O Segredo do número 33…

Resultado de imagem para David Icke – Livro O Grande Segredo.

“Quando os Rockefellers formaram seus Governos do Conselho de Estado para controlar as legislaturas estatais americanas, apoiaram a organização em um edifício numerado 1313. Pela mesma razão, muitas coisas ocorreram em 1933 porque 33 é um número esotérico muito importante, que representa uma freqüência vibracional”.
David Icke – Livro O Grande Segredo em Pdf

Os Anunnaki aparecem no mito da criação babilônico, Enuma Elish. Na versão final ampliada, Marduque, após a criação da humanidade, divide o Anunnaki e atribui-os aos seus postos apropriados, trezentos no céu, trezentos sobre a Terra (3-3). Em agradecimento, os Anunnaki, os “Grandes Deuses”, construíram Esagila, a esplêndida: “Eles ergueram a cabeça de Esagila igualando-a a Apsu. Tendo construído um palco torre tão elevado quanto Apsu, puseram em cima dele uma morada para Marduque, Enlil e Ea.” Então, eles construíram seus próprios santuários.– http://pt.wikipedia.org/wiki/Anunnaki
33º GRAU: SOBERANO GRANDE INSPETOR GERAL: É o último grau. Fecha o ciclo de estudos. É, em última análise, o maçom mais responsável pelos destinos da Maçonaria no país. É o guardião, mestre e condutor da Maçonaria.

Em 12 de abril de 1945, o presidente Franklin D. Roosevelt teve sua “morte súbita” com uma hemorragia cerebral, em Warm Springs, Geórgia, situada no Paralelo 33, suas últimas palavras foram: “Estou com uma dor de cabeça terrível“. Os registros médicos dele desapareceram. Roosevelt foi substituído por Harry S. Truman, um maçom do Grau 33. Semanas mais tarde, Truman ordenou o ataque a Iroshina e Nagazaki com bombas nucleares, local situado no Paralelo 33. Dois anos mais tarde, houve o “incidente” de Roswell no Novo México que fica também no mesmo Paralelo 33, onde foi encontrado o OVNI e os corpos dos ET’s. Durante a presidência de Harry S. Truman, A CIA foi criada pelos membros da Elite da Inteligência Britânica.

O logotipo das Nações Unidas em azul Franco-maçon com 33 seções dentro do círculo de acordo com os 33 graus oficiais do Rito Escocês da Maçonaria.
John Kennedy foi assassinado em Dallas – Texas, no Paralelo 33. Houve 33 Presidentes dos EUA geneticamente relacionados com duas pessoas: o Rei da Inglaterra Alfred, o Grande, e o famoso monarca da França no século 9, Carlos Magno que foi um maravilhoso servo da Fraternidade Babilônica.

O fim da primeira guerra mundial foi em 11 de novembro, as 11 da manhã (3×11=33) e Hitler se matou exatamente as 3:30 da tarde do dia 30 de Abril de 1945. Após o auto atentado do 11/9, os EUA atacaram o Iraque (Bagdá), situado exatamente no Paralelo 33. Atualmente os EUA pressionam o Irã por questões nucleares, e o Irã está localizado também no Paralelo 33. As pedras da Geórgia (Georgia Guidestones) estão no Paralelo 33. O Golfo do México também está localizado no Paralelo 33. Os 33 mineiros do Chile (deserto do Atacama) localizado no Paralelo 33 SUL. Dante Alighieri (O grande iniciado) em sua obra, “Divina Comédia”, dedica 33 Cantos ao Inferno, 33 ao Purgatório e 33 ao Paraíso.

Sinete no Anel de Salomão com o Diagrama do Selo, Ísis Sem Véu, de Helena Petrovna Blavatsky.
Phoenix (USA) ou pelo acrônimo “Vale do Sol” está no Paralelo 33. O primeiro templo de Salomão tinha 33 anos de existência (um cubo que media 33 pés e um terço) quando foi pilhado pelo rei Sisaque do Egito. Salomão é tido como a maior fonte de sabedoria do Antigo Testamento, e significa SOL escrito em 3 línguas distintas: SOLOMON / SolOmOnSol (Latim), Om (Semita, oriental) e On (Egípcio).
Jesus e Alexandre “o grande” morreram aos 33 anos. O Rei David reinou durante 33 anos em Jerusalém. Jacob tinha 33 filhos. O Livro Tibetano dos Mortos fala dos 33 céus governados por Indra e os 33 governados por Mara. São 33 os deuses védicos. São 33 ciclos lunares da gestação. A celebração judaica Lag Baômer significa “33º do Ômer“. 33 é um dos símbolos da KuKluxKlan (K é a 11ª letra do alfabeto, 3×11=33). Na Cabala, há 33 caminhos que servem de pontes entre as “Sefirots” da árvore sefirotal ou árvore da vida. O 33 representa o “Sephirah Datht” (a Sefirot invisível) que os Rabinos chamam de “Conhecimento”. É a esfera de mais difícil acesso, e cujo significado é revelado aos magos, “iluminados” e aos santos. Na numerologia espiritual, os números 11, 22 e 33 são os três “números-mestres“, sendo o 33 o mais alto.
O Livro 1 de Vishnu-Purana diz: “Essas 33 divindades existem era após era, e o aparecimento e desaparecimento delas está no mesmo número em que o Sol se põe e nasce novamente”.
33 é segundo a escala de Newton, a temperatura que a água ferve. 33 em binário é 100001. O número 33 representa o magnetismo. O Arsênio que é uma substância letal que tem número atômico 33 (33 prótons e 33 elétrons), e Arsênio em grego significa: “forte, viril”.
Há 33 voltas completas na sequência do nosso DNA e 33 vértebras no corpo humano. A divina partícula de Max Plank da mecânica quântica é 10 elevado a -33cm. Em algarismos Maias, o 33 tem um desenho muito parecido com uma pirâmide. Na pirâmide de Quéops tem uma câmara subterrânea a aproximadamente 33 metros abaixo do nível do leito de rocha, ou a 25 metros abaixo da base da pirâmide. Na mesma pirâmide, há 33 Câmaras no total.

 

Títulos das 33 Câmaras da Grande Pirâmide de Quéops:
1. Consciência;
2. Cultura, Linguagem e Grafologia;
3. O Espírito;
4. Quadratura do Círculo (Quarta Dimensão);
5. Saturação das Massas Polares;
6. Criatividade do Homem;
7. Desintegração do Átomo;
8. A Lei das Probabilidades;
9. Ascensão e Descensão (População Constante de Espíritos) (Leis Cósmicas para o Super-Homem);
10. Percepção Extra-sensorial;
11. Casuística Interatuante dos Karmas e Darmas (causa e efeito);
12. Principal Motivação das Paixões;
13. Cargas de Eletricidade Inalteráveis;
14. Corpos Celestes ou Astrais;
15. Sattory e a Plenitude da Consciência;
16. Câncer (O que é? E sua cura);
17. Ritmo Pulsante da Vida;
18. O Sangue e a Clorofila;
19. O Estado Alienante do Ser (Neuroses e angústia);
20. Os Linfócitos (Preventivos do câncer);
21. A Lei do Karma-Darma;
22. A Lei das Aparências (Lei da Relatividade);
23. Lei dos Semelhantes ou Paridade;
24. Subestruturas atômicas;
25. Curso Rios e Mares;
26. Espécies Marítimas;
27. Ocularis;
28. Áudio;
29. Sutras;
30. Mantrans;
31. Creação;
32. Estações do Ano;
33. Kan.

São 33 símbolos da Ordem Maçônica, onde o 33 representa o ápice da pirâmide !!!

Na simbologia SOLAR, quando Jesus (Sol) morre com 33 anos na cruz, simbolizada pela Constelação de Alpha Crucis e após 3 dias “ressuscita” (Sol movendo-se novamente), é adicionado mais um 3 e formando o “333” do anel de Salomão. Essa é uma Simbologia da “morte” na materialidade (3D) e Re-nascimento na espiritualidade (4D).
Van Buren disse: “Jesus esteve no sepulcro por três dias após sua crucificação; um símbolo para nós dos passos que o homem precisa dar para renascer. O número ‘333’ fala da morte, ressurreição e ascensão“.
Cada “3” do número 33 pode ser visto como um triplo, do mesmo modo que um triângulo tem três lados: 3+3+3=9.
Nos templos da Atlântida e no Egito, o candidato à iniciação passava por NOVE GRAUS, ou então os três graus triplicados, nos mistérios.
Esses graus simbolizavam a RE-entrada no útero para que, após três vezes três meses de gestação(9), RE-nascesse no mundo da consciência espiritual.
Uma curiosidade sobre a data do suicídio de Hitler, que foi em 30/04/1945, ou seja, 3+0+4+1+9+4+5 = 36, onde 3+6 = 9. E outra curiosidade é a data em que Adam Weishaupt fundou a “ordem Illuminati“, em 01/05/1776, ou seja, 1+5+1+7+7+6 = 27, onde 2+7 = 9.

