O que acontece quando se Medita pela primeira vez?…

Houve numerosos estudos que detalharam o que acontece ao cérebro de meditadores de longo prazo, mas o que acontece exatamente com as pessoas que meditam pela primeira vez? Sara Lazar, uma investigadora da universidade de Harvard, ganhou muita notoriedade por detalhar como o cérebro realmente cria a matéria cinzenta quando as pessoas meditam. Outros estudos têm mostrado que a meditação melhora o QI e diminui a depressão. Além desses benefícios, a meditação também:
  • Reduz o consumo de álcool e de substâncias, reduz a pressão arterial ( Chiesa, 2009),
  • Diminui a ansiedade, sintomas depressivos e recaídas (Coelho, Canter & Ernst, 2007; Kim et al., 2009)
  • Ajuda pacientes que sofrem de vários tipos de dor crónica (Chiesa Serretti, in press)
  • Reduz a incidência de stress (Chiesa Serretti, 2009)
  • Ajuda pacientes com cancro (Ledesma Kumano, 2009)

Muitas pessoas acham que têm que meditar durante vários anos antes de começarem a ter alguns destes benefícios, mas um estudo realizado por Chiesa e Calati Serretti mostra que, depois de apenas oito semanas de meditação, as pessoas começam a experimentar um melhoramento no funcionamento cognitivo.

Ainda não é rápido o suficiente para você?

Meditação pela primeira vez…

Isto é o que acontece  ao cérebro depois que alguém que nunca tenha meditado antes completa apenas uma sessão de meditação:

  • As pessoas começam a tornar-se menos centradas em “si” na medida que o cérebro equilibra o córtex pré-frontal Ventromedial (vmPFC), o que nos permite refletir sobre as nossas preocupações e, o córtex pré-frontal Dorsomedial (dmPFC), que nos permite ter empatia com os outros e de nos sentirmos mais ligados com aqueles que normalmente consideramos diferentes de nós mesmos.
  • O centro do medo é acalmado através da amígdala, assim como os dois ramos do sistema nervoso. lembras-te dos momentos em que as vezes tens sensações do tipo ‘uh-oh’? a meditação garante que sintas apenas stress de baixo nível quando realmente precisas, tais como quando estás prestes a colocar a tua mão num fogão quente, ou quando precisas travar no trânsito. Mesmo assim, a meditação pode ajudar a diminuir a pressão em situações completamente estressantes.
  • A primeira vez que meditas, a mente acalma-se. Isso não significa que vais experimentar uma profunda paz interior a primeira vez que te sentares numa almofada de meditação, mas isso significa que já estás a estabelecer novos padrões neurais que permitem uma mudança positiva. Toda vez que te ‘sentares’ novamente, irás melhorá-los.
  • Vais sentir-te menos deprimido. A meditação tem vindo a receber ultimamente muita atenção por parte da imprensa por causa deste estudo realizado por Mahav Goyal, publicado no JAMA. 47 testes realizados com mais de 3.500 pacientes mostrou que a meditação era tão eficaz quanto os antidepressivos. (O efeito da meditação era moderado, em 0.3. Se isso lhe parecer muito baixo, tenha em mente que o tamanho do efeito para antidepressivos também é de 0.3.) A diferença é, claro, que a meditação não pode matá-lo ou causar outros efeitos colaterais indesejados, como episódios psicóticos, ataques de pânico, hostilidade, etc.

Meditadores principiantes….

Embora seja necessário algumas sessões, isto é o que acontece quando você medita com muito mais frequência.

  • Sentirás menos dor física em apenas quatro sessões de meditação. A atividade cerebral diminui nas áreas responsáveis por transmitir as informações sensoriais em torno de um sensação de dor. Além disso, as regiões do cérebro que modulam a dor ficam mais ocupadas e, os voluntários que participaram de um estudo, afirmaram que a dor era menos intensa após terem meditado. Estes resultados foram todos apresentados  num encontro anual pela Sociedade de Neurociências em San Diego.
  • O “centro-me” evapora lentamente. Na medida que a conexão entre as sensações corporais e o córtex pré-frontal Ventromedial perdem a sua vitalidade, deixarás de presumir que uma sensação corporal ou sentimento momentâneo de medo significa que algo está errado contigo ou que tu és o problema. Podes simplesmente deixá-lo surgir e passar, sem quase dar-lhe um segundo pensamento.
  •  A empatia torna-se mais forte. A parte do “centro-me” do córtex pré-frontal ventromedial diminui e o córtex pré-frontal dorsomedial torna-se mais dominante, o que significa que podes sentir a dor ou a tristeza das outras pessoas, porém com a mesma habilidade que aprendeste a lidar com tuas próprias sensações corporais.

Mestres de meditação…

Uma vez que te tornares um mestre em meditação, podes aguardar com expectativa por mais benefícios, muitos dos quais a ciência ainda está tentando entender.

  • Os monges tibetanos podem meditar durante varias horas tão fácil quanto a maioria de nós pode passar a mesma quantidade de tempo dormindo ou navegando na Internet. Estes monges recentemente secaram lençóis molhados usando os seus corpos, utilizando uma forma de meditação chamada g Tum-mo.
  • Os monges foram cobertos em lençóis molhados e frios (49 f c 9,4 c) e colocados num quarto com uma temperatura de 40 f (4,5 c). Em condições como estas, uma pessoa média provavelmente teria tremores incontroláveis e sofreria de hipotermia.

