicação da nova ciência baseada na primazia da consciência. Essa nova ciência tem capacidade extraordinária para integrar a ciência convencional, a espiritualidade e a cura. E se existe uma área que precisa de integração, diz Goswami, essa é a da medicina. O Médico Quântico reinterpreta com ousadia os principais métodos da medicina alternativa – a homeopatia, a medicina chinesa e a acupuntura, e o Ayurveda – e da medicina convencional, do ponto de vista da física quântica. Ele mostra que esses modelos aparentemente diferentes podem ser integrados num novo sistema multidimensional pautado na nova “ciência dentro da consciência”. No âmago de toda doença e de toda cura está a consciência, diz Goswami. O Médico Quântico oferece aos médicos e pacientes um modelo totalmente novo de aplicação da medicina, com maior probabilidade de cura,. Goswami o chama de Medicina Integral e diz que “esse é um enfoque totalmente novo, que pode ser a base legítima para a mudança de paradigma na medicina.”
* * *
Depois de décadas de pesquisa, Peter Fraser formulou um sistema que alia o conhecimento dos meridianos da medicina tradicional chinesa à teoria ondulatória quântica para esclarecer pela primeira vez, com profundidade, as conexões entre a bioquímica do corpo humano e a bioenergética. Ele explica que o ser humano tem um corpo bioenergético baseado em 12 canais semelhantes aos meridianos, que processam e coordenam informações ao longo do corpo, e que a saúde depende do fluxo adequado e da comunicação de informações através desses canais que atuam como uma placa sinalizadora para acionar a capacidade de autorregeneração do corpo. 
* * * 
       
Nesta obra, cientistas notáveis – entre eles, Amit Goswami, Humberto Maturana e Stanislav Grof – revelam com os seus trabalhos a complexidade que orienta uma abordagem da saúde integral. O atual modelo biomédico, regido pelas megacorporações da indústria farmacêutica, há muito que revela as suas limitações. A mera superação dos sintomas das enfermidades e a ausência do foco numa medicina preventiva conduziram a humanidade para uma situação de doenças epidêmicas numa proporção nunca antes vista. A proposta deste livro é trazer de maneira contundente um novo modelo biomédico que, devido à sua abordagem integral e sistêmica, representa verdadeiros pontos de mutação.
* * *
Na atualidade, o terapeuta, seja um médico de renome ou um monge do Tibete, tende a concordar que todas as modalidades de cura têm algo em comum: proporcionam trocas de informações que geram a cura dos males e doenças e fortalecem ou corrigem os complexos processos que já se desenvolvem em nosso corpo. Em O Código da Cura, o Dr. Bruce Forciea apresenta um sistema inovador para termos acesso à troca de informações que está na base de todas as formas de cura, e para maximizarmos sua força benéfica. Forciea nos oferece nesta obra revolucionária, sete chaves para a liberação de um poder de cura ilimitado, que integra ideias da física, da biologia molecular, da medicina convencional e da teoria da informação. Essa abordagem pode ser usada para potencializar os efeitos de qualquer tratamento tradicional ou holístico. Por meio de uma linguagem clara e técnicas passo a passo que tornam o código de cura acessível e prático, o leitor poderá reunir os conceitos apresentados neste livro e aplicá-los imediatamente. Histórias verídicas, inclusive a do próprio Dr. Forciea, que se recuperou de uma doença crônica, destacam a eficácia desse novo e poderoso paradigma de cura. Este livro é fundamental para todas as pessoas que se interessam em perceber a saúde, a doença e a cura de forma mais integrada para alcançar estágios superiores de desenvolvimento físico, emocional e espiritual.
* * *
Com sua inovadora definição de medicina que busca a integração de mente, consciência, compreensão e inteligência, Deepak Chopra afirma que a cura é um processo estabelecido pelo corpo de dentro para fora. A disposição mental, a intenção e o desejo podem ser percebidos por todas as células, que passam a atuar visando à cura. A esse processo, ele conferiu o nome cura quântica – abordada neste livro em todos os seus aspectos biológicos e mentais. Baseando-se na ciência moderna e na sabedoria ancestral do Ayurveda, o autor relata casos reais e histórias fascinantes em apoio a um modelo de saúde e bem-estar que está em perfeita harmonia.
* * *
Existe um lugar onde todas as coisas começam, um lugar de pura energia, que simplesmente “é”. Nessa incubadora quântica da realidade, todas as coisas são possíveis. Em 1944, Max Planck, o pai da teoria quântica, chocou o mundo quando disse que essa “matriz” é a origem das estrelas, do DNA da vida e de tudo o que existe. Descobertas recentes acentuam a evidência de que a matriz de Planck – A Matriz Divina – é real. Para que a matriz participe da nossa vida com toda potência, precisamos compreender como ela funciona e qual linguagem ela reconhece. Esta tem sido a pesquisa de Gregg Braden durante mais de vinte anos. Neste livro capaz de abalar paradigmas, Gregg compartilha conosco suas descobertas.

O magnetismo do sistema solar influencia o DNA…

Cientistas que trabalham para a  NASA  na Universidade de Iowa descobriram algo semelhante a um portal. A Terra é cercada por um campo magnético que dispersa a maior parte da energia irradiada pelo Sol. No entanto, dentro desse campo, existem pequenos portais improvisados ​​(“FTE”, sigla para Flux Transfer Event) que são completamente imprevisíveis, permitindo que o vento magnético e, portanto, às forças solares, para entrar em contato direto com o nosso planeta.
Observações da frota de 5 sondas Themis e da missão Esa “sugerem que esses portais magnéticos abrem e fecham dezenas de vezes por dia (em intervalos de 8 minutos). Eles geralmente são encontrados a dezenas de milhares de quilômetros da Terra, onde o campo geomagnético encontra o vento solar .  (Web – dionidream)
Tempestades solares são sementes deliberadamente depositadas na magnetosfera da Terra, devido ao renascimento cíclico do planeta Terra.
“No sistema solar, o núcleo é o sol. Emana o que é chamado vento solar, que é uma energia magnética que literalmente irrompe do sol e contém apenas o que foi gerado pelo sol. Essa energia magnética – heliosfera – sopra”. “Esse vento magnético contra o próprio magnetismo da terra e isso altera o planeta.  
O magnetismo é uma energia quântica. Como são a gravidade e a luz. Você está cercado por um campo quântico e é o campo magnético da terra. Dissemos que, se a consciência humana muda, o magnetismo muda. Deve mudar. Ele deve se preparar para receber o que você está fazendo. Como a consciência deste planeta pode se expandir quando o magnetismo permanece o mesmo? Não pode. O magnetismo deve, portanto, se mover.
Tudo começou com uma mudança real das linhas ley magnéticas do seu planeta. Isso está registrado agora na história e é algo que eu previ há mais de vinte anos. Agora suas bússolas mostram que tudo o que eu falei está aqui. O magnetismo mudou muito desde 1989.  
Quando o magnetismo do sol sopra contra o magnetismo da terra, você tem dois campos magnéticos que interagem. Isso cria uma coisa chamada indutância , que é um mistério para a ciência. É o “minestrone” dos campos magnéticos sobrepostos que permite a troca energética de informações e amplificação, sem uma fonte de energia. 
O magnetismo do sistema solar afeta o DNA.
O magnetismo do próprio sistema solar está mudando. Aqui está o desafio: encontre esse fato. Você o verá, literalmente, enquanto seu sistema solar se move para o espaço. Ele cruza certas características do espaço e isso muda uma parte do magnetismo, que, portanto, torna-se diferente do que sempre fora antes. Por sua vez, isso altera o sol. Você vê o ciclo? Um aprimora o outro, em um fractal circular de realidade. Seu movimento pelo centro muda o sistema solar. A nova posição do sistema solar altera as características do sol. As características do sol são enviadas ao planeta através da heliosfera e isso afeta seu DNA.
O DNA – o campo ao seu redor – recebe informações solares da grade magnética, e as instruções nesse campo são passadas diretamente ao DNA, que também é magnético. Eu já lhe dei a cadeia de transmissão magnética que você acha que é esotérica. Não é. É ciência. Mas pensar que os atributos interdimensionais, magnéticos e gravitacionais do sistema solar estão indo em direção ao seu DNA, parece muito esotérico. Alguns chamam isso de astrologia! A verdade é que serve a humanidade e também Gaia! Bem, lembre-se de que a Terra faz parte da cadeia magnética de informações da sua estrutura celular (a grade magnética) que indica quando você deve fazer o que faz. Está tudo relacionado.   
Muitas das explosões solares do sol eram energia sagrada. As explosões solares são explosões que parecem áreas de energia contidas no sol. A parte difícil é que, quando você avalia a energia de qualquer uma dessas explosões, entende que apenas três dessas explosões devem começar de dentro do sol, mas você vê centenas dessas explosões. De onde vem a energia? O que está havendo? Tem alguma reação química acontecendo ao sol? O que está havendo?
O Sol, na verdade, não é o Sol. É um portal dimensional para a passagem de energia! 
Dizemos que o sol não é o que você pensa. Não é um objeto em si. É um portal dimensional para energia e existe desde o início dos tempos. Até o calor e os raios gama que o ajudam a viver neste planeta estão constantemente entrando em seu mundo através deste portal. Há dois eventos acontecendo agora, para dar as boas-vindas ao que está por vir. Os cientistas acreditam que essas são novas descobertas e que fazem parte de coisas já verificadas há muito tempo. Não neste caso, no entanto. Essas coisas nunca aconteceram antes.  
O vento solar é na verdade uma “sementeira”, prepara o planeta para um evento especial! 
Um desses eventos é a fusão do campo magnético da Terra com o campo magnético do Sol . O outro se refere à recente descoberta sobre partículas contidas em uma tempestade solar. O termo “tempestade solar” para descrever este evento não é apropriado. Esses dois eventos trabalham juntos para abrir o campo magnético da Terra, o tempo necessário para encher essas sementes com uma quantidade generosa .  
A Terra “copula” com o Sol? Uau! 
O sol é o centro dos atributos gravitacionais interdimensionais ao redor dos planetas. Há informações interdimensionais – você pode chamá-lo de modelo gravitacional , se quiser – que o sol gera a cada momento do dia. À medida que os planetas empurram e puxam do centro do sistema solar (efeito do sol através da gravidade), eles influenciam a atitude do sol. Esses modelos são únicos todos os dias e são atingidos pelo sol ao passarem pelo campo magnético da Terra, no que chamamos de vento solar. 
O vento solar é uma heliosfera magnética (a heliosfera é uma região periférica do Sol, preenchida pelo vento solar) e possui propriedades muito multidimensionais. Este vento magnético atinge a Terra, atravessando o campo magnético, e você pode vê-lo! chamada  Aurora Boreal . É um enorme campo magnético (o sol), cruzando com outro (a Terra). A ciência chama esse fenômeno de interseção da indutância . Nesse cruzamento de energia, uma transferência de informações padronizadas do sol ocorre com a grade magnética da Terra. 
De uma perspectiva mais ampla, diremos que as interações entre o Sol e a Terra estão mudando. A Terra está sendo carregada pelo sol mais uma vez. A primeira vez que houve uma carga magnética de explosões solares. Agora o Sol e a Terra formam um ponto de conexão. Isso foi rotulado como um portal porque os dois campos de energia da Terra e do Sol, se ocasionalmente se encontram, se estendem através do tempo e do espaço para conectar os campos de energia entre eles. Durante esses períodos, as partículas são transferidas de uma para a outra. Identifique esses eventos, simplesmente como tempestades solares e, assim, compreenda, até o momento, ignorando o que isso realmente significa. No entanto, posso lhe dizer que é muito mais do que você imagina: é a força da vida do Universo. . Se alguém quiser fazer uma comparação com o corpo físico, poderia chamá-lo de energia sexual, isto é, a energia vital de Tudo O Que É , que está fluindo e se conectando com todas as coisas. Que conceito! Você pode ver a profundidade e grandeza disso? Tempestades solares são sementes deliberadamente depositadas na magnetosfera da Terra, para o renascimento do Planeta Terra.    
Esta poderia ser a partícula primordial indescritível que deu origem à Terra!
Foram essas partículas solares que criaram o planeta Terra, queridos humanos. E agora, essas partículas podem ser chamadas de partículas de possibilidades porque elas carregam algo que você terá que criar no processo. Lembre-se, é tudo uma criação humana coletiva, porque vocês são os criadores da Terra. Não há piso pré-fabricado grande no lugar. Não há deus barbudo que se pareça com Charlton Heston    quem irá monitorar cada um, dizendo o que é certo e o que está errado. Você está criando sua realidade com todo pensamento que tem. Eles entendem e assumem essa responsabilidade. A Terra está se adaptando aos seus pensamentos. Vocês são os arquitetos. Isto é o que você realmente é. Crie o caminho, segundos antes de tocar o chão com os pés e, quando o fizer, não terá medo porque é esperado, sem dúvida, que ele esteja lá, e é por isso que foi criado. Seu relacionamento com a Terra e todo o cosmos ficará mais claro nos próximos anos, quando alguns desses eventos ocorrerem ” Fonte