Matemática simbólica de Quéops:

Cálculos minuciosos foram feitos na grande Pirâmide de Gizé (Quéops), e constatou-se que sua altura original era de 146,6 metros, que multiplicada por um bilhão, corresponde aproximadamente a mesma distância entre a Terra e o Sol, que é 149.450.000 Km. O perímetro da Pirâmide é equivalente aos dias do ano (365,24) e dobrando-se este perímetro, obtém-se o equivalente a 1 minuto e 1 grau no equador, que é a distância da base até seu ÁPICE pelo declive de um dos lados.

Constatou-se também que um meridiano que passe pelo centro da Pirâmide, divide continentes e oceanos em duas metades exatamente iguais, ou seja, o CUME da Pirâmide é o centro geográfico do planeta. Outra constatação foi que a circunferência da Pirâmide, dividida pelo dobro de sua altura, resulta no famoso número de Ludof, (Pi=3,1416). As medidas da Pirâmide fornecem cálculos sobre o peso da Terra e sua localização dentro do Sistema Solar. O solo rochoso sobre o qual se levanta a construção foi cuidadosa e exatamente nivelado. São 31.200.000 toneladas de peso, 2 milhões e 600 mil blocos gigantescos, onde cada bloco da pirâmide é exatamente 1,618 vez maior que o bloco do nível acima. As câmaras no interior dessas pirâmides foram projetadas de tal modo que seu comprimento é 1,618 vez a sua largura – Razão Áurea.


Uma linha prolongada para o norte através do encontro das diagonais da base iria tangenciar o pólo norte a uma distancia de apenas 6.400 metros, sempre considerando que o pólo norte poderia ter mudado de posição nos séculos que se seguiram à construção da Pirâmide.
O “côvado piramidal” (antiga medida egípcia) de 50 polegadas é quase igual o metro, mas é na realidade mais exato, pois se baseia no comprimento do eixo polar em vez do eixo de qualquer meridiano, que pode mudar de acordo com os contornos da Terra.
O eixo polar da Terra muda de posição no espaço de dia para dia, e alcança a sua posição original uma vez a cada 25.827 anos, um número que aparece nos cálculos da Pirâmide (25826,6), quando as diagonais cruzadas das bases são adicionadas – “Ponto Zero” ou Zep Tepi.

Conclusão:

João 3:3; Jesus respondeu, e disse-lhe: “Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus” – (ou melhor, dos deuses).

O número 33 é o ápice da Pirâmide, é o Sol. Simbolicamente é um limite, um estágio alcançado. O Ápice do conhecimento da vida na materialidade (3D). Na simbologia da nota de um dolar, a materialidade é parte da Pirâmiude de tijolos que está inacabada.

Se você assistiu o filme “Contatos de 4 grau“, que é baseado numa história real e que mostra cenas reais das hipnoses realizadas pela Dra Abigail Tyler, onde no minuto 33 aparece na cena a Dra sentada na cama falando ao seu gravador e mostrando seu rádio relógio que era 3:33 da manhã e que foi exatamente o horário em que ela foi abduzida. Nas demais cenas onde o Ovni aparece sobre sua casa, e que foi gravado por uma camera de um carro policial. O ovni chega e distorce as imagens por causa de interferencias eletromagnéticas. Parece haver uma ligação das abduções bem nesse horário. Veja outro trailer AQUI.

 No “mapa oculto da Terra” vemos que existe uma malha magnética que envolve a Terra, e há “nós” nela. Em cada , há uma “passagem” ou portal. Seria a justificativa científica para os milhares de sumiços de aviões e embarcações no Paralelo 33 no Triângulo das Bermudas? Seriam esses nós, usados como passagem dimensional? As evidências são gritantes, os dados existem e mesmo que pareça absurdo, tudo nos leva nessa direção.

Já o olho dentro da Pirâmide iluminada é o terceiro olho, a Glândula Pineal que é o nosso canal dimensional, nosso acesso a 4D (e outras) em nossos corpos 3D.
As palavras em João 3:3 descrevem exatamente essa “passagem”. O problema é que esse chamado “Reino de Deus” ao qual se refere, é o nível mais “baixo” da 4D, onde “ELES” controlam nossos ciclos reencarnatórios, e é por isso que é chamado de “Reino” … é o “reino dos deuses” (no plural). Perceba que “Reino” é uma palavra que denota claramente um sentido hierárquico, que é típico de um Cérebro Reptiliano.

A “passagem” além do 33 maçônico representa justamente conhecer essa realidade, e simbolicamente isso o leva ao grau de nível “34”, ou seja, um Illuminado iniciado, um ILLUMINATI (iluminado no sentido de saber, conhecer). Essa simbologia e essa obsessão pelo 33 tem uma retratação com esse contato com os “deuses” Anunnaki. Hoje sabemos que de fato muitos avistamentos de ovnis são “materializações e desmaterializações, ou seja, naves e seres que se materializam e desmaterializam. Veja esse documentário de José Escamilla e julgue por você mesmo.

Já prosseguindo o “caminho” dentre os próximos graus Illuminati, finaliza no grau 72.

Na Precessão do Equinócios, a Terra se move 1 grau a cada 72 anos exatos. A Terra possui uma MALHA energética de 4 mil pontos/nós ligando essa malha. Os principais estão no Paralelo 33 norte e sul, onde estão os portais dimensionais citados acima. Fonte

Obs: “Arkansas, onde se iniciaram as atuais mortes misteriosas de pássaros e peixes, fica também no Paralelo 33” …

Grande Abraço!

Esse link abaixo vai te deixar no mínimo intrigado:
http://www.bibliotecapleyades.net/sociopolitica/esp_sociopol_illuminati_14.htm

VÍDEO SOBRE DAVID ICKE E O DESPERTAR GLOBAL-LEGENDADO

A Realidade Bariônica…

A origem de todas as estruturas não está na Matéria Bariônica, mas em outros planos além, que vocês chamam de Espiritualidade, Imaterialidade e Universo Primordial. Todos esses nomes têm como objetivo determinar uma origem além da realidade atômica que vocês definem como fisicalidade.

O fator que poucos se deram conta em todo esse processo é que a realidade bariônica representa cerca de 4% a 5% do total do universo existente, sendo que a estrutura Imaterial da Energia Escura e da Matéria Escura compõem os 95% restantes aproximadamente. Além dessas duas existem outras que representam o Reino dos Voronandecks e de suas estruturas originárias, onde muitos Filhos Paradisíacos residem em energia e em consciência e não em corpo ou mesmo em Espírito. O Reino dos Criadores Imateriais reside muito além do conceito de universo e de galáxias como vocês entendem, pois na realidade deles o universo é composto de energia e de aglomerados de energia e radiações sem uma forma definida, pois a estrutura desses seres e de suas consciências é composta dessas mesmas energias.

Quando se vislumbrou a nova oportunidade da formação do universo cósmico pelo Conselho Voronandeck e seus outros grupos, antes mesmo de sua formatação oficial, milhões de consciências desejaram fazer parte dessa proposta. A realidade bariônica é uma novidade, por assim dizer, como já deixamos claro em outras partes deste livro. São bilhões de consciências que desejam ter experiência na fisicalidade e em suas diferentes densidades atômicas. Portanto, o coeficiente de entidades desejando entrar nesses 4% a 5% de fisicalidade bariônica é muito maior do que podem imaginar.

O que representa um fator de risco, devido ao elevado gradiente de fertilidade de todas as espécies que continuam se expandindo no universo, até que isso gere um processo caótico em alguns dos grupos, esgotando recursos naturais de seus mundos originais, como já ocorreu com grupos de aviários e está se demonstrando na sociedade terrestre com a super população mundial.

Como já foi colocado, quando uma consciência do plano imaterial penetra na realidade física, a maior parte de sua consciência se perde e uma parte de suas informações também. Isso é mais determinante nos mundos mais densos onde os hologramas estão presentes, portanto estabelecer uma civilização com pleno conhecimento da realidade imaterial é bem mais difícil do que se imaginava e se propôs inicialmente. Por esse motivo, o código MCM foi tão importante e significativo para manter a transferência de informações e memórias cósmicas imateriais na estrutura do universo bariônico. O elevado índice de nascimentos em todas as raças no universo, representa essa proporção de consciências e seus respectivos Espíritos querendo penetrar na estrutura do universo bariônico e de suas milhares de possibilidades que vocês denominam de Multiverso, para ter experiências que não existem nos planos da imaterialidade.

Chegamos então à conclusão de que não existe evolução como vocês entendem, mas que o Espírito e a estrutura do Eu Sou buscam, na verdade, ter experiências novas através do processo encarnacional. Com isso, ocorre uma significativa mudança de valores, pois vocês foram ensinados que o Espírito e a Alma evoluem na Terra. Porém, se analisarem friamente a vida de cada um de vocês, vão verificar que não há evolução no decorrer de suas vidas. Quando se perde a memória em mundos em quarentena, o processo se torna literalmente numa prisão, formatando hologramas que sustentam a chamada Matriz de Controle. Uma forma de controle comum de acordo com a estrutura necessária para manter o ciclo reencarnacional de aprisionamento e de controle neural nos mundos em Quarentena.

Em sua Galáxia chamada por vocês de Via Láctea, existem cerca de 240 planetas em quarentena criados especificamente pelas Federações, bem como a Terra. E outros 1.270 planetas em quarentena decorrentes de processos políticos que optaram por se isolar das Federações, criados através de elevada tecnologia e isolados em bolhas Dakar, que não fazem acordos ou parcerias com grupos externos.