No entanto, através de uma profunda concentração, os monges foram capazes de gerar calor corporal e, em poucos minutos os investigadores notaram que saia vapor através dos lençóis. Aproximadamente depois de uma hora os lençóis estavam completamente secos.

  • Os yogis na Índia que praticam meditação são capazes de abrandar completamente o batimento cardíaco até ao ponto que eles dificilmente são detetáveis em equipamentos de eletrocardiograma. Em 1935, Therese Brosse, uma cardiologista francesa, levou um eletrocardiógrafo para a Índia e estudou os yogis que afirmaram que podiam parar o batimento cardíaco. De acordo com o relatório publicado por Brosse, as leituras produzidas por um eletrocardiograma de uma variação e os registros dos impulsos, mostraram que os impulsos do coração são dificilmente detectáveis em equipamentos de eletrocardiograma. Em 1935, uma cardiologista francêsa, Therese Brosse , testou alguns candidatos e o pulso de um deles diminuiu quase para zero, onde permaneceu durante vários segundos. ( Brosse , 1946)
  • Um mestre de meditação: Munishri Ajitchandrasagarji, é um monge Jain que acredita que a sua incrível memória seja fruto da prática de meditação.Ele pode recitar 500 itens a partir da memória, quer seja uma frase em seis línguas diferentes, um problema matemático, ou o nome de um objeto aleatório. Recentemente realizou este feito na presença de uma plateia de 6.000, para provar o seu incrível nivel de habilidade. Foram necessárias seis horas para que a multidão lhe fornecesse a lista de itens e, ele recitou-os de volta perfeitamente.
  • O holandês Wim Hof, é capaz de controlar o seu sistema imunitário através da meditação. Esteve no livro de Guinness de recordes mundiais por 20 vezes por realizações como escalar o Monte Everest e o Kilimanjaro usando apenas um par de calções e sapatos, sem água ou comida, quando as temperaturas atingiam facilmente os 50 graus celcius. Ele usa uma meditação especial de respiração.

Portanto, talvez a primeira vez que aprenderes a controlar os teus pensamentos, concentrando-se na tua respiração, ou simplesmente observando os teus pensamentos como nuvens que passam no céu, não fará de ti um mestre de meditação capaz de realizar estes atos surpreendentes, mas mesmo com tua primeira “sessão” de vinte minutos, estás no bom caminho para habilidades de outro mundo. Fonte

A Meditação Atenciosa, é uma técnica simples de desencadear um estado de relaxamento profundo de corpo e mente. À medida que a mente se aquieta e permanece desperta você vai se beneficiar de um estado de consciência mais profundo e tranqüilo.

1. Antes de começar, encontre um local silencioso em que não vá ser perturbado.
2. Sente-se e feche os olhos.
3. Concentre-se na respiração, mas inspire e expire normalmente. Não tente controlar ou alterar a respiração deliberadamente. Apenas observe.

Ao observar a respiração, vai ver que ela muda. Haverá variações na velocidade, no ritmo e na profundidade, e pode ser que ela pare por um momento. Não tente provocar nenhuma alteração. Novamente, apenas observe.
Pode ser que você se desconcentre de vez em quando, pensando em outras coisas ou prestando atenção aos ruídos externos. Se isso acontecer, desvie a atenção para a respiração.
Se durante a meditação você perceber que está se concentrando em algum sentimento ou expectativa, simplesmente volte a prestar atenção na respiração.
Pratique esta técnica durante quinze minutos. Ao final, mantenha os olhos fechados e permaneça relaxado por dois ou três minutos. Saia do estado de meditação gradualmente, abra os olhos e assuma sua rotina.

Sugiro a prática da meditação atenciosa duas vezes ao dia, de manhã e no final da tarde. Se estiver irritado ou agitado, pode praticá-la por alguns minutos no meio do dia para recuperar o eixo.

Na prática da meditação você vai por uma de três experiências. Mas deve resistir à tentação de avaliar a experiência ou sua capacidade de seguir as instruções, porque as três reações são “corretas”.
Você pode se sentir entediado ou inquieto, e a mente vai se encher de pensamentos. Isso significa que emoções profundas estão sendo liberadas. Se relaxar e continuar a meditar, vai eliminar essas influências do corpo e da mente.
Você pode cair no sono. Se isso acontecer durante a meditação, é sinal de que você anda precisando de mais horas de descanso.
Você pode entrar no intervalo dos pensamentos… além do som e da respiração.
Se descansar o suficiente, mantiver a boa saúde e devotar-se todos os dias à meditação, você vai conseguir um contato significativo com o Self. Vai poder se comunicar com a mente cósmica, a voz que fala sem palavras e que está sempre presente nos intervalos entre um pensamento e outro. Essa é a sua inteligência superior ilimitada, seu gênio supremo e verdadeiro, que, por sua vez, reflete a sabedoria do universo. Tudo estará a seu alcance se confiar na sabedoria interior. Fonte

Publicado por

elcienegalindo

Uma pessoa que ama a vida e buscar sair da ignorância, pois aquele que deseja ser um pouco sábio, sabe que quanto mais se aprende menos sabe.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s