Estados Alterados de Consciência podem ser essenciais para a sobrevivência…

O estado alterado de consciência é caracterizado por uma percepção cada vez mais fina de si mesmo, um desapego de todos os outros eventos e uma concentração no momento presente.
O consequente estado de experiência com uma planta de ópio, pode induzir um sujeito a experimentar diferentes sensações nunca antes sentidas. Uma espécie de viagem fora e dentro de si capaz de fornecer um vocabulário totalmente novo para a pessoa que é o autor da viagem.
Estados alterados de consciência, como meditação, fenômenos hipnóticos, concentração, podem ser ferramentas ​​importantes para lidar também com a dor, ou estímulos e situações problemáticas típicas do ambiente externo ou das dinâmicas pessoais e intrapsíquica. Nesse sentido, estados alterados de consciência podem ter um grande potencial para a sobrevivência, desenvolvimento psíquico no progresso individual e cultural. Poderiam representar o caminho para alcançar um uso mais completo e eficaz do sistema nervoso central.
Considerado nesta perspectiva, o impulso para experimentar estados psicológicos alterados, em períodos transitórios particulares de distanciamento da consciência racional ou em diferentes formas de percepção da realidade, adquire sua própria lógica e, curioso em dizer: sua racionalidade.

É possível entrar em um estado de alteração mental sem recorrer a drogas?

Desde a antiguidade, é uma vontade dos humanos explorar e investigar os recessos de sua cosmologia interior. Porque se existe um universo que podemos observar olhando além dos nossos olhos, há também um presente dentro de nós. Além disso, não sabemos se separar essas duas dimensões seja algo possível e correto.
Além das especulações e investigações, a exploração de nosso eu mais íntimo e profundo parece estar relacionada ao uso de substâncias psicoativas capazes de nos oferecer respostas, ou melhor, novas perguntas sobre nossa existência humana.
No entanto, existem diferentes maneiras de mergulhar no mar profundo de estados alterados de consciência.

Respiração lenta

Um grupo de pesquisadores da Universidade de Pisa investigou a ligação entre respiração e consciência, dois mundos aparentemente distantes, mas incrivelmente próximos, como já testemunhado pelas técnicas de respiração meditativa lenta, que podem levar a causar estados reais de consciência alterados.
Uma quantidade considerável de estudos mostrou que a meditação tem a capacidade de modificar a atividade cerebral. Graças ao EEG, sabemos que isso leva a um aumento da atividade teta (4-8 Hz) em muitas regiões do cérebro.
Na cultura ocidental se manifesta a necessidade de espiritualidade, de evasão ao racionalismo excessivo, e a busca por estados alterados de consciência pode fornecer, mesmo que de maneira questionável, uma resposta a essas necessidades.
Nos últimos anos, a meditação vem se expandindo, cada vez mais, para o Ocidente, e seus poderosos efeitos sobre a mente e o corpo foram reconhecidos pela comunidade científica e os estudos sobre esse assunto sofreram um aumento considerável.
Há um elemento de grande interesse que caracteriza as práticas de meditação: controle voluntário da respiração. Técnicas de respiração lenta são usadas de uma maneira versátil; no caso da meditação, essas técnicas podem causar estados reais de consciência alterados.
Tanque de privação sensorial – promete rejuvenescedor e ser a chave para aliviar o estresse.
Dr. John Lilly, psicanalista e neurocientista, já nos anos 50, levou sua pesquisa pioneira em direção a estados alterados de consciência, inventando o que hoje é chamado Tanque de Privação Sensorial, uma tecnologia capaz de transportar o homem para situações igualmente surpreendentes.
O conceito era simples: se desligamos a tomada dos sentidos, algum outro órgão da percepção, mesmo oculto até então, começará a nos dar uma nova percepção da realidade, seja circundante ou interna. John Lilly intuiu que, com os cinco sentidos desativados, alguma outra coisa seria despertado.
O tanque, que colocava o sujeito na posição horizontal e flutuante, era saturado com sulfato de sal e magnésio e mantido constantemente à temperatura corporal, a fim de eliminar a sensação de tato. O corpo do sujeito se encontraria flutuando em um líquido isotérmico. Para eliminar os outros sentidos, a escuridão e a ausência de ruído tornavam-se as medidas necessárias adicionais.
Nesse ponto, a pessoa na banheira seria privada de visão, paladar, olfato, audição e tato. Dessa experiência, não apenas se entendeu que o cérebro não parou de funcionar, mas que, pelo contrário, a ausência de estímulos o levou a um estado de simulação Onirica no qual iam se manifestando alucinações de vários tipos.
Um sentimento de perda dos limites do corpo associado a uma série de alucinações, se pudermos defini-los como tais, capazes de projetar o sujeito em seus espaços existenciais mais íntimos.
O efeito mais relevante do uso de tais tanques é o da modificação da atividade elétrica do cérebro. Após um período, o cérebro passa das ondas Beta para as ondas Teta, típicas do sono, mas sem a perda de consciência, típica deste. O cérebro, nesse ponto, livre de estímulos externos que distraem, pode ser capaz de transmitir recursos para um único objetivo, aumentando o nível de concentração necessário para resolver problemas particularmente complexos.
A prática viveu seu auge na década de 1980, quando alguns centros de flutuação começaram a ser abertos pelo mundo.
Embora não existam muito estudos focados especificamente nos tanques de isolamento de Lilly, algumas pesquisas indicam que a suspensão de qualquer um dos sentidos pode ocasionar sensações alucinatórias. Além disso, um estudo conduzido em 2009 mostrou que a privação sensorial completa, mesmo que por apenas por 15 minutos, pode desencadear alucinações vívidas em grande parte das pessoas.
Para muitas pessoas, hoje,  esta sensação de vazio total e privação de sentidos pode ser uma ferramenta útil e sem contraindicações para a redução do estresse e rejuvenescimento da pele..