A realidade dentro de um corpo, independente de qual seja sua raça e estrutura, é algo inédito para seres e consciências que vivem na estrutura ilimitada da energia imaterial. Quando entram parcialmente num corpo biológico, surge a oportunidade de uma nova forma de vida e de experiências que não existem no plano imaterial. Possuir um corpo com seus diferentes sentidos e limitações é algo inédito. No entanto, é preciso retornar ao plano imaterial, o que nem todos conseguem e muitos também não desejam, pois acabaram conhecendo um fator que antes não existia, que é chamado de “Poder”.

Na realidade imaterial não existe a busca pelo poder, pois ele existe como algo natural e não há disputas entre semelhantes, já que não existe a limitação do corpo biológico e das posses que isso gera. São apenas consciências dentro de um multiverso imaterial atemporal, mas ao ocupar um corpo biológico, são obrigadas a enfrentar as limitações desse mesmo corpo, desejos e sensações que uma consciência não possui. Desta maneira, para suprir e controlar suas necessidades, nasce o poder e a intenção de perpetuar esta experiência, gerando assim a busca pela eternidade do poder e pela imortalidade. Cerca de 45% a 53% das consciências que entram na estrutura bariônica não desejam retornar ao plano original de seu Eu Sou, pois o Poder os mantém numa condição diferenciada, perdendo assim as poucas lembranças da imaterialidade.

O contingente de consciências que ficam por bilhões de anos na realidade bariônica postergando a sua reintegração ao plano imaterial é bem maior do que muitos imaginam. O que tem demonstrado que a experiência na fisicalidade é extremamente forte e determinante para muitos, pois em geral se perde grande parte das lembranças e equivalência cognitiva entre as diferentes realidades do plano imaterial com as da materialidade, gerando com isso um afastamento gradual. Por esses motivos os Sete Samurais colocaram seus agentes, como o Mago Yaberin para estabelecer uma ponte entre esses universos tão distintos. Mas mesmo assim existe a escolha, que é respeitada. Assim sendo, a separação acabou ocorrendo entre vocês e muitos de seus fractais de Alma.

Por esse motivo que, independente de seus fractais, cada um deve iniciar sua jornada e elevar seu padrão de consciência para poder sair da malha de controle exercido pelos hologramas e pela rede neural dos sistemas de emissão de TV, rádio e celulares, que geram mais de 75% das emissões de controle neural e de redução sensorial da humanidade. Ao alterar seu padrão individual, é possível sair das frequências convencionais e iniciar uma nova fase de mudanças e estruturas de conexão com os corpos superiores e desta maneira, romper as limitações do padrão vibracional da Barreira de Frequência que envolve a Terra há milhares de anos. Cada um de vocês é capaz de fazer essas mudanças, mas precisa tomar decisões e estabelecer uma forma nova de atuação frente às profundas mudanças estruturais que a sociedade vive no momento. Fonte

O que é matéria bariônica?

  • É a matéria comum, formada basicamente de elétrons, prótons e nêutrons.

Excesso de Antimatéria é causada por Pulsar e não pela Matéria Escura…

Resultado de imagem para EXCESSO DE ANTIMATÉRIAQuando a gente olha para o universo a gente só vê uma pequena porção dele, aquela parte da luz visível. Mas nós sabemos que tem muito mais coisa escondida ali, se considerarmos os demais comprimentos de onda do espectro eletromagnético. Mas o próprio espectro eletromagnético é uma pequena porção do que existe no universo para ser observado.

Existem outras maneiras de observar o universo e que veem ganhando cada vez mais espaço, uma dessas maneiras é através da onda gravitacional. E uma outra maneira ainda é por meio do que conhecemos como raios cósmicos. Os astrônomos acreditam que estudando o universo através dos raios cósmicos é possível, por exemplo, entender o que é a matéria escura. Isso graças a um excesso de antimatéria, ou melhor dizendo de pósitron de raios cósmicos, identificado na vizinhança da Terra. Porém, novas observações realizadas recentemente indicam que esse excesso não é causado pela matéria escura e sim por um pulsar. Mas antes vamos entender como os raios cósmicos são produzidos, para isso é preciso ter uma fonte astrofísica de alta energia.

Quando os raios cósmicos atingem a atmosfera da Terra eles criam um verdadeiro chuveiro de partículas e de radiação. Se você tem detectores no espaço é possível registrar diretamente as partículas.

Existem muitas coisas no universo que são conhecidas por criar pósitrons, a antimatéria que é a contrapartida dos elétrons. Uma dessas coisas é uma estrela de nêutrons, uma estrela de nêutrons é o núcleo deixado para trás depois que uma estrela mais massiva que o Sol explode como uma supernova.

Algumas estrelas de nêutrons que giram rapidamente emitem feixes de radiação como se fossem faróis e são chamados de pulsares. Em 1972, o Small Astronomy Satellite da NASA descobriu um pulsar chamado de GEMINGA, que é um dos pulsares mais brilhantes em raios gamma. Esse pulsar está localizado a cerca de 800 anos-luz de distância da Terra, o que é muito próximo em termos astronômicos e que fica na constelação de Gemini (Gêmeos). GEMINGA significa Gemini Gamma-ray Sources, ou fonte de raios gama da constelação de gêmeos.

Em Março de 1991, a missão ROSAT da Alemanha, identificou o GEMINGA como sendo um pulsar com um período de rotação de 4.2 vezes por segundo. Um pulsar é naturalmente circundado por uma nuvem de elétrons e pósitrons. O intenso campo magnético de uma estrela de nêutrons puxa as partículas da superfície do pulsar e as acelera à velocidades próximas da velocidade da luz.

Os astrônomos resolveram observar o pulsar GEMINGA com o AMS-2 que está instalado na ISS e com o Fermi. Os astrônomos conseguiram então detectar um halo de raios-gama no GEMINGA, mostrando como a emissão muda em diferentes energias. As medidas mostraram que só esse pulsar GEMINGA seria responsável por cerca de 20% dos pósitrons de alta energia detectados pelo experimento AMS-2, ou seja, na vizinhança da Terra.

Ao extrapolar esse resultado para os pulsares conhecidos na nossa galáxia os cientistas puderam concluir que são os pulsares e não a matéria escura como era esperado os responsáveis pelo excesso de antimatéria detectada nas vizinhanças da Terra.

Essa é uma das grandes vantagens da chamada astrofísica multimenssageira, é possível observar o universo usando múltiplos sinais, como os raios cósmicos e assim entender cada vez mais o universo que nos cerca. Fonte

EXCESSO DE ANTIMATÉRIA

A TERRA ESTÁ SENDO ATINGIDA POR MUITA ANTIMATÉRIA

Em meio aos raios cósmicos de alta velocidade que caem sobre nós das profundezas do espaço, há um grande número de partículas de antimatéria chamadas pósitrons. Os astrônomos pensam que a Terra está sendo atingida por esses “anti-elétrons” por causa dos pulsares, só que há mais dessas partículas vindo para nós do que deveria. E agora, graças a um novo estudo, podemos finalmente obter algumas respostas.

Ilustração.

Os raios cósmicos são partículas incrivelmente rápidas. Os pósitrons compõem uma pequena porcentagem dessas partículas super rápidas, mas ninguém está absolutamente certo de onde ou como elas são feitas. Para tornar as coisas mais confusas, em 2008, uma sonda na órbita da Terra chamada PAMELA detectou mais pósitrons de alta energia nos atingindo do que esperávamos.

Uma grande equipe de pesquisadores internacionais analisou as medidas recentes do High-Altitude Water Cherenkov (HAWC), no México para testar a hipótese de que esse excesso de antimatéria poderia estar sendo causado por poderosos objetos conhecidos como pulsares.

Eles são estrelas de nêutrons que canalizam as partículas carregadas para um feixe com seus campos magnéticos super-fortes. Os pesquisadores chegam a essa conclusão descrevendo um círculo à medida que a estrela gira, vista da Terra como uma luz constante e pulsante.

À medida que esse feixe chega a poeiras e gases circundantes, ele funciona como um acelerador de partículas gigantes, esmagando partículas juntas e produzindo novas matérias da energia. Então, quando o observatório da HAWC detectou recentemente um par de pulsares candidatos perfeitos a poucas centenas de anos-luz de distância para estudar sinais desses positrons energéticos, pareceu ser uma boa oportunidade para testar a hipótese.

Após 17 meses de recolha de dados e, depois de analisá-los minuciosamente, os pesquisadores descobriram que os pulsares eram responsáveis por alguns dos pósitrons de energia extra alta, mas o número ainda era pequeno demais para explicar todos eles.

“Uma vez que o envolvimento dos pulsares fechados na geração de pósitrons de alta energia nos alcançando é tão modesto, outras explicações tornam-se cada vez mais prováveis”, diz Sabrina Casanova, pesquisadora do Instituto de Física Nuclear Academia Polaca de Ciências.

O mistério da matéria escura e os pósitrons extra-rápidos permanecem. Por enquanto, só podemos esperar e ver no que vai dar. [ScienceAlert]

Cientistas confirmam novo estado da Matéria – CRISTAIS DO TEMPO…

Do UOL, 31/01/2017

Os diamantes (foto) têm a estrutura normal de cristais, diferente dos cristais do tempo.