Existem dezenas de técnicas capazes de alterar nossa consciência

Por exemplo, a Respiração Holotrópica desenvolvida pelo Dr. Stanislav Grof e sua esposa, Christina Grof, é tão misterioso quanto interessante. É uma prática espiritual e terapêutica capaz de nos levar a um nível de consciência e a um estado alterado de consciência semelhantes aos alcançados durante uma terapia assistida com substâncias psicodélicas, mas sem recorrer a drogas. Por esse motivo, muitas pessoas usam essa técnica para trazer à tona problemas do passado e resolvê-los por uma perspectiva de estado alterado. É uma prática tão poderosa que alguém a definiu como uma “meditação de força industrial”.

Respiração ligada à meditação

A respiração lenta, diretamente relacionada à meditação, também é capaz de provocar mudanças consideráveis: quando, usando modelos animais, estimularam o epitélio olfativo com ritmos lentos, a mesma frequência foi encontrada no nível cortical. Nos animais, o ritmo da respiração é capaz de sintonizar a atividade de descarga de neurônios longe do córtex olfativo. Esses padrões extraordinários não são observáveis ​​no caso da respiração bucal e na traqueotomia.
Uma visão simplista demais levou ao erro de considerar os neurônios olfativos simplesmente como detectores de odor; hoje podemos dizer que suas capacidades vão muito além; esses neurônios, mesmo estimulados, são capazes de responder a estímulos mecânicos.

O acoplamento respiração-atividade neural pode modular o estado de consciência

Um grupo de pesquisa da Universidade de Pisa, a partir dos estudos sobre meditação, concentrou-se, não apenas em técnicas meditativas que têm respiração lenta apenas como um efeito secundário, mas passaram a investigar os correlatos da respiração lenta. O trabalho deles decorre da hipótese de que a respiração-atividade neural acoplada seria capaz de modular o comportamento e o estado de consciência em humanos.
O que eles fizeram foi recriar uma condição simil-meditativa: para simular a respiração lenta da meditação, eles usaram uma cânula nasal especial para estimular periodicamente (8 segundos de estimulação e 12 segundos sem estimulação) o epitélio olfativo através do ar comprimido inodoro a uma frequência de 0,05 Hz por 15 minutos. Essa frequência específica não é o resultado do acaso, mas foi escolhida porque replica as freqüências lentas da respiração nas práticas de meditação.
Para a investigação experimental, foram selecionados 12 indivíduos saudáveis, cada um participando de duas sessões diferentes: uma sessão experimental que incluía estimulação nasal (“estimulação nasal”, SN) e uma sessão de controle na qual a estimulação estava ausente (“controle de sessão ”, CS). As duas sessões foram realizadas com uma semana de distância uma da outra e em ambos os casos os sujeitos foram monitorados com o EEG; sucessivamente, os pesquisadores compararam os dados coletados nas duas fases diferentes do experimento.
O que emerge assume enorme importância: somente na fase pós-NS houve um aumento nas frequências teta delta no córtex orbitofrontal.
Outro aspecto importante que emerge do estudo diz respeito à direção do fluxo de informações: na condição pós-estimulação, o fluxo foi revertido em relação à condição de pré-estimulação para a frequência teta. Na vigília, a direção do fluxo de informação é póstero-anterior, tanto no sono REM quanto no NREM, a direção era antero-posterior. As duas sessões no nível eletrofisiológico são diferentes, os dados do EEG indicam que certamente, algo acontece nos sujeitos.
A experiência subjetiva de cada participante foi utilizada no Phenomenology of Consciousness Inventory (PCI). Essa ferramenta permitiu associar aos dados EEG a experiência vivida pelos participantes, durante a estimulação: essas pessoas relataram que se sentiram como se estivessem em um estado alterado de consciência, perceberam o tempo de maneira diferente e notaram um aumento na atenção ao interior.
Os sentimentos que emergem são os mesmos daqueles experimentados por quem pratica meditação, aqueles que praticam certas técnicas podem experimentar um estado alterado de consciência e também podem se concentrar mais no que acontece dentro de si e não fora. A experiência vivida pelos participantes do estudo está perfeitamente associada ao que foi registrado pelo EEG.
Até hoje, o tema da consciência é tão intrigante quanto complicado, a respiração pode ser uma maneira de lançar luz sobre este mundo tão difícil de entender. Esse trabalho é surpreendente, pois nos permite ir além do papel clássico da respiração ao qual estamos acostumados, além de compreender como a respiração sozinha pode nos ajudar na difícil tarefa de entender e elevar o nível de consciência.
A busca de alteração, nesse sentido. é um impulso à renovação humana que ajuda a atravessar o limiar do mundo tangível para buscar o abraço do mundo, o contato com o Todo.

Além da ciência: Como falar com o seu DNA…

post-04-19-1
Nosso DNA contem os segredos da imortalidade e do bem-estar, dentro dele está a sabedoria não só dos nossos antepassados genéticos, mas do nosso passado e também experiências de vidas futuras, foi-nos dito que ativaremos as dez fitas de DNA adormecido “lixo” que estão sobrepostos nas duas vertentes ativas do DNA que atualmente funcionam, como poderemos ativar este DNA extra a fim de acessar a sabedoria necessária para seguirmos em frente ?

O que é DNA ?

O DNA se encontra no núcleo de cada célula do nosso corpo, exceto nas células vermelhas do sangue, o sangue do nosso corpo transporta DNA apenas nas células brancas porque as células vermelhas do sangue não possuem núcleo, as instruções para o projeto do nosso corpo humano é replicado na íntegra em cada núcleo, em essência, o nosso corpo é um grande holograma com cada célula contendo um padrão completo do DNA e cada célula contem a totalidade da nossa existência física.

post-04-19-2Além de servir como um modelo, o DNA serve como um lugar para armazenar registros de experiências e sabedorias, também permite a comunicação com os aspectos mais profundos de nós mesmos, os cientistas estão hoje conscientes de que temos dois filamentos entrelaçados ativos de DNA que carregam os códigos para as nossas características e interações como seres humanos, dentro dessas duas vertentes se encontra a marca genética do nosso corpo físico de nossos outros, pai, avós, e assim por diante.

Os outros filamentos de DNA foram rotulados como inativos pela ciência, este DNA misterioso é a porta mágica para um novo reino, a boa notícia é que as outras vertentes estão lentamente despertando e fundindo-se com as duas cadeias do nosso DNA, se expandindo à medida que aumentamos a nossa vibração em conjunto com o planeta.

O que afeta o nosso DNA ?

A diminuição do campo magnético da Terra e o aumento da atividade Solar são fatores que farão com que as outras cadeias do DNA sejam “ativadas” ou fundidas com a nossa existência a medida que a nossa vibração continua a aumentar, isso permitirá uma mudança na consciência com uma maior sabedoria do nosso DNA sendo acessível dentro do corpo físico.

Por que eu quero falar com o meu DNA ?

Cada célula do nosso DNA tem consciência de que está ligada ao EU superior, o EU superior é a mente consciente da nossa alma, é a maior essência de quem somos como um ser espiritual, somos um dedo de consciência da nossa alma enviados para baixo nas dimensões inferiores, a nossa alma é muito grande para se manifestar na baixa densidade da terceira dimensão, como nosso universo, galáxia, e planeta estão se expandindo, isto vai possibilitar nos expandirmos também permitindo mais acesso as nossas partículas da alma que estamos escolhendo trazê-las a esta realidade para viver em um corpo humano, fazendo isso devemos mudar de uma estrutura de carbono para uma de densidade mais leve.

Ao nos comunicarmos com o nosso DNA, podemos realizar muitas coisas, incluindo:

1. Cura: Enviando amor e luz conscientemente a nossas células, que têm o poder de curar o corpo.
2. Nutrição: Pedir ao seu corpo o que ele gostaria de comer, poderá saber o alimento ideal baseado em seu código genético.
3. Sabedoria: O processo de recordação envolve obter acesso aos registros Akáshicos através de nosso DNA.
post-04-19-34. Ascensão: Quando expandimos cada célula do nosso corpo com a luz nós nos tornamos seres com base cristalina vibrando em uma frequência maior de amor onde não podemos sofrer a interferência de seres vibracionais inferiores, a manifestação disto em nossa realidade pode ser alcançada ao verbalmente desejarmos que se manifeste em nossa realidade.

Como nossos corpos são hologramas, só precisamos falar com uma das células do nosso corpo a fim de nos comunicar com todas as células, elas estão interligadas e funcionam como um ser completo, elas são o modelo do que a humanidade está se esforçando em ser como um macrocosmo, no entanto, é possível falar com células de um órgão específico, como o rim ou o fígado, se você quiser enviar a cura especificamente para essas células, elas irão enviar uma espécie de cura para todas as outras células do corpo.

Como falar com o seu DNA

A comunicação com o seu DNA não é um processo difícil e pode ser tão pessoal e único como você gostaria que fosse, você pode tentar métodos diferentes e escolher o que sentir que seja o melhor para o seu corpo.

A fim de obter as maiores intenções é uma boa ideia criar um ritual em miniatura antes de começar a se comunicar com o seu corpo pela primeira vez, se você estiver fazendo isto dentro de casa deve incluir a definição da energia na sala para sentir-se confortável, se você prefere fazer isto fora, a natureza pode fornecer a força vital necessária que servirá como uma ponte entre você e seu EU superior através de suas células, depois de fazer o contato inicial com uma célula ou células no seu corpo, você pode simplesmente ter esse momento de conversa em qualquer momento que quiser, onde você estiver.

Conversar com as suas células é uma mistura entre meditação e oração.

O seguinte é um exemplo de como você pode conversar com seu DNA

1. Encontre uma posição confortável que funciona para você, pode sentar-se em posição de lótus, deitar, sentar em uma cadeira confortável, sentar no sofá, ou mesmo sentar-se em uma banheira quente.
2. Feche os olhos e relaxe.
3. Faça algumas respirações lentas e profundas na área do seu diafragma, coloque sua atenção e consciência em seu chacra cardíaco, faça outra respiração profunda enquanto você se concentra na energia do seu centro cardíaco, a imaginação segue um longo caminho quando se pretende meditar no interior, o que você está fazendo em seu centro cardíaco é colocar você mesmo na mais alta vibração de seu corpo, que é o amor.
4. Em seguida pense em uma parte do seu corpo, escolha a primeira parte que vier à sua mente, não adivinhe a sua primeira resposta intuitiva.
5. Dentro dessa parte do seu corpo, concentre o seu foco agora em uma parte menor do seu corpo, em seguida vá mais e mais para dentro do seu corpo, mais e mais profundamente até que você trave o foco em uma célula do seu corpo.
6. Fale suavemente com a sua célula e deixe-a saber que você está feliz de fazer contato com ela, deixe-a saber as suas intenções, isto pode ser a cura, tenha uma conversa com ela ou com a intenção de que sua célula se encherá de luz no processo de ascensão, seja qual for a sua razão para o contato sua célula ficará em êxtase porque você finalmente percebeu que pode se comunicar com ela, conforme você praticar a comunhão com as suas próprias células você poderá pausar e ouvir uma resposta, é importante prestar atenção na primeira coisa que vier à sua mente, muitas vezes temos a tendência de pensar que estamos apenas nos comunicando com a nossa própria imaginação, no entanto estamos de fato em contato com uma parte de nós mesmos.

A meditação de comunicação é uma ótima maneira de conhecer as necessidades do seu corpo, uma vez que todas as células estão em comunicação umas com as outras você pode pedir para esta célula se há alguma outra célula que precisa de atenção, não se preocupe se você não receber qualquer resposta “verbalmente” ou mentalmente de suas células em sua cabeça, muitas pessoas são capazes de sentir quando nossas células se comunicam conosco, algumas pessoas têm calafrios para cima e para baixo do corpo em resposta a verdade, você poderia perguntar sim ou não para a sua célula e esperar por uma resposta, onde sim poderia ser estabelecido como calafrios, e não seria a falta de calafrios.

O resultado final de falar com as suas células

Quando falamos com nossas células levamos amor para elas, o amor é a luz e como nós levamos luz nós elevamos nossa vibração, à medida que expandimos nossas células para receber mais luz criamos um ambiente para que mais de nossa alma de luz se junte a nós dentro do nosso corpo, finalmente todos nós seremos capazes de nos comunicar livremente com o nosso EU superior que está ligado a nossa alma, nossa alma está ligada a nossa mônada que é simplesmente um dedo da consciência do nosso criador.

Isto nos dá uma nova definição do que significa “ir para dentro” a fim de ter todas as respostas que desejássemos, nossas células estão todas ligadas umas as outras e elas ainda estão ligadas a toda a sabedoria que poderíamos precisar, a partir do nosso EU superior à nossa alma tem acesso a todas as experiências de tudo o que já foi registrado nos registros akáshicos, sua alma pode ou não pode ter acesso a certas coisas agora, mas à medida que aprendemos a manobrar a nossa consciência até a escada de ligação ao Criador esta sabedoria é realmente nossa, assim como é do nosso Criador.

Quando curamos o nosso DNA ajudamos os outros também

Antes da mudança para a Era de Aquário, a porta para esta sabedoria tinha sido fechada por aqueles que controlaram e dominaram a humanidade sobre a Terra durante cerca de 30.000 anos, uma enorme quantidade de dissonância foi inserida em nosso DNA, de geração em geração e de vida para vida, quando limparmos essa dissonância no DNA do nosso corpo físico, limparemos toda a dissonância do sangue dos nossos antepassados também, é uma lembrança bonita e emocionante de que algo mais está acontecendo conosco do que apenas a ascensão, estamos reescrevendo o passado e criando um novo futuro com uma consciência expandida como nenhuma outra.

post-04-19-4Quando a primeira pessoa expandir a luz dentro de suas células por um tempo de potencial máximo ainda existindo em um corpo físico, a porta estará aberta para esta pessoa mudar sua consciência para uma perspectiva de 5ª dimensão, uma vez que o corpo estará cheio de luz não haverá preocupação em voltar ou regredir para uma vibração mais baixa, este é o propósito e a explicação do que entendemos pelo processo de ascensão, a maior parte já ascendeu antes em outras vidas, no entanto deixávamos nossos corpos físicos no passado e voltávamos a mover a nossa consciência em um novo corpo de luz, neste processo atual precisamos verdadeiramente “aprender-como-você-faz” e nós temos muita ajuda de nossos guias, anjos, EU superior, e alma.

A partir do momento que a primeira pessoa no mundo se preparar completamente para a ascensão, ela fornecerá um modelo para os outros seguirem rapidamente, nossos corpos devem ser depurados das energias de baixa vibração e o espaço onde essas energias estavam deve ser preenchido com a luz, quando a maioria das células forem preenchidas com a luz estimulará o resto das células a irromperem com a luz, quanto mais as pessoas se prepararem mudando sua consciência para uma dimensão superior mais rápido poderemos mover partes maiores da consciência humana a uma dimensão superior, finalmente esta consciência se tornará UM novamente.

O véu será levantado e o conhecimento será derramado nos abençoando com sabedoria, com esta sabedoria poderemos descobrir que há um número infinito de cadeias de DNA em vez de apenas doze, a criação é infinita e nós somos microcosmo do macrocosmo, a ativação das nossas cadeias de DNA trará uma clara conexão com nosso Eu superior que será a base para a Era de Ouro, conversar com o nosso DNA é uma ferramenta poderosa da criação que permite a manifestação desta transformação em nossa realidade, estes são os segredos que foram escondidos de nós por muitos anos, o conhecimento traz a sabedoria e a sabedoria traz a paz. Fonte

@Michelle Walling
Origem: Na 5 ª Dimensão
Tradução e Divulgação: A Luz é Invencível

Força Secreta do Universo – O Campo – Lynne Mctaggart…

image

ESTAMOS EQUILIBRADOS NA IMINÊNCIA de uma revolução, de uma revolução tão ousada quanto a descoberta da relatividade por Einstein.
Estão emergindo na fronteira da ciência novas idéias que desafiam tudo o que acreditamos a respeito da maneira como o nosso mundo funciona e de como definimos a nós mesmos.
Estão sendo feitas descobertas que comprovam o que a espiritualidade sempre sustentou, ou seja, que os seres humanos são bem mais extraordinários do que um agrupamento de carne e ossos. Em sua base essencial, essa nova ciência responde a perguntas que deixaram os cientistas perplexos durante centenas de anos. Em sua parte mais profunda, trata-se de uma ciência do miraculoso.
Há várias décadas, cientistas respeitados de diversas disciplinas ao redor do mundo vêm conduzindo experiências bem planejadas cujos resultados contrariam a biologia e a física atuais.
Em conjunto, essas pesquisas nos oferecem informações copiosas acerca da força organizadora central que governa o nosso corpo e o resto do cosmo.
O que eles descobriram é nada menos do que impressionante. Em nossa essência mais elementar, somos uma carga de energia. Os seres humanos e todas as coisas vivas são uma coalescência em um campo de energia conectado a todas as outras coisas que existem no mundo. Esse campo de energia pulsante é o mecanismo central do nosso ser e da nossa consciência, o alfa e o ômega de nossa existência. 

image

Não existe uma dualidade “eu” e “não-eu” do nosso corpo em relação ao Universo, mas apenas um único campo fundamental de energia. Esse campo é responsável pelas funções superiores de nossa mente, a fonte de informações que orienta o crescimento do nosso corpo.
Ele é o nosso cérebro, o nosso coração, a nossa memória – na verdade, ele é um projeto do mundo para toda a eternidade.
O campo é a força, e não micróbios ou genes, que determina se estamos saudáveis ou doentes, a força que precisa ser utilizada para que possamos ficar curados.
Estamos conectados e envolvidos com o nosso mundo, somos inseparáveis dele, e a nossa única verdade fundamental é o nosso relacionamento com ele.
Até o momento, a biologia e a física têm sido serviçais dos conceitos defendidos por Isaac Newton, o pai da física clássica. Tudo que acreditamos a respeito do nosso mundo e do lugar que ocupamos nele deriva de idéias formuladas do século XVII, mas que ainda compõem a espinha dorsal da ciência moderna — teorias que apresentam todos os elementos do Universo como sendo isolados uns dos outros, divisíveis e de todo independentes.
Essas concepções, em sua essência, criaram uma visão de mundo de separação. Newton descreveu um mundo material em que as partículas individuais da matéria seguem certas leis de movimento através do espaço e do tempo, ou seja, o Universo como uma máquina.
Antes de Newton formular suas leis do movimento, o filósofo francês René Descartes apresentara uma ideia que na época era revolucionária: que nós, representados por nossa mente, éramos separados dessa matéria inerte e sem vida de nosso corpo, que era apenas outro tipo de máquina bem lubrificada.
Nós nos sentávamos fora desse Universo e olhávamos para dentro. Até mesmo o nosso corpo era de alguma maneira separado e diferente do nosso verdadeiro eu, a mente consciente que fazia a observação. Postado