Pesquisadores da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, conseguiram fazer um modelo para reproduzir um novo tipo de matéria, os chamados cristais do tempo.

A existência desse novo estado foi proposta pelo Nobel de Física de 2012, Frank Wilczek. A ideia do cientista causou muito debate no meio científico e agora foi reafirmada com o modelo no artigo publicado no Physical Review Letters.

Com base no modelo, duas equipes independentes, uma da Universidade de Maryland e uma da Universidade de Harvard, criaram seus próprios cristais do tempo. Quando esses estudos forem avaliados e publicados, podemos ter a prova final de que os cristais do tempo existem.

“É um novo estado da matéria. Também é muito legal porque é um dos primeiro exemplos de matéria de não-equilíbrio”, diz Norman Yao, coordenador da pesquisa da Universidade da Califórnia e participante dos grupos de pesquisa das outras universidades.

Como é?
Teoricamente, quando um material está no estado de gasto zero energia, é impossível haver movimento. Mas Wilczek previu que no caso dos cristais do tempo isso seria diferente.

Os cristais normais têm uma estrutura atômica que se repete no espaço –como a estrutura de carbono de um diamante. Um rubi ou um diamante não se movem porque estão em equilíbrio quando estão parados, em seu estado zero.

Já os cristais do tempo têm uma estrutura que se repete tanto no espaço quanto no tempo. Eles seriam como uma gelatina. Quando você toca, ela treme. Só que nesse caso, ela não precisaria ser tocada para ficar tremendo. O estado de zero gasto de energia desse cristal é justamente ficar se movendo.

Assim, os cristais do tempo são uma nova forma de matéria, a matéria do não-equilíbrio, pois ela não consegue ficar parada. “No último meio século, exploramos a matéria do equilíbrio, como metais e isolantes. Agora começamos a explorar uma paisagem totalmente nova da matéria do não-equilíbrio”, conclui Yao.

A existência deles pode trazer novos entendimentos sobre o mundo ao nosso redor e também de novas tecnologias como computação quântica.

Fontes:
http://www.lifecoachcode.com/2017/01/30/brand-new-form-of-matter-was-discovered-time-crystals/
https://noticias.uol.com.br/ciencia/ultimas-noticias/redacao/2017/01/31/cientistas-confirmam-um-novo-estado-da-materia-os-cristais-do-tempo.htm

A Terra pode ter Filamentos de Matéria Escura semelhantes a “FIOS DE CABELO”

Um novo estudo propõe a existência de longos filamentos de matéria escura, que se assemelham a “fios de cabelo”.

Por Jet Propulsion Laboratory, em Pasadena, Califórnia
Publicado em: segunda-feira, 23 de novembro, 2015
Fonte: http://www.astronomy.com/news/2015/11/earth-might-have-hairy-dark-matter

Filamentos de matéria escura, semelhantes a fios de cabelo.

Esta ilustração mostra Terra cercada por filamentos teóricos da matéria escura chamados “cabelos”.

Créditos: NASA / JPL-Caltech

O sistema solar pode ser muito mais “cabeludo” do que pensávamos. Um novo estudo propõe a existência de longos filamentos de matéria escura, ou “fios”.

A matéria escura é uma substância invisível, misteriosa, que compõe cerca de 27 por cento de toda a matéria e energia do universo. A matéria normal, que compõe tudo o que vemos ao nosso redor, representa apenas 5 por cento do universo. O resto é a energia escura, um estranho fenômeno associado à aceleração do nosso universo em expansão. Nem matéria escura ou energia escura jamais foram detectadas diretamente, embora muitos experimentos estejam tentando desvendar os mistérios da matéria escura, seja no subsolo ou no espaço.

Com base em muitas observações de sua atração gravitacional em ação, os cientistas estão certos de que a matéria escura existe, e eles têm medido muito do que existe no universo com uma precisão maior do que um por cento. A principal teoria é que a matéria escura é “fria”, o que significa que não se move muito, e é “escura” na medida em que não produz ou não interage com a luz.

Galáxias, que contêm estrelas feitas de matéria comum, se formam por causa de flutuações na densidade de matéria escura. A gravidade atua como a cola que mantém tanto a matéria comum e escura juntas formando as galáxias. De acordo com cálculos feitos nos anos 1990 e simulações realizadas na última década, a matéria escura em forma de partículas como “linhas finas granuladas” se movem na mesma velocidade e orbitam galáxias como a nossa.

“Uma corrente pode ser muito maior do que o próprio sistema solar, e há muitas correntes diferentes que cruzam nossa vizinhança galáctica”, disse Gary Prézeau do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA (JPL), em Pasadena, Califórnia.

Prézeau compara a formação de fluxos de matéria escura à mistura de sorvete de chocolate e de baunilha. Ao misturar uma colher de cada algumas vezes você terá um padrão misto, mas ainda poderá ver as cores individuais. “Quando a gravidade interage com o gás de matéria escura fria durante a formação das galáxias, todas as partículas dentro de um fluxo continuam viajando na mesma velocidade”, disse Prézeau.

Mas o que acontece quando um desses fluxos se aproxima de um planeta como a Terra? Prézeau usou simulações de computador para descobrir. Sua análise descobriu que, quando um fluxo de matéria escura passa por um planeta, as partículas de transmissão concentram-se em um filamento ultradenso, ou “fio” de matéria escura. Na verdade, devem haver muitos desses fios brotando da terra. Uma corrente de matéria comum não iria passar pela Terra e sair do outro lado. Mas, do ponto de vista da matéria escura, a Terra não é obstáculo. De acordo com simulações de Prézeau, a gravidade da Terra iria concentrar e dobrar o fluxo de partículas de matéria escura como uma densa pelagem estreita. Os fios que emergem de planetas têm ambas “raízes”, a mais densa concentração de partículas de matéria escura do cabelo, como as pontas dos fios de cabelos.

Quando as partículas de um fluxo de matéria escura passam através do núcleo da Terra, elas se concentram na “raiz” como um fio de cabelo, onde a densidade das partículas é de cerca de um bilhão de vezes maior do que a média. A raiz de um fio desses deve ter cerca de 600.000 milhas (1 milhão de quilômetros) de distância da superfície, ou duas vezes mais distante que a Lua. As partículas de transmissão que passam pela superfície da Terra irão formar a ponta do cabelo, cerca de duas vezes mais distante da Terra.

“Se pudéssemos identificar a localização da raiz desses fios, poderíamos potencialmente enviar uma sonda lá e obter uma infinidade de dados sobre a matéria escura”, disse Prézeau. Um fluxo que passa pelo núcleo de Júpiter produziria raízes ainda mais densas: quase 1 trilhão de vezes mais densa do que o fluxo original, de acordo com simulações de Prézeau.

“A matéria escura iludiu todas as tentativas de detecção direta por mais de 30 anos. A raiz dos fios de matéria escura seria um lugar atraente para se olhar, dado o quão densa elas seriam, potencialmente”, disse Charles Lawrence da JPL.

Outro achado fascinante através das simulações de computador é que as mudanças na densidade encontradas dentro de nosso planeta – a partir do núcleo interno, para o núcleo externo, do manto para a crosta – seriam refletidas nos fios. Os fios teriam “dobras” onde eles corresponderiam às transições entre as diferentes camadas da Terra. Teoricamente, se fosse possível obter essa informação, os cientistas poderiam usar fios da matéria escura fria para mapear as camadas de qualquer corpo planetário, e até mesmo inferir as profundezas dos oceanos em luas geladas.

Mais estudos são necessários para comprovar esses achados e desbloquear os mistérios da natureza da matéria escura.

Vejam o vídeo do astrofísico Dr. Neil deGrasse Tyson que explica este conceito de maneira didática e bastante interessante e façam suas próprias pesquisas.

Neil deGrasse Tyson explica matéria escura

Em diversas oportunidades temos abordado a teoria que explica a composição do universo. Entre todos os elementos que formam a matéria como a conhecemos, representamos apenas 5% de tudo o que existe. 95% estão divididos entre 25% de matéria escura e 70% de energia escura.

Para quem busca a iluminação e o despertar de consciência, é importante saber que a memória e a lembrança do nosso DNA adormecido está contida nestes 95% desconhecidos.

Buscar a iluminação é um estado de espírito, e isso regenera a memória, a lembrança do seu verdadeiro DNA que está adormecido dentro desses 95% de energia e matéria escura, que não podem ser identificadas no momento pela atual tecnologia e pela postura muitas vezes arrogante da humanidade.

Nova Toria sobre Matéria Escura, tenta explicar a falta de Matéria do Cosmos…

Publicado por: Jolene Creighton em 25 de setembro de 2015

Os cientistas de Lawrence Livermore apresentaram uma nova teoria que pode identificar por que a matéria escura não foi detectada diretamente em experimentos baseados na Terra.

Um grupo de físicos de partículas conhecido como a Lattice Strong Dynamics Collaboration, liderados por uma equipe de Lawrence Livermore National Laboratory, combinaram técnicas de física teórica e computacional usando o supercomputador Vulcan paralelo 2-petaflop do Laboratório para conceber um novo modelo de matéria escura. Hoje eles a identificam como naturalmente “furtiva” ou “stealth” (como a aeronave Stealth, difícil de detectar), mas teria sido fácil de identificá-la através de interações com a matéria comum nas condições extremas de plasma de alta temperatura que permearam o início do universo.