image

Por meio de algumas hábeis medidas, Newton e Descartes haviam arrancado Deus e a vida do mundo da matéria, e retirado nós mesmos e nossa consciência do centro do nosso mundo. Eles arrancaram o coração e a alma do Universo, deixando em sua esteira uma coleção inanimada de partes entrelaçadas.
Nossa auto-imagem se tornou ainda mais sombria com a obra de Charles Darwin. A teoria da evolução, agora um pouco refinada pelos neodarwinistas, é a teoria de uma vida aleatória, predatória, sem sentido e solitária. Para sobreviver, você simplesmente tem que ser o melhor. Você nada mais é do que um acidente evolucionário.
A vasta e complexa herança biológica de nossos ancestrais é desnudada até ser reduzida a um aspecto central: a sobrevivência. Coma ou seja comido. A essência da condição humana é um terrorista genético, que se liberta com eficácia de quaisquer elos mais fracos.
A vida não consiste no compartilhamento ou na interdependência. A vida diz respeito a vencer, a chegar primeiro. E se consegue sobreviver, você fica por sua própria conta no topo da árvore evolucionária.
Esses paradigmas, o mundo encarado como uma máquina, e o homem como uma máquina de sobrevivência, conduziram a um domínio tecnológico do Universo e a um conhecimento verdadeiro muito pequeno que encerre qualquer importância fundamental para nós. 

imageEm um nível espiritual e metafórico, eles provocaram um sentimento desesperado e brutal de isolamento.
Tampouco nos deixaram mais próximos dos mistérios mais essenciais de nossa existência: como pensamos, como começa a vida, por que ficamos doentes, como uma única célula se transforma em uma pessoa plenamente formada e até mesmo o que acontece com nossa consciência quando morremos.
Muitos de nós buscam se proteger do que encaramos como o fato adverso e niilista de nossa existência na espiritualidade, que pode nos oferecer alguma ajuda com seus ideais de unidade, comunhão e propósito, mas por intermédio de uma visão de mundo que contraria a opinião defendida pela ciência.
Qualquer pessoa que esteja buscando uma vida espiritual precisa lutar com essas concepções de mundo opostas e tentar, infrutiferamente, conciliá-las. 

Esse mundo de separações deveria ter sido destruído de uma vez por todas pela descoberta da física quântica na primeira parte do século XX.
Quando os pioneiros da física quântica esquadrinharam a essência da matéria, ficaram impressionados com o que viram. Os fragmentos mais minúsculos da matéria não eram nem mesmo matéria, como a conhecemos, não eram nem mesmo algo fixo, mas às vezes uma coisa e às vezes outra bem diferente.
E mais estranho ainda é que eles eram com frequência muitas coisas possíveis ao mesmo tempo. No entanto, o mais importante é que essas partículas subatômicas, isoladamente, não possuíam sentido nenhum; só significavam alguma coisa se estivessem relacionadas com todo o resto. Em sua essência mais básica, a matéria não podia ser desmembrada em pequenas unidades independentes, sendo completamente indivisível.
Só era possível compreender o Universo como uma rede dinâmica de interligações. As coisas que em algum dia estiveram em contato permaneciam sempre em contato através de todo o espaço e de todo o tempo. Na verdade, o tempo e o espaço pareciam ser conceitos arbitrários, não mais aplicáveis a este nível do mundo. Na realidade, o tempo e o espaço como os conhecemos não existiam.
A física quântica continha outra questão bastante prática e inacabada. Os cientistas só avançaram até certo ponto em suas experiências e entendimentos. As experiências que haviam realizado para demonstrar esses efeitos quânticos ocorreram em laboratório, com partículas subatômicas sem vida. 

image

A partir dali, os cientistas que os sucederam partiram do princípio de que esse estranho mundo quântico só existia no mundo da matéria sem vida. Qualquer coisa viva ainda funcionaria de acordo com as leis de Newton e Descartes, concepção essa que inspirou toda a medicina e biologia modernas.

E o que dizer de nós? De repente, havíamos nos tornado fundamentais para todos os processos físicos, mas ninguém reconhecera esse fato plenamente. Os pioneiros quânticos haviam descoberto que o nosso envolvimento com a matéria era crucial. As partículas subatômicas existiam em todos os estados possíveis até que as perturbássemos, observando-as ou medindo-as, e nesse ponto, elas afinal se estabilizavam em algo real.
A nossa observação – a nossa consciência humana – era absolutamente fundamental para que esse processo de fluxo subatômico de fato se tornasse algo definido, mas não fazíamos parte dos cálculos matemáticos de Heisenberg ou Schrõdinger. Eles compreenderam que éramos de algum modo muito importantes, mas não sabiam como nos incluir. No que dizia respeito à ciência, ainda estávamos do lado de fora olhando para dentro.
Os fios soltos da física quântica nunca foram amarrados em uma teoria coerente, e a física quântica foi reduzida a uma ferramenta extremamente bem-sucedida da tecnologia, vital para a fabricação de bombas e para a eletrônica moderna.

image

As implicações filosóficas foram esquecidas, e tudo o que restou foram as vantagens práticas. A maioria dos físicos de hoje se mostraram dispostos a aceitar, sem uma análise mais profunda, a natureza bizarra do mundo quântico, pois os processos matemáticos, como a equação de Schrödinger, funcionam bastante bem.
Como poderiam os elétrons estar em contato com tudo ao mesmo tempo? Como poderia um elétron não ser uma coisa definida enquanto não fosse examinado ou medido? Como poderia, na verdade, qualquer coisa ser concreta no mundo, se era ilusória assim que começávamos a examiná-la mais de perto?
A resposta deles foi dizer que havia uma única verdade para tudo o que era pequeno e outra para tudo o que era muito maior, uma verdade para as coisas vivas, outra para as coisas inanimadas, e aceitar essas aparentes contradições da mesma forma como poderíamos aceitar um axioma básico de Newton.
Um pequeno grupo de cientistas espalhado pelo planeta não estava nada satisfeito em continuar lidando automaticamente com a física quântica.
Eles exigiam uma resposta mais adequada para muitas das grandes perguntas que haviam sido deixadas sem resposta. Eles prosseguiram com suas investigações e experiências a partir do ponto em que os pioneiros da física quântica haviam parado e começaram a fazer um exame mais profundo.

image

Vários deles repensaram algumas equações que sempre haviam sido descartadas na física quântica. Essas equações correspondiam ao “campo de ponto zero”, um oceano de vibrações microscópicas no espaço entre as coisas. Eles perceberam que se o campo de ponto zero fosse incluído em nossa concepção da natureza mais fundamental da matéria, o suporte do Universo seria um agitado mar de energia, um vasto campo quântico.
Se isso fosse verdade, tudo estaria interligado por algo como uma teia invisível. Eles também descobriram que éramos formados pelo mesmo material básico. No nível mais fundamental, os seres vivos, inclusive os seres humanos, eram pacotes de energia quântica que trocavam constantemente informações com esse inexaurível mar de energia.
Os seres vivos emitiam uma radiação fraca, e esse era o aspecto mais crucial dos processos biológicos. As informações a respeito de todos os aspectos da vida, desde a comunicação celular até o vasto conjunto de controles do DNA, eram retransmitidas por meio de uma troca de informações no nível quântico. Até mesmo nossa mente, esse outro supostamente tão extrínseco às leis da matéria, operava de acordo com processos quânticos. 

image

O pensamento, o sentimento – todas as funções cognitivas superiores – estavam relacionadas com as informações quânticas que pulsavam simultaneamente por nosso cérebro e nosso corpo.
A percepção humana ocorreu devido às interações entre as partículas subatômicas de nossos cérebros e o mar de energia quântica. Ressoávamos literalmente com o nosso mundo.
As descobertas desses cientistas foram extraordinárias e heréticas. De uma vez só, desafiaram várias das leis mais básicas da biologia e da física. Talvez tenham descoberto nada menos do que a chave para todo o processamento e troca de informações em nosso mundo, da comunicação entre as células à maneira de ver o mundo como um todo.
Eles sugeriram respostas para algumas das questões mais profundas da biologia da morfologia humana e da consciência viva. Aqui, no suposto espaço “morto”, possivelmente residia a chave da própria vida.
Eles forneceram evidências de que todos estamos ligados uns aos outros na base do nosso ser. Demonstraram por meio de experiências científicas que talvez haja uma força vital circulando pelo Universo, algo que tem sido alternadamente chamado de consciência coletiva ou, como os teólogos o denominaram, de Luz ou Deus.
Esses cientistas apresentaram uma explicação plausível para todas as áreas em que a humanidade tem tido fé ao longo dos séculos sem, no entanto, conseguir obter nenhuma evidência confiável, ou uma justificativa adequada, da eficácia da medicina alternativa e das preces até a vida após a morte.
De certo modo, eles nos ofereceram uma ciência da espiritualidade.

image

Ao contrário da visão de mundo de Newton ou Darwin, a perspectiva desses cientistas estimulava a vida. Eram ideias que poderiam nos fortalecer com suas implicações de ordem e controle.
Não éramos simples acidentes da natureza. Havia um propósito e uma unidade em nosso mundo e no lugar que ocupávamos nele, e tínhamos uma influência considerável em tudo isso.
O que fazíamos e pensávamos era importante; na verdade, era fundamental para a criação do nosso mundo. Os seres humanos não estavam mais separados uns dos outros. Não havia mais nós e eles. Já não estávamos na periferia do Universo, do lado de fora olhando para dentro. Poderíamos ocupar o nosso lugar legítimo, regressar ao centro do mundo.
Essas ideias eram a substância da traição. Em muitos casos, esses cientistas tiveram que travar uma batalha defensiva contra um grupo dominante, obstinado e hostil. Essas investigações vêm acontecendo há trinta anos, em grande medida não reconhecidas ou refreadas, mas não por causa da qualidade do trabalho.
Os cientistas, todos oriundos de instituições confiáveis como as universidades de Princeton e Stanford, as melhores instituições da França e da Alemanha, realizaram experiências impecáveis.
Não obstante, tais experimentos atacaram vários princípios considerados sagrados e situados no âmago da ciência moderna. Eles não se encaixavam na visão científica predominante no mundo, no mundo encarado como uma máquina.
Reconhecer essas novas ideias exigiria que nos livrássemos de grande parte do que a ciência moderna acredita e, em certo sentido, que começássemos do zero. A velha guarda nem quis ouvir falar dessas teorias, que não se encaixavam na visão de mundo delas e, portanto, estavam necessariamente erradas.

image

Contudo, já é tarde demais. A revolução é irreversível. Esses cientistas são apenas alguns dos pioneiros, uma pequena representação de um movimento mais amplo. Muitos outros estão vindo em seus rastros, desafiando, experimentando e modificando seus pontos de vista, envolvidos com o trabalho com o qual todos os verdadeiros exploradores se envolvem.
Em vez de descartar essas informações como inadequadas segundo a visão científica do mundo, a ciência ortodoxa terá que começar a adaptar sua concepção de mundo para que ela se torne adequada.
É chegada a hora de relegar Newton e Descartes aos seus devidos lugares, isto é, o de profetas de uma visão histórica hoje superada.
A ciência só pode ser um processo que visa entender o nosso mundo e a nós mesmos, em vez de um conjunto fixo de regras eternas. E, com a introdução do novo, o velho quase sempre precisa ser descartado. 

image

*McTaggart é uma porta-voz reconhecida internacionalmente sobre a ciência da espiritualidade e do quantum nos aspectos da saúde.  É uma jornalista premiada e autora de vários livros incluindo o bestseller O CAMPO, traduzido em dezenas de línguas.  É considerada uma autoridade respeitada internacionalmente dentro da área das ciências espirituais, dando conferências e participando em vários seminários por todo o  mundo. Fonte

Entrevista com Lynne McTaggart – Legendado

image

Tudo é Energia…

Nikola Tesla | Energia CósmicaPor todo o espaço há energia. Se essa energia é estática, nossas esperanças são em vão e se cinética – e isto nós sabemos que é, com certeza – então é uma mera questão de tempo quando os homens conseguirão anexar as suas máquinas à própria roda da natureza.  ~Nikola Tesla~

Quanto mais os físicos quânticos observam a natureza da realidade, mais evidências eles estão descobrindo de que tudo é energia nos níveis mais fundamentais. O que percebemos como o nosso mundo material, na verdade não é nem físico ou material. O seu corpo físico caminha no mundo da matéria, mas um aspecto mais sutil de você, se move e interage em um nível de energia pura.

De acordo com a física quântica, somos parte de um campo de energia vasto e invisível, que contém todas as realidades possíveis e responde aos nossos pensamentos e sentimentos. Todas as suas interpretações da realidade são baseadas unicamente no “mapa interno” que você possui, sendo ele um resultado de suas experiências. Os seus pensamentos e sentimentos estão ligados a essa energia invisível e determinam o que a energia pode formar e mudam literalmente o universo partícula por partícula para criar sua vida física.

O mundo é literalmente o seu espelho, permitindo que você experimente no plano físico o que você mantém mentalmente como a sua verdade. A física quântica tem coisas surpreendentes a dizer sobre a natureza energética da realidade que pode libertar as nossas mentes de suas superstições e restrições para podermos criar a realidade de nossa escolha.

A ciência provou que tudo é feito de energia e que tudo contém a sua própria vibração e freqüência. A vibração que emitimos pode afetar a energia de outras pessoas, e a ciência provou essa inter-relação através do estudo da mecânica quântica e de nossos campos eletromagnéticos. Uma vez que os sons também mantêm a sua própria frequência, não faria sentido que a frequência de um som específico pudesse afetar a nossa consciência?

Nós temos essa hostilidade ao mundo externo por causa da superstição, o mito. A teoria absolutamente infundada que você mesmo existe apenas dentro de sua pele agora eu quero propor outra ideia. Você não é algo que é o resultado do Big Bang ou o final do processo. Você ainda é o processo! Você é o Big Bang, a força original do universo! Vindo como quem você é. Veja quando eu te encontro. Eu não vejo apenas o que você define como isto é assim e assim e isto é assim e assim Eu vejo todos vocês como a energia primordial do Universo, chegando em mim desta maneira particular e eu sei que EU SOU assim também.                     ~ Alan Watts~

Fontes:
–Goswami, A. (1995). The Self-Aware Universe: How Consciousness Creates the Material World. ISBN-10: 9780874777987
-Wilber, K. (2001). A Brief History of Everything. ISBN-10: 1570627401
-McCraty, R. (2004). The Energetic Heart: Bioelectromagnetic Communication Within and Between People. Clinical Applications of Bioelectromagnetic Medicine: 541-562.
– Dispenza, J. (2014). Como criar um novo eu. Descubra o método quântico para controlar a sua mente e mudar a sua vida. ISNB: 9789892324661 Fonte

Resultado de imagem para fluido cosmico universalA energia cósmica primordial é descrita por várias culturas ao redor do mundo como um fluido magnético, éter, força ódica, energia de ponto zero e como a energia orgone. Essa energia etérica, embora invisível para a maioria, é muito real. Ela é a força motriz que permite o movimento perpétuo dos planetas, das estrelas e dos universos.

Através das leis da eletroquímica, da composição dos corpos, da temperatura (termismo) e do mecanismo dos sólidos, fluidos e dos gases, podemos compreender que todos os corpos, sem distinção, são afetados pelo magnetismo e pela eletricidade, onde essas duas forcas reduzem e exaltam essa energia no corpo humano.

Franz Anton Mesmer acreditava que todo o universo é preenchido com um fluido magnético que infunde o espírito e a matéria com uma força vital. Este fluido, de acordo com mesmer, é também a essência do cosmos, pois o mesmo é a base da qual toda a matéria é constituída.

fluido cósmico universal é a matéria_elementar_primitiva, cujas modificações e transformações constituem a inumerável variedade dos corpos da Natureza.   
        
Como princípio elementar do Universo, ele assume dois estados distintos: 
  • o de eterização ou imponderabilidade, que se pode considerar o primitivo estado normal
  • e o de materialização ou de ponderabilidade, que é, de certa maneira, consecutivo àquele (mundo visível).
ponto intermédio é o da transformação_do_fluido_em_matéria tangível. Mas, ainda aí, não há transição brusca, porquanto podem considerar-se os nossos fluidos_imponderáveis como termo médio entre os dois estados.
 
No estado de eterização, o fluido cósmico não é uniforme; sem deixar de ser etéreo, sofre modificações tão variadas em gênero e mais numerosas talvez do que no estado de matéria_tangível. Essas modificações constituem fluidos distintos que, embora procedentes do mesmo princípio, são dotados de propriedades especiais e dão lugar aos fenômenos peculiares ao mundo invisível. 
 
matéria cósmica primitiva continha os elementos … 
  • materiais
  • fluídicos 
  • vitais de todos os universos que estadeiam suas magnificências diante da eternidade. 
Ela é a mãe fecunda de todas as coisas, a primeira avó e, sobretudo, a eterna geratriz. 
  • Absolutamente não desapareceu essa substância donde provêm as esferas siderais; 
  • não morreu essa potência, pois que ainda, incessantemente, dá à luz novas criações e incessantemente recebe, reconstituídos, os princípios dos mundos que se apagam do livro eterno.
        A substância etérea: 
  • mais ou menos rarefeita, que se difunde pelos espaços interplanetários; 
  • esse fluido cósmico que enche o mundo, mais ou menos rarefeito, nas regiões imensas, opulentas de aglomerações de estrelas;
  • mais ou menos condensado onde o céu astral ainda não brilha; 
  • mais ou menos modificado por diversas combinações, de acordo com as localidades da extensão, nada mais é do que a substância primitiva onde residem as forças universais, donde a Natureza há tirado todas as coisas.

Leitura:
-Bailly, J.-S. (2002). Secret Report on Mesmerism or Animal Magnetism”, International Journal of Clinical and Experimental Hypnosis, 50 (4), 364–368.
– Albert Abrams & Francis A. Cave. (2010). The electronic reaction of Abrams. Kessinger Publishing, LLC.
– Wolfart, Karl Christian; Friedrich Anton Mesmer (2011). Mesmerismus: Oder, System der Wechselwirkungen, Theorie und Anwendung des thierischen Magnetismus als die allgemeine Heilkunde zur Erhaltung des Menschen. facsimile of the 1811 edition). Cambridge University Press, ISBN 9781108072694.

Energia do reino vegetal…

Imagem relacionadaO Reino Vegetal, conhecido cientificamente como Plantae, é formado por aproximadamente 300.000 espécies conhecidas, sendo que, entre elas, encontram-se muitos tipos de ervas, árvores, arbustos, plantas microscópicas, etc.