O mapa 3D ilustra a distribuição em grande escala da matéria escura, reconstruído a partir de medições de lentes gravitacionais fracas usando o Telescópio Espacial Hubble.

“Essas interações no universo inicial são importantes porque a matéria comum e escura abundantes hoje são muito semelhantes em tamanho, sugerindo que isso ocorreu por causa de um ato de equilíbrio realizado entre as duas antes do universo ter arrefecido”, disse Pavlos Vranas de LLNL, e um dos autores do estudo, “a Detecção Direta da Matéria Escura “Stealth” através da Polarizabilidade Eletromagnética”.

A matéria escura representa a maior parte de toda a matéria do universo e não interage diretamente com as forças nucleares ou eletromagnéticas fortes e fracas. A luz não reflete nela, e a matéria comum passa por ela com apenas o mínimo de interações. Essencialmente invisível, ela tem sido chamada de matéria escura, mas suas interações com a gravidade produzem efeitos marcantes sobre o movimento de galáxias e aglomerados galácticos, deixando pouca dúvida sobre sua existência.

A chave para a personalidade dual da matéria escura é a sua composição e o milagre do confinamento. Como quarks em um nêutron, em altas temperaturas, esses componentes eletricamente carregados interagem com quase tudo. Mas a temperaturas mais baixas, se ligam em conjunto para formar uma partícula de compósito eletricamente neutro. Ao contrário de um nêutron, que é vinclulado à interação forte ordinária da cromodinâmica quântica (QCD), o nêutron furtivo teria que ser vinculado a uma nova e ainda não observada interação forte, uma forma escura de QCD.

“É notável que um candidato a matéria escura apenas várias centenas de vezes mais pesado do que o próton, pode ser um composto de componentes eletricamente carregados e ainda ter se evadido da detecção direta até agora”, disse Vranas.

Semelhante a prótons, a matéria escura “stealth” é estável e não decai ao longo do tempo cósmico. No entanto, como QCD, produz um grande número de outras partículas nucleares que se decompõem pouco tempo após a sua criação. Estas partículas podem ter carga elétrica mas teriam deteriorado há muito tempo. Em um acelerador de partículas com energia suficientemente alta (como o Large Hadron Collider na Suíça), estas partículas podem ser produzidas novamente pela primeira vez desde o início do universo. Eles poderiam gerar assinaturas originais nos detectores de partículas, porque elas poderiam ser carregadas eletricamente.

“Experimentos de detecção direta ou experimentos no Grande Colisor de Hádrons podem em breve encontrar evidências de (ou descartar) essa nova teoria da matéria escura “stealth” “, disse Vranas. Fonte

Uma ilustração de como filamentos de matéria escura pode aglomerar galáxias (Crédito: AMNH)

Matéria Escura, mais antiga do que o Universo…

Fonte: HypeScience

Um novo estudo da Universidade Johns Hopkins (EUA) sugere que, ao invés de ser um resíduo do Big Bang, a matéria escura foi criada na verdade antes dele.

Matéria escura: origem

A matéria escura é um tipo de matéria invisível que não interage com a matéria normal, mas compõe cerca de 80% do universo. Até hoje, tem sido extremamente difícil detectá-la; só podemos inferir sua presença pelo efeito de gravitação que tem em outros objetos de matéria visível no espaço.

Além disso, os cientistas creem que a matéria escura desempenha um papel crucial na formação de galáxias e de aglomerados de galáxias.

Uma das teorias sobre a origem desta elusiva matéria é que ela seria uma substância remanescente do Big Bang. No entanto, nenhum estudo obteve sucesso em provar isso.

“Se a matéria escura fosse realmente um remanescente do Big Bang, então, em muitos casos, os pesquisadores já deveriam ter visto um sinal direto da matéria escura em diferentes experimentos de física de partículas”, explica um dos autores da nova pesquisa, Tommi Tenkanen.

A nova hipótese

Através de um modelo matemático, os pesquisadores teorizam que a matéria escura foi produzida antes do Big Bang, durante um período conhecido como “inflação cósmica”, no qual o universo estava se expandindo rapidamente.

Essa expansão pode ter levado a grandes produções de certos tipos de partículas, como o famoso bóson de Higgs, chamados de partículas escalares.

“O estudo revelou uma nova conexão entre física de partículas e astronomia. Se a matéria escura consiste em novas partículas que nasceram antes do Big Bang, elas afetam a maneira como as galáxias são distribuídas no céu de uma maneira única. Essa conexão pode ser usada para revelar sua identidade e fazer conclusões sobre os tempos antes do Big Bang também”, afirma Tenkanen.

Testando a teoria

Essa não é a primeira vez que tal hipótese é sugerida, mas é a primeira vez que os cientistas oferecem um modelo matemático que a suporte e uma forma de testá-la experimentalmente.

“Não sabemos o que é matéria escura, mas se tem alguma coisa a ver com partículas escalares, ela pode ser mais antiga que o Big Bang. Com o cenário matemático proposto, não precisamos assumir novos tipos de interação entre e a matéria escura além da gravidade, que já sabemos que existe”, esclarece Tenkanen.

Ou seja, a forma de testar a origem da matéria escura é através da observação dos sinais que a matéria escura deixa na distribuição da matéria no universo por conta de seus efeitos gravitacionais.

“Embora esse tipo de matéria escura seja muito difícil de ser encontrado em experimentos com partículas, ela pode revelar sua presença em observações astronômicas. Em breve saberemos mais sobre a origem da matéria escura quando o satélite Euclid for lançado em 2022. Será muito emocionante ver o que ele revelará sobre a matéria escura e se suas descobertas podem ser usadas para espiar a época antes do Big Bang”, conclui o pesquisador.

Um artigo sobre a pesquisa foi publicado na revista científica Physical Review Letters. [Phys]

Física Quântica, a base da Bioenergética

Física Quântica, a base da Bioenergética.

Há pouco mais de cem anos, o físico Max Planck (1858-1947), Nobel de Física em 1918, considerado  um conservador, tentando compreender a energia irradiada pelo espectro da radiação térmica, expressa como ondas eletromagnéticas produzidas por qualquer organismo emissor de calor, a uma temperatura “x”, chegou, depois de muitas experiências e cálculos, à revolucionária “Constante de Planck”, que subverteu os princípios da física clássica.
Este foi o início da trajetória da Física ou Mecânica Quântica, que estuda os eventos que transcorrem nas camadas atômicas e sub-atômicas, ou seja, entre as moléculas, átomos, elétrons, prótons, pósitrons, e outras partículas. Planck criou uma fórmula que se interpunha justamente entre a Lei de Wien (para baixas freqüências), e a Lei de Rayleight (para altas freqüências), ao contrário das experiências tentadas até então por outros estudiosos.
Albert Einsten, criador da Teoria da Relatividade, foi o primeiro a utilizar a expressão Quantum para a constante de Planck (E = h.v), em uma pesquisa publicada em março de 1905 sobre as conseqüências dos fenômenos fotoelétricos, quando desenvolveu o conceito de fóton. Este termo se relaciona a um evento físico muito comum, a quantização – um elétron passa de uma energia mínima para o nível posterior, se for aquecido, mas jamais passará por estágios intermediários, proibidos para ele, neste caso a energia está quantizada, a partícula realizou um salto energético de um valor para outro. Este conceito é fundamental para se compreender a importância da física quântica.
Seus resultados são mais evidentes na esfera macroscópica do que na microscópica, embora os efeitos percebidos no campo mais visível dependam das atitudes quânticas reveladas pelos fenômenos que ocorrem nos níveis abaixo da escala atômica. Esta teoria revolucionou a arena das idéias não só no âmbito das Ciências Exatas, mas também no das discussões filosóficas vigentes no século XX.
No dia-a-dia, mesmo sem termos conhecimento sobre a Física Quântica, temos em nossa esfera de consumo muitos de seus resultados concretos, como o aparelho de CD, o controle remoto, os equipamentos hospitalares de ressonância magnética, até mesmo o famoso computador.
          A Física Quântica envolve conceitos como os de partícula – objeto com uma mínima dimensão de massa, que compõe corpos maiores – e onda – a radiação eletromagnética, invisível para nós, que não necessita de um ambiente material para se propagar, e sim do espaço vazio. Enquanto as partículas tinham seu movimento analisado pela mecânica de Newton, as radiações das ondas eletromagnéticas eram descritas pelas equações de Maxwell (James Clerk Maxwell). No início do século XX, porém, algumas pesquisas apresentaram contradições reveladoras, demonstrando que os comportamentos de ambas podem não ser assim tão diferentes uns dos outros. Foram essas idéias que levaram Max Planck à descoberta dos mecanismos da Física Quântica, embora ele não pretendesse se desligar dos conceitos da Física Clássica.
         A conexão da Mecânica Quântica com conceitos como a não-localidade e a causalidade, levou esta disciplina a uma ligação mais profunda com conceitos filosóficos, psicológicos e espirituais. Hoje há uma forte tendência em unir os conceitos quânticos às teorias sobre a Consciência.
 