Composição

Os organismos que compõem este reino são em sua grande maioria autotróficos, ou seja, seres cuja organização celular conta com os cloroplastos (organelas especializadas na produção de matéria orgânica a partir de matéria inorgânica, incluindo a energia solar). Suas células possuem uma parede celular formada por celulose. 

O reino Plantae, é composto por organismos capazes de produzirem o seu próprio alimento. Contudo, independente disso, eles possuem necessidades específicas de determinados nutrientes presentes somente no solo, como os sais minerais.

Plantas parasitas

Entretanto, há muitas espécies de plantas que não são capazes de produzir seu próprio alimento, por esta razão, elas agem de forma parasita, extraindo de outras plantas os nutrientes necessários para sua sobrevivência.

Importância das plantas

As plantas são extremamente importantes para a continuidade da vida em nosso planeta, sem elas, os demais seres vivos da cadeia alimentar não seriam capazes de obter a energia necessária para sua sobrevivência.

Elas são consideradas o primeiro elo da cadeia, pois sustentam todos os demais (animais, fungos, bactérias e protistas).

Você sabia?

Não fazem parte do Reino Plantae as algas castanhas, as algas vermelhas e vários organismos autotróficos unicelulares ou coloniais.

A origem do Reino Vegetal…

Há teorias que defendem que o Reino Vegetal se originou de algas de grupos protistas desenvolvidos na água. Assim, as algas verdes aquáticas seriam os ancestrais diretos das atuais plantas.

Reino Vegetal: origem, características e classificação

Acredita-se que, por volta de meio bilhão de anos atrás, as plantas migraram para o ambiente terrestre. Ali teria sido mais favorável a elas, já que poderia captar melhor a luz, assim como facilitou a troca gasosa.

Todos esses fatores foram oportunos para o desenvolvimento da respiração e da fotossíntese. Obviamente, certos grupos de plantas permaneceram vivendo em ambiente aquático. Mas as que vieram para a terra encontraram menos água, inclusive boa quantidade dentro do solo.

Então, para a sobrevivência no novo ambiente, tiveram que desenvolver certas estruturas peculiares. As raízes lhes permitiram absorver a água subterrânea, além disso os formatos das folhas diminuíram a perda do líquido. Estava assim consolidado o Reino Vegetal.

O reino vegetal é o único que:

  • – produz seu próprio alimento e por isso são conhecidos como organismos autótrofos.
  • –transforma a energia solar em energia química (através do processo de fotossíntese).

reino vegetal 1

Fotossíntese

Fotossíntese é um processo físico-químico, que ocorre dentro das células das folhas clorofiladas (reino vegetal). Como entrada desse processo são utilizados dióxido de carbono e água e geram glicose através da energia da luz solar e liberam também oxigênio.

fotossíntese
Fotossíntese

A fotossíntese foi descoberta em 1778 por Jan Ingenhousz, físico-químico neerlandês. Ele verificou que uma vela colocada dentro de um frasco fechado não se apagava, desde que houvesse também no frasco partes verdes de plantas e o frasco estivesse exposto à luz, ou seja, que na presença de luz, as plantas libertam oxigênio. A experiência depois foi repetida com ratos.

comprovação de que a fotossíntese produz ocigênio
Comprovação de que a fotossíntese produz oxigênio
Jan Ingenhousz descobriu a fotossíntese em 1778
Jan Ingenhousz descobriu a fotossíntese em 1778

O dióxido de carbono utilizado na fotossíntese é o que eliminamos na nossa respiração; quando respiramos inalamos oxigênio e expiramos dióxido de carbono (gás carbônico).

Isso significa também que o reino vegetal é responsável também por utilizar o que não nos serve da nossa respiração (dióxido de carbono), produzir a glicose (base alimentar dos reinos vegetal, animal e hominal – reino de nós homens e mulheres) e também produz o oxigênio que necessitamos respirar para viver.

Ou seja, o reino vegetal é o responsável e também o único reino que transforma a energia solar no nosso alimento e no oxigênio que respiramos; por isso são considerados os produtores da cadeia alimentar.

Estrutura:

Sua estrutura básica é;

  • – raiz….: responsável pela fixação e alimentação
  • – caule.: responsável pela sustentação e transporte de nutrientes
  • – folhas: responsável pela fotossíntese (produção da glicose e do oxigênio)
  • – flores: responsável pela reprodução e
  • – frutos: responsável pela proteção das sementes
estrtutura básica de uma planta
Estrtutura básica de uma planta
  • As árvores são conhecidas no Xamanismo como os seres do “Povo em Pé” e também segundo o xamanismo são os chefes do reino vegetal e portanto são nossos irmãos e irmãs.
  • Eles fornecem oxigênio aos demais filhos da Terra; dão abrigo aos seres que têm asas em seus troncos e galhos; fornecem asilo e conforto aos seres de quatro patas que se aninham aos vãos de suas raízes próximas ao solo e fornecem a matéria prima para a construção dos lares além celulose e borracha que são utilizados das mais variadas formas.
  • O Povo em Pé interage com o Povo de Pedra (reino mineral) dando, recebendo e preenchendo as necessidades de cada um.
  • O Povo em Pé percebe as necessidades de todos os filhos da mãe terra e se esforça para atendê-las.
  • Cada árvore e planta possui seus próprios dons, talentos e habilidades a serem compartilhados. Por exemplo, algumas árvores nos dão frutos, enquanto outras fornecem curas para distúrbios em nossos níveis emocionais ou físicos.
  • As Plantas possuem campo energético que pode ser percebido e medido através de radiestesia.
  • Já existem estudos científicos que comprovam que as plantas sentem, tem sentimentos e gostam de músicas melodiosas e são telepatas.
  • O estudo que demonstrou que as plantas são telepatas ocorreu em 1966 com Clive Backester, agente da CIA, especialista em máquinas de detectar mentiras.
  • Ele ligou uma dessas máquinas a uma planta e colocou cada um dos eletrodos em cada lado de uma das folhas da planta que havia em seu escritório, ele pensou em queimar a folha. Ao pensar isso o traçado do polígrafo deu um violento salto.
  • A planta já havia respondido pelo seu medo, pelo pensamento de Backester.
  • O reino vegetal possui também dons “curativos”, pois como tudo no universo é energia vibracional o reino vegetal também é energia vibracional.
sentimos as vibrações emanadas pelas plantas
Sentimos as vibrações emanadas pelas plantas

Como dito, sua energia pode ser medida através da radiestesia. Cada vegetal possui seu padrão vibratório específico. O corpo do ser humano é constituído 70% por água que é concentradora do elemento vegetal e carrega a força vegetal fazendo com que ela seja mais facilmente absorvida pelo nosso espírito.

Somos sensíveis aos parões vibratórios do reino vegetal
Somos sensíveis aos parões vibratórios do reino vegetal

Usos:

Portanto o aproveitamento terapêutico através do reino vegetal é bem vasto e pode ser atingido de diferentes formas, como:

– Chás: infusão de ervas em água; importante não deixar a água ferver.

Chá
Chá

– Banhos: Prepara-se um chá e toma-se banho com o chá preparado.

Banho de ervas
Banho de ervas

– Bate folhas: usa-se um ramo de folhas e bate as folhas no corpo para limpá-lo energeticamente (no rosto e cabeça recomenda-se apenas passar).

Bate folhas: usado para limpeza energética
Bate folhas: usado para limpeza energética

– Jornada do vegetal de poder: jornada realizada com terapeuta xamânico onde a pessoa irá encontrar seu vegetal de poder e o próprio vegetal irá informar à pessoa como ela deve utilizá-lo e quais benefícios alcançar com ela.

– Cachimbo sagrado: Tradicionalmente é utilizado para permitir falar a verdade e curar relacionamentos feridos ou rompidos (o famoso cachimbo da paz).

– Uso de incensos: Acender incenso no ambiente ou queimar um vegetal no ambiente. A energia vibracional do vegetal será propagada no ambiente além de permitir às pessoas a se beneficiar também da aromaterapia do cheiro exalado.

Incensos de ervas também trabalham a vibração emanada
Incensos de ervas também trabalham a vibração emanada

Medicina da Floresta:

Existem também as medicinas da floresta que aceleram o processo de autoconhecimento e transformação pessoal através dos estímulos energéticos que as ervas fornecem ao nosso espírito:

Ocorre uma expansão de consciência quando em contato com as vibrações dos reinos vegetal, animal e mineral
Ocorre uma expansão de consciência quando em contato com as vibrações dos reinos vegetal, animal e mineral

– Ayahuasca: trata-se de uma bebida ritualística feita com ervas na Amazônia. Seu consumo numa cerimônia traz propriedades capazes de expandir a consciência possibilitando a percepção de sabotagens psicológicas e aflora o potencial humano através da conexão com sua essência divina.

– Rapé: Uso de tabaco moído, raspado ou pilado misturado com outras ervas, inalado ou aspirado via nasal.  Quando preparado e utilizado conforme a tradição indígena serve para combater o cansaço, a ansiedade, a depressão e o estresse.

Ritual de Rapé
Ritual de Rapé
Rapé - trabalha cansaço, ansiedade, depressão, estresse e permite expansão de consciência
Rapé – trabalha cansaço, ansiedade, depressão, estresse e permite expansão de consciência

– Sananga: É um colírio indígena, preparado a partir de um arbusto. Sua utilização causa dor intensa na visão por 3 minutos e após isso a dor começa a aliviar. Quando a dor passa é possível ver tudo de forma diferente e mais intensa. Apazigua a mente, propiciando melhor visão (interna), discernimento e equilibra as emoções.

– Ritual de purificação: Trata-se de um ritual na tenda do suor ou Temascal.

Tenda do suor Ou Temascal diferem pelos materiais de construção dessa tenda, mas ambas possuem o objetivo de purificação.
Nesse ritual conduzido por um mestre de cerimônia (terapeuta xamânico) entra-se em uma tenda de joelhos para ter a consciência de sermos humildes e compreendermos que somos de mesma importância que os demais seres de qualquer reino (vegetal, mineral, animal ou hominal).
A tenda representa a mãe terra e reproduz ali dentro um universo completo. São tratados os quatro elementos, as quatro direções e conseguimos nos sentir parte integrante do todo, do planeta Terra.
O calor da tenda é produzido com o uso de pedras quentes que representam a Terra, natureza indestrutível e eterna do Grande Espírito.
O fogo que está nas pedras representa o Espiritual que dá vida à tudo.
O buraco no centro onde ficam as pedras representam O Espirito criador do universo.
Existe um ritual de entrada, de permanência e de saída da tenda que dá aos participantes a percepção de como se relacionar com tudo o que existe no universo: A Terra, o Espiritual, os minérios, as plantas, animais, as outras pessoas, as quatro estações, suas emoções, seus pensamentos, seus rumos (representados pelas 4 direções).
Trata-se de um ritual de purificação, pois através dele a pessoa irá se limpar de tudo o que não lhe serve mais (no seu espiritual, mental, emocional e físico) para poder dar espaço aos seus novos conteúdos.

Resultado de imagem para Energia do reino vegetal...

Imagem relacionada

Receber as Energias das Plantas na Cura das Emoções e Pensamentos…

Plantas uma de ordem superior (mais abrangente), também chamada espiritual, outra de ordem inferior (um pouco mais limitada) que constitui a estrutura do que chamamos mundo material e a terceira denominada energia marginal.  

Energia das Plantas!

As almas espirituais (que têm como principal atributo a consciência) são unidades indivisíveis da energia marginal, pois podem estar ora em contato com a energia espiritual, quando em estado de consciência pura, ou podem estar em contato com a energia inferior, quando perdem a pureza original.  

Plantas e o processo de fusão  

Ao converterem matéria em energia, pela fusão dos núcleos dos átomos, as estrelas produzem uma incalculável quantidade de energia que é liberada na forma de radiação eletromagnética em diferentes frequências, desde ondas no espectro visível (luz) ou invisível (infravermelhos, raios X, raios ultravioletas, gama etc).  

Depois, em um segundo estágio (quando todo Hidrogênio disponível foi transformado em Hélio), pela fusão dos átomos de Hélio, forma-se átomos de Carbono e Oxigênio, e pela fusão destes formando elementos mais pesados (todos os demais elementos químicos) e sempre liberando energia, até que a estrela complete seu próprio ciclo e, dependendo de seu tamanho (na verdade sua massa) ela poderá explodir, injetando grandes quantidades de todos esses elementos produzidos em seu interior para o espaço, onde formarão a base da vida.  

Plantas

A Energia e as Plantas …

Tomemos como exemplo o microfone e o alto-falante: o primeiro transforma sons em corrente elétrica, enquanto o segundo transforma corrente elétrica novamente em sons.  

Além das energias grosseiras (matéria orgânica, inorgânica, calor, eletricidade, etc), existem as energias mais sutis que participam dos processos corpóreos e mentais e que auxiliam as entidades viventes na manutenção do corpo.  

As plantas são excelentes absorvedoras dessas energias sutis, absorvendo-as, processando-as, devolvendo-as ao meio ambiente e mesmo distribuindo-as entre as outras formas de vida do planeta.  

O desenvolvimento da capacidade de visualizar ou sentir essas energias permite-nos adentrar em um mundo fascinante, o mundo das sutilezas e seus atores, participes e coadjuvantes.  

Entender as plantas 

Devemos, pois, entender que as plantas desenvolvem uma estreita ligação conosco.  

Ao interagir amorosamente com suas plantas, elas também passarão a, de certo modo, proteger a pessoa amada de uma forma mais sutil e poderosa que possamos imaginar.  

Temos, entretanto, que abrir mão de nosso estado “normal” de vigília e entrarmos num estado meditativo, via relaxamento, focando nossa atenção.  

Estando em um estado profundo de relaxamento, o que segue é uma simbiose com a planta, estado este que já é conhecido pelos xamãs e pelos povos da floresta, que têm o hábito abraçar uma árvore para trocas ou renovação de energias.  

Sentem o pulsar da seiva, a amplitude da superfície das folhas, a total consciência do ambiente externo numa sensação de paz, um sentimento profundo e incomumente agradável.  

Com a prática e, no curso do tempo, essa interação proporcionará percepções e emoções mútuas que se complementam numa simbiose psíquica cada vez mais constante e natural.  

Na década de 60 

Na década de 60, uma descoberta fantástica aconteceu de forma inteiramente inesperada.  

Cleve Backster, um famoso perito em polígrafos (aparelhos para detecção de mentira), conectou os eletrodos de sua máquina nas folhas de uma Dracena massageada.  

Teria a planta tido uma reação emocional ou fora tudo apenas uma resposta fisiológica à passagem de uma corrente elétrica através da folha?  

Bom, para descobrir, Backster teria que causar uma situação de ameaça à planta e verificar se haveria alguma mudança significativa no gráfico de respostas.  

Após essa descoberta inicial, muitos outros experimentos foram conduzidos com resultados surpreendentes e puderam ser repetidos por outros experimentadores (agora intrigados cientistas) e os resultados plenamente verificados.  

As plantas conectadas aos eletrodos e diante do jornalista puderam fazer oscilar abruptamente a agulha do mostrador, quando ele mentia.  

Foi construída uma máquina que deveria matar alguns camarões sem intervenção humana e de forma inteiramente automatizada numa determinada sala.  

Como fator de controle e para detectar qualquer influência ambiental ou possíveis variações aleatórias na leitura dos polígrafos, alguns desses aparelhos foram ligados, medindo corrente elétrica sem estarem conectados a qualquer planta.  

Na Cultura Védica, que floresceu na Índia até cerca de 5.000 anos atrás, as plantas ou qualquer forma de vida eram tidas como cidadãs e, portanto, passiveis de proteção pelo Estado.  

Os Celtas acreditavam na figura suprema da Deusa-Mãe e em divindades elementais (do ar, da água, do fogo e da terra), que são uma extensão da Deusa-Mãe (assim como no hinduísmo, onde Brahma, Vishnu e Shiva são manifestações do Deus único Brahman).  

Assim, os Celtas tinham uma relação especial com as árvores, como era o caso do carvalho (ligada à sabedoria e aos druidas), o freixo (ligado à proteção), o salgueiro (ligado às divindades da água), etc.  

Os florais de Bach 

Os florais de Bach, denominação usada para designar a terapia desenvolvida pelo médico inglês Dr. Edward Bach, agem diferentemente da Fitoterapia.  

Verificou que certos estados de desequilíbrio, quais sejam, orgulho, crueldade, ódio, medo, ignorância, instabilidade, inveja, raiva, insegurança, depressão, ansiedade, terror, intolerância e egoísmo conduzem o organismo a um estado mórbido.  

A terapia com florais é a que mais se aproxima de nossa essência, pois considera que os estados mentais em que nos encontramos influenciam o soma, o corpo, induzindo uma mudança sutil, porém eficaz em nossas disposições negativas.  

Cura da Alma 

De acordo com os ensinamentos do Xamanismo, as plantas são o “povo de pé”, como nós, possuem consciência e uma missão neste planeta.  

Estão aqui, neste planeta escola para auxiliar na evolução de nossa consciência, oferecendo uma vibração poderosa e curativa, com poder de eliminar as dores não só do físico, mas da alma.  

Sabemos que como partículas divinas somos compostos do físico, mental, emocional e espiritual e o equilíbrio pleno dá-se momento em que estes quatro aspectos estiverem em harmonia.  

Plantas Resultado de imagem para Energia do reino vegetal...

Se estudarmos a história, veremos que desde o início da humanidade, as plantas sempre estiveram presentes, nos nutrindo, nos protegendo e curando, ou seja, sempre tiveram papel importante na evolução da humanidade.  

Além disso, a utilização do poder das plantas para cura das doenças tanto do corpo físico como das doenças da alma foi amplamente utilizada pelos povos mais sábios.  

Como nossa cultura não ensinar a focar e tratar a causa das doenças, dando atenção somente ao físico, no Ocidente, ao se falar em cura através do reino vegetal, associa-a ao princípio ativo da planta, ou seja, ao efeito das composições químicos do vegetal, que sem dúvidas, atua com grande eficiência no organismo, conhecida como Fitoterapia.  

Conheça a Fito energética 

Gimenes, surge uma inovada e simples maneira de utilização das plantas, a FITOENERGÉTICA, que através da vibração energética do vegetal, ou seja, da energia da planta, cura as doenças e desequilíbrios, não só do físico, mas da alma.  

Nesta senda, podemos dizer que a Fito energética equilibra os aspectos emocionais, mentais e espirituais, agindo no alinhamento dos pensamentos, emoções e sentimentos, que em desequilíbrio são a causa primária das doenças da estrutura orgânica.

Resultado de imagem para Energia do reino vegetal...Download Fitoenergética – A Energia das Plantas no Equilíbrio da Alma (pdf) Gimenes, Bruno José

Resultado de imagem para Chave para ativar o Poder oculto das ervasChave para ativar o Poder Oculto das Ervas- Pdf