Físicos como o indiano Amit Goswami se valem dos conceitos da Física moderna para apresentar provas científicas da existência da imortalidade, da reencarnação e da vida após a morte. Professor titular da Universidade de Física de Oregon, Ph.D em física quântica, físico residente no Institute of Noetic Sciences, suas idéias aparecem no filme “Quem somos nós?” e em obras como “A Física da Alma”, “O Médico Quântico”, entre outras. Ele defende a conciliação entre física quântica, espiritualidade, medicina, filosofia e estudos sobre a consciência. Seus livros estão repletos de descrições técnicas, objetivas, científicas, o que tem silenciado seus detratores.
         
 
Fritjof Capra, Ph.D., físico e teórico de sistemas, revela a importância do observador na produção dos fenômenos quânticos. Ele não só testemunha os atributos do evento físico, mas também influencia na forma como essas qualidades se manifestarão. A consciência do sujeito que examina a trajetória de um elétron vai definir como será seu comportamento. Assim, segundo o autor, a partícula é despojada de seu caráter específico se não for submetida à análise racional do observador, ou seja, tudo se interpenetra e se torna interdependente, mente e matéria, o indivíduo que observa e o objeto sob análise. Outro renomado físico, prêmio Nobel de Física, Eugen Wingner, atesta igualmente que o papel da consciência no âmbito da teoria quântica é imprescindível.
 
Fonte: http://www.infoescola.com/fisica/quantica/

Indicações literárias que abordam a saúde sob o aspecto quântico (Bioenergética)…

 “Evolução Espontânea” oferece um ponto de vista animador sobre o destino da humanidade e é um desses livros que podem mudar a visão do mundo. Com pitadas de humor espiritual e sólidos conhecimentos científicos, Bruce Lipton e Steve Bhaerman apresentam uma versão diferente a respeito da civilização que surge diante de nós. Ao levarem o leitor para além da análise do colapso das economias ou da existência de religiões inflexíveis, demonstram que o caos nada mais é do que uma etapa natural do processo evolutivo, e não o final trágico de um planeta. 
É uma nova proposta de vida, tão instigante e repleta de possibilidades que nos leva a desejar um mundo melhor agora.
* * *
         
“O elo perdido entre a vida e a consciência”. 
É dessa forma que Gregg Braden, autor de O código de Deus, best-seller do jornal The New York Times, define o livro A Biologia da Crença, lançamento da Butterfly Editora. Nesta obra, o cientista norte-americano Bruce Lipton explica como todas as células do corpo são influenciadas pelo pensamento. A experiência de Lipton na condição de professor universitário o gabaritou a expor seus próprios conhecimentos de forma simples e direta. Além disso, a obra está repleta de ilustrações e considerações bem-humoradas. Bruce Lipton, o autor de A Biologia da Crença, é um dos pioneiros de uma nova área de estudos denominada “Nova Biologia”, que discorre acerca da relação entre os organismos biológicos, o meio ambiente, o pensamento, as percepções e até o subconsciente e mostra, por exemplo, que, ao contrário do que se sabe, o DNA e os genes são influenciados pelos sinais de fora das células, como as mensagens de energia emanadas de pensamentos positivos e negativos. Por isso, segundo M. T. Morter Jr., fundador do Morter Health System, “A biologia da crença mostra que a mente é mais poderosa do que qualquer medicamento.
* * *
Uma mensagem codificada foi descoberta nas moléculas da vida, no interior do DNA em cada célula do nosso corpo. Graças a um achado notável que liga o alfabeto bíblico ao nosso código genético, a “linguagem da vida” agora pode ser lida com as letras antigas de uma mensagem eterna. Independentemente de raça, religião, herança cultural ou estilo de vida, a mensagem é a mesma em cada célula de homem, mulher e crianças, do passado e do presente.
Com quase um terço das nações do mundo envolvidas em conflitos armados, essa prova de um vínculo universal entre os seres humanos oferece uma evidência incontestável de que somos maiores do que qualquer crença que tenha nos separado no passado. 
* **
Para o renomado físico quântico Amit Goswami, a medicina é um campo propício para a aplicação da nova ciência baseada na primazia da consciência. Essa nova ciência tem capacidade extraordinária para integrar a ciência convencional, a espiritualidade e a cura. E se existe uma área que precisa de integração, diz Goswami, essa é a da medicina. O Médico Quântico reinterpreta com ousadia os principais métodos da medicina alternativa – a homeopatia, a medicina chinesa e a acupuntura, e o Ayurveda – e da medicina convencional, do ponto de vista da física quântica. Ele mostra que esses modelos aparentemente diferentes podem ser integrados num novo sistema multidimensional pautado na nova “ciência dentro da consciência”. No âmago de toda doença e de toda cura está a consciência, diz Goswami. O Médico Quântico oferece aos médicos e pacientes um modelo totalmente novo de aplicação da medicina, com maior probabilidade de cura,. Goswami o chama de Medicina Integral e diz que “esse é um enfoque totalmente novo, que pode ser a base legítima para a mudança de paradigma na medicina.”
* * *
Depois de décadas de pesquisa, Peter Fraser formulou um sistema que alia o conhecimento dos meridianos da medicina tradicional chinesa à teoria ondulatória quântica para esclarecer pela primeira vez, com profundidade, as conexões entre a bioquímica do corpo humano e a bioenergética. Ele explica que o ser humano tem um corpo bioenergético baseado em 12 canais semelhantes aos meridianos, que processam e coordenam informações ao longo do corpo, e que a saúde depende do fluxo adequado e da comunicação de informações através desses canais que atuam como uma placa sinalizadora para acionar a capacidade de autorregeneração do corpo. 
* * * 
       
Nesta obra, cientistas notáveis – entre eles, Amit Goswami, Humberto Maturana e Stanislav Grof – revelam com os seus trabalhos a complexidade que orienta uma abordagem da saúde integral. O atual modelo biomédico, regido pelas megacorporações da indústria farmacêutica, há muito que revela as suas limitações. A mera superação dos sintomas das enfermidades e a ausência do foco numa medicina preventiva conduziram a humanidade para uma situação de doenças epidêmicas numa proporção nunca antes vista. A proposta deste livro é trazer de maneira contundente um novo modelo biomédico que, devido à sua abordagem integral e sistêmica, representa verdadeiros pontos de mutação.
* * *
Na atualidade, o terapeuta, seja um médico de renome ou um monge do Tibete, tende a concordar que todas as modalidades de cura têm algo em comum: proporcionam trocas de informações que geram a cura dos males e doenças e fortalecem ou corrigem os complexos processos que já se desenvolvem em nosso corpo. Em O Código da Cura, o Dr. Bruce Forciea apresenta um sistema inovador para termos acesso à troca de informações que está na base de todas as formas de cura, e para maximizarmos sua força benéfica. Forciea nos oferece nesta obra revolucionária, sete chaves para a liberação de um poder de cura ilimitado, que integra ideias da física, da biologia molecular, da medicina convencional e da teoria da informação. Essa abordagem pode ser usada para potencializar os efeitos de qualquer tratamento tradicional ou holístico. Por meio de uma linguagem clara e técnicas passo a passo que tornam o código de cura acessível e prático, o leitor poderá reunir os conceitos apresentados neste livro e aplicá-los imediatamente. Histórias verídicas, inclusive a do próprio Dr. Forciea, que se recuperou de uma doença crônica, destacam a eficácia desse novo e poderoso paradigma de cura. Este livro é fundamental para todas as pessoas que se interessam em perceber a saúde, a doença e a cura de forma mais integrada para alcançar estágios superiores de desenvolvimento físico, emocional e espiritual.
* * *
Com sua inovadora definição de medicina que busca a integração de mente, consciência, compreensão e inteligência, Deepak Chopra afirma que a cura é um processo estabelecido pelo corpo de dentro para fora. A disposição mental, a intenção e o desejo podem ser percebidos por todas as células, que passam a atuar visando à cura. A esse processo, ele conferiu o nome cura quântica – abordada neste livro em todos os seus aspectos biológicos e mentais. Baseando-se na ciência moderna e na sabedoria ancestral do Ayurveda, o autor relata casos reais e histórias fascinantes em apoio a um modelo de saúde e bem-estar que está em perfeita harmonia.
* * *
Existe um lugar onde todas as coisas começam, um lugar de pura energia, que simplesmente “é”. Nessa incubadora quântica da realidade, todas as coisas são possíveis. Em 1944, Max Planck, o pai da teoria quântica, chocou o mundo quando disse que essa “matriz” é a origem das estrelas, do DNA da vida e de tudo o que existe. Descobertas recentes acentuam a evidência de que a matriz de Planck – A Matriz Divina – é real. Para que a matriz participe da nossa vida com toda potência, precisamos compreender como ela funciona e qual linguagem ela reconhece. Esta tem sido a pesquisa de Gregg Braden durante mais de vinte anos. Neste livro capaz de abalar paradigmas, Gregg compartilha conosco suas descobertas.

O magnetismo do sistema solar influencia o DNA…

Cientistas que trabalham para a  NASA  na Universidade de Iowa descobriram algo semelhante a um portal. A Terra é cercada por um campo magnético que dispersa a maior parte da energia irradiada pelo Sol. No entanto, dentro desse campo, existem pequenos portais improvisados ​​(“FTE”, sigla para Flux Transfer Event) que são completamente imprevisíveis, permitindo que o vento magnético e, portanto, às forças solares, para entrar em contato direto com o nosso planeta.
Observações da frota de 5 sondas Themis e da missão Esa “sugerem que esses portais magnéticos abrem e fecham dezenas de vezes por dia (em intervalos de 8 minutos). Eles geralmente são encontrados a dezenas de milhares de quilômetros da Terra, onde o campo geomagnético encontra o vento solar .  (Web – dionidream)
Tempestades solares são sementes deliberadamente depositadas na magnetosfera da Terra, devido ao renascimento cíclico do planeta Terra.
“No sistema solar, o núcleo é o sol. Emana o que é chamado vento solar, que é uma energia magnética que literalmente irrompe do sol e contém apenas o que foi gerado pelo sol. Essa energia magnética – heliosfera – sopra”. “Esse vento magnético contra o próprio magnetismo da terra e isso altera o planeta.  
O magnetismo é uma energia quântica. Como são a gravidade e a luz. Você está cercado por um campo quântico e é o campo magnético da terra. Dissemos que, se a consciência humana muda, o magnetismo muda. Deve mudar. Ele deve se preparar para receber o que você está fazendo. Como a consciência deste planeta pode se expandir quando o magnetismo permanece o mesmo? Não pode. O magnetismo deve, portanto, se mover.
Tudo começou com uma mudança real das linhas ley magnéticas do seu planeta. Isso está registrado agora na história e é algo que eu previ há mais de vinte anos. Agora suas bússolas mostram que tudo o que eu falei está aqui. O magnetismo mudou muito desde 1989.  
Quando o magnetismo do sol sopra contra o magnetismo da terra, você tem dois campos magnéticos que interagem. Isso cria uma coisa chamada indutância , que é um mistério para a ciência. É o “minestrone” dos campos magnéticos sobrepostos que permite a troca energética de informações e amplificação, sem uma fonte de energia. 
O magnetismo do sistema solar afeta o DNA.
O magnetismo do próprio sistema solar está mudando. Aqui está o desafio: encontre esse fato. Você o verá, literalmente, enquanto seu sistema solar se move para o espaço. Ele cruza certas características do espaço e isso muda uma parte do magnetismo, que, portanto, torna-se diferente do que sempre fora antes. Por sua vez, isso altera o sol. Você vê o ciclo? Um aprimora o outro, em um fractal circular de realidade. Seu movimento pelo centro muda o sistema solar. A nova posição do sistema solar altera as características do sol. As características do sol são enviadas ao planeta através da heliosfera e isso afeta seu DNA.
O DNA – o campo ao seu redor – recebe informações solares da grade magnética, e as instruções nesse campo são passadas diretamente ao DNA, que também é magnético. Eu já lhe dei a cadeia de transmissão magnética que você acha que é esotérica. Não é. É ciência. Mas pensar que os atributos interdimensionais, magnéticos e gravitacionais do sistema solar estão indo em direção ao seu DNA, parece muito esotérico. Alguns chamam isso de astrologia! A verdade é que serve a humanidade e também Gaia! Bem, lembre-se de que a Terra faz parte da cadeia magnética de informações da sua estrutura celular (a grade magnética) que indica quando você deve fazer o que faz. Está tudo relacionado.   
Muitas das explosões solares do sol eram energia sagrada. As explosões solares são explosões que parecem áreas de energia contidas no sol. A parte difícil é que, quando você avalia a energia de qualquer uma dessas explosões, entende que apenas três dessas explosões devem começar de dentro do sol, mas você vê centenas dessas explosões. De onde vem a energia? O que está havendo? Tem alguma reação química acontecendo ao sol? O que está havendo?
O Sol, na verdade, não é o Sol. É um portal dimensional para a passagem de energia! 
Dizemos que o sol não é o que você pensa. Não é um objeto em si. É um portal dimensional para energia e existe desde o início dos tempos. Até o calor e os raios gama que o ajudam a viver neste planeta estão constantemente entrando em seu mundo através deste portal. Há dois eventos acontecendo agora, para dar as boas-vindas ao que está por vir. Os cientistas acreditam que essas são novas descobertas e que fazem parte de coisas já verificadas há muito tempo. Não neste caso, no entanto. Essas coisas nunca aconteceram antes.  
O vento solar é na verdade uma “sementeira”, prepara o planeta para um evento especial! 
Um desses eventos é a fusão do campo magnético da Terra com o campo magnético do Sol . O outro se refere à recente descoberta sobre partículas contidas em uma tempestade solar. O termo “tempestade solar” para descrever este evento não é apropriado. Esses dois eventos trabalham juntos para abrir o campo magnético da Terra, o tempo necessário para encher essas sementes com uma quantidade generosa .  
A Terra “copula” com o Sol? Uau! 
O sol é o centro dos atributos gravitacionais interdimensionais ao redor dos planetas. Há informações interdimensionais – você pode chamá-lo de modelo gravitacional , se quiser – que o sol gera a cada momento do dia. À medida que os planetas empurram e puxam do centro do sistema solar (efeito do sol através da gravidade), eles influenciam a atitude do sol. Esses modelos são únicos todos os dias e são atingidos pelo sol ao passarem pelo campo magnético da Terra, no que chamamos de vento solar. 
O vento solar é uma heliosfera magnética (a heliosfera é uma região periférica do Sol, preenchida pelo vento solar) e possui propriedades muito multidimensionais. Este vento magnético atinge a Terra, atravessando o campo magnético, e você pode vê-lo! chamada  Aurora Boreal . É um enorme campo magnético (o sol), cruzando com outro (a Terra). A ciência chama esse fenômeno de interseção da indutância . Nesse cruzamento de energia, uma transferência de informações padronizadas do sol ocorre com a grade magnética da Terra. 
De uma perspectiva mais ampla, diremos que as interações entre o Sol e a Terra estão mudando. A Terra está sendo carregada pelo sol mais uma vez. A primeira vez que houve uma carga magnética de explosões solares. Agora o Sol e a Terra formam um ponto de conexão. Isso foi rotulado como um portal porque os dois campos de energia da Terra e do Sol, se ocasionalmente se encontram, se estendem através do tempo e do espaço para conectar os campos de energia entre eles. Durante esses períodos, as partículas são transferidas de uma para a outra. Identifique esses eventos, simplesmente como tempestades solares e, assim, compreenda, até o momento, ignorando o que isso realmente significa. No entanto, posso lhe dizer que é muito mais do que você imagina: é a força da vida do Universo. . Se alguém quiser fazer uma comparação com o corpo físico, poderia chamá-lo de energia sexual, isto é, a energia vital de Tudo O Que É , que está fluindo e se conectando com todas as coisas. Que conceito! Você pode ver a profundidade e grandeza disso? Tempestades solares são sementes deliberadamente depositadas na magnetosfera da Terra, para o renascimento do Planeta Terra.    
Esta poderia ser a partícula primordial indescritível que deu origem à Terra!
Foram essas partículas solares que criaram o planeta Terra, queridos humanos. E agora, essas partículas podem ser chamadas de partículas de possibilidades porque elas carregam algo que você terá que criar no processo. Lembre-se, é tudo uma criação humana coletiva, porque vocês são os criadores da Terra. Não há piso pré-fabricado grande no lugar. Não há deus barbudo que se pareça com Charlton Heston    quem irá monitorar cada um, dizendo o que é certo e o que está errado. Você está criando sua realidade com todo pensamento que tem. Eles entendem e assumem essa responsabilidade. A Terra está se adaptando aos seus pensamentos. Vocês são os arquitetos. Isto é o que você realmente é. Crie o caminho, segundos antes de tocar o chão com os pés e, quando o fizer, não terá medo porque é esperado, sem dúvida, que ele esteja lá, e é por isso que foi criado. Seu relacionamento com a Terra e todo o cosmos ficará mais claro nos próximos anos, quando alguns desses eventos ocorrerem ” Fonte

Estados Alterados de Consciência podem ser essenciais para a sobrevivência…

O estado alterado de consciência é caracterizado por uma percepção cada vez mais fina de si mesmo, um desapego de todos os outros eventos e uma concentração no momento presente.
O consequente estado de experiência com uma planta de ópio, pode induzir um sujeito a experimentar diferentes sensações nunca antes sentidas. Uma espécie de viagem fora e dentro de si capaz de fornecer um vocabulário totalmente novo para a pessoa que é o autor da viagem.
Estados alterados de consciência, como meditação, fenômenos hipnóticos, concentração, podem ser ferramentas ​​importantes para lidar também com a dor, ou estímulos e situações problemáticas típicas do ambiente externo ou das dinâmicas pessoais e intrapsíquica. Nesse sentido, estados alterados de consciência podem ter um grande potencial para a sobrevivência, desenvolvimento psíquico no progresso individual e cultural. Poderiam representar o caminho para alcançar um uso mais completo e eficaz do sistema nervoso central.
Considerado nesta perspectiva, o impulso para experimentar estados psicológicos alterados, em períodos transitórios particulares de distanciamento da consciência racional ou em diferentes formas de percepção da realidade, adquire sua própria lógica e, curioso em dizer: sua racionalidade.

É possível entrar em um estado de alteração mental sem recorrer a drogas?

Desde a antiguidade, é uma vontade dos humanos explorar e investigar os recessos de sua cosmologia interior. Porque se existe um universo que podemos observar olhando além dos nossos olhos, há também um presente dentro de nós. Além disso, não sabemos se separar essas duas dimensões seja algo possível e correto.
Além das especulações e investigações, a exploração de nosso eu mais íntimo e profundo parece estar relacionada ao uso de substâncias psicoativas capazes de nos oferecer respostas, ou melhor, novas perguntas sobre nossa existência humana.
No entanto, existem diferentes maneiras de mergulhar no mar profundo de estados alterados de consciência.

Respiração lenta

Um grupo de pesquisadores da Universidade de Pisa investigou a ligação entre respiração e consciência, dois mundos aparentemente distantes, mas incrivelmente próximos, como já testemunhado pelas técnicas de respiração meditativa lenta, que podem levar a causar estados reais de consciência alterados.
Uma quantidade considerável de estudos mostrou que a meditação tem a capacidade de modificar a atividade cerebral. Graças ao EEG, sabemos que isso leva a um aumento da atividade teta (4-8 Hz) em muitas regiões do cérebro.
Na cultura ocidental se manifesta a necessidade de espiritualidade, de evasão ao racionalismo excessivo, e a busca por estados alterados de consciência pode fornecer, mesmo que de maneira questionável, uma resposta a essas necessidades.
Nos últimos anos, a meditação vem se expandindo, cada vez mais, para o Ocidente, e seus poderosos efeitos sobre a mente e o corpo foram reconhecidos pela comunidade científica e os estudos sobre esse assunto sofreram um aumento considerável.
Há um elemento de grande interesse que caracteriza as práticas de meditação: controle voluntário da respiração. Técnicas de respiração lenta são usadas de uma maneira versátil; no caso da meditação, essas técnicas podem causar estados reais de consciência alterados.
Tanque de privação sensorial – promete rejuvenescedor e ser a chave para aliviar o estresse.
Dr. John Lilly, psicanalista e neurocientista, já nos anos 50, levou sua pesquisa pioneira em direção a estados alterados de consciência, inventando o que hoje é chamado Tanque de Privação Sensorial, uma tecnologia capaz de transportar o homem para situações igualmente surpreendentes.
O conceito era simples: se desligamos a tomada dos sentidos, algum outro órgão da percepção, mesmo oculto até então, começará a nos dar uma nova percepção da realidade, seja circundante ou interna. John Lilly intuiu que, com os cinco sentidos desativados, alguma outra coisa seria despertado.
O tanque, que colocava o sujeito na posição horizontal e flutuante, era saturado com sulfato de sal e magnésio e mantido constantemente à temperatura corporal, a fim de eliminar a sensação de tato. O corpo do sujeito se encontraria flutuando em um líquido isotérmico. Para eliminar os outros sentidos, a escuridão e a ausência de ruído tornavam-se as medidas necessárias adicionais.
Nesse ponto, a pessoa na banheira seria privada de visão, paladar, olfato, audição e tato. Dessa experiência, não apenas se entendeu que o cérebro não parou de funcionar, mas que, pelo contrário, a ausência de estímulos o levou a um estado de simulação Onirica no qual iam se manifestando alucinações de vários tipos.
Um sentimento de perda dos limites do corpo associado a uma série de alucinações, se pudermos defini-los como tais, capazes de projetar o sujeito em seus espaços existenciais mais íntimos.
O efeito mais relevante do uso de tais tanques é o da modificação da atividade elétrica do cérebro. Após um período, o cérebro passa das ondas Beta para as ondas Teta, típicas do sono, mas sem a perda de consciência, típica deste. O cérebro, nesse ponto, livre de estímulos externos que distraem, pode ser capaz de transmitir recursos para um único objetivo, aumentando o nível de concentração necessário para resolver problemas particularmente complexos.
A prática viveu seu auge na década de 1980, quando alguns centros de flutuação começaram a ser abertos pelo mundo.
Embora não existam muito estudos focados especificamente nos tanques de isolamento de Lilly, algumas pesquisas indicam que a suspensão de qualquer um dos sentidos pode ocasionar sensações alucinatórias. Além disso, um estudo conduzido em 2009 mostrou que a privação sensorial completa, mesmo que por apenas por 15 minutos, pode desencadear alucinações vívidas em grande parte das pessoas.
Para muitas pessoas, hoje,  esta sensação de vazio total e privação de sentidos pode ser uma ferramenta útil e sem contraindicações para a redução do estresse e rejuvenescimento da pele..

Existem dezenas de técnicas capazes de alterar nossa consciência

Por exemplo, a Respiração Holotrópica desenvolvida pelo Dr. Stanislav Grof e sua esposa, Christina Grof, é tão misterioso quanto interessante. É uma prática espiritual e terapêutica capaz de nos levar a um nível de consciência e a um estado alterado de consciência semelhantes aos alcançados durante uma terapia assistida com substâncias psicodélicas, mas sem recorrer a drogas. Por esse motivo, muitas pessoas usam essa técnica para trazer à tona problemas do passado e resolvê-los por uma perspectiva de estado alterado. É uma prática tão poderosa que alguém a definiu como uma “meditação de força industrial”.

Respiração ligada à meditação

A respiração lenta, diretamente relacionada à meditação, também é capaz de provocar mudanças consideráveis: quando, usando modelos animais, estimularam o epitélio olfativo com ritmos lentos, a mesma frequência foi encontrada no nível cortical. Nos animais, o ritmo da respiração é capaz de sintonizar a atividade de descarga de neurônios longe do córtex olfativo. Esses padrões extraordinários não são observáveis ​​no caso da respiração bucal e na traqueotomia.
Uma visão simplista demais levou ao erro de considerar os neurônios olfativos simplesmente como detectores de odor; hoje podemos dizer que suas capacidades vão muito além; esses neurônios, mesmo estimulados, são capazes de responder a estímulos mecânicos.

O acoplamento respiração-atividade neural pode modular o estado de consciência

Um grupo de pesquisa da Universidade de Pisa, a partir dos estudos sobre meditação, concentrou-se, não apenas em técnicas meditativas que têm respiração lenta apenas como um efeito secundário, mas passaram a investigar os correlatos da respiração lenta. O trabalho deles decorre da hipótese de que a respiração-atividade neural acoplada seria capaz de modular o comportamento e o estado de consciência em humanos.
O que eles fizeram foi recriar uma condição simil-meditativa: para simular a respiração lenta da meditação, eles usaram uma cânula nasal especial para estimular periodicamente (8 segundos de estimulação e 12 segundos sem estimulação) o epitélio olfativo através do ar comprimido inodoro a uma frequência de 0,05 Hz por 15 minutos. Essa frequência específica não é o resultado do acaso, mas foi escolhida porque replica as freqüências lentas da respiração nas práticas de meditação.
Para a investigação experimental, foram selecionados 12 indivíduos saudáveis, cada um participando de duas sessões diferentes: uma sessão experimental que incluía estimulação nasal (“estimulação nasal”, SN) e uma sessão de controle na qual a estimulação estava ausente (“controle de sessão ”, CS). As duas sessões foram realizadas com uma semana de distância uma da outra e em ambos os casos os sujeitos foram monitorados com o EEG; sucessivamente, os pesquisadores compararam os dados coletados nas duas fases diferentes do experimento.
O que emerge assume enorme importância: somente na fase pós-NS houve um aumento nas frequências teta delta no córtex orbitofrontal.
Outro aspecto importante que emerge do estudo diz respeito à direção do fluxo de informações: na condição pós-estimulação, o fluxo foi revertido em relação à condição de pré-estimulação para a frequência teta. Na vigília, a direção do fluxo de informação é póstero-anterior, tanto no sono REM quanto no NREM, a direção era antero-posterior. As duas sessões no nível eletrofisiológico são diferentes, os dados do EEG indicam que certamente, algo acontece nos sujeitos.
A experiência subjetiva de cada participante foi utilizada no Phenomenology of Consciousness Inventory (PCI). Essa ferramenta permitiu associar aos dados EEG a experiência vivida pelos participantes, durante a estimulação: essas pessoas relataram que se sentiram como se estivessem em um estado alterado de consciência, perceberam o tempo de maneira diferente e notaram um aumento na atenção ao interior.
Os sentimentos que emergem são os mesmos daqueles experimentados por quem pratica meditação, aqueles que praticam certas técnicas podem experimentar um estado alterado de consciência e também podem se concentrar mais no que acontece dentro de si e não fora. A experiência vivida pelos participantes do estudo está perfeitamente associada ao que foi registrado pelo EEG.
Até hoje, o tema da consciência é tão intrigante quanto complicado, a respiração pode ser uma maneira de lançar luz sobre este mundo tão difícil de entender. Esse trabalho é surpreendente, pois nos permite ir além do papel clássico da respiração ao qual estamos acostumados, além de compreender como a respiração sozinha pode nos ajudar na difícil tarefa de entender e elevar o nível de consciência.
A busca de alteração, nesse sentido. é um impulso à renovação humana que ajuda a atravessar o limiar do mundo tangível para buscar o abraço do mundo, o contato com o Todo.