Piramides de luz se unem, formam Estrela de Davi…

“QUANDO DUAS PIRAMIDES DE LUZ SE UNEM PARA FORMAR UMA ESTRELA DE DA…

Imagine que no início tínhamos o vácuo, a consciência primordial, chamemos-lhe o Espírito. Com o objectivo de criar dispara um raio de consciência no vácuo, primeiro para a frente, depois para trás [um eixo], para a esquerda e direita [outro eixo] e por último, para cima e para baixo [terceiro eixo], obtendo-se assim o primeiro desenho da figura 1, isto com a mesma distância nas 6 direções, definindo as coordenadas espaciais [Norte, Sul, Este, Oeste e uma direção ascendente e descendente].

Todos nós temos estes 6 raios sensitivos partindo da nossa glândula pineal [um atravessando o chakra da coroa e pescoço, outro atravessando a nuca e o chakra frontal e um terceiro atravessando os dois hemisférios cerebrais], correspondendo aos três eixos cartesianos x, y, z. Esta capacidade criativa é inata a todos os humanos.

Se unirmos agora as várias direções tal como era feito nas antigas Escolas de Mistério, obtemos um diamante ou quadrado [segundo desenho, ver em perspectiva], após a formação deste quadrado à volta da consciência é disparado um raio de consciência no sentido ascendente, formando uma pirâmide, e um raio de consciência no sentido descendente formando outra pirâmide [terceiro desenho].

É importante referir que a função piramidal assume uma máxima importância no retorno à Fonte, o que é amplamente descrito no Livro do Conhecimento de J. Hurtak, “A inteligência humana deve ser iniciada nas funções Piramidais de Luz antes que possa ser promovida à próxima ordem de evolução, à próxima célula temporal consciencial”. 

 

 

 

Octaedro 
Figura 02

Como pode ser observado na figura 2 acabamos de obter um octaedro [na forma tridimensional]. É importante observar que isto é só a consciência, não existe um corpo no vácuo. Foi simplesmente criado um campo à volta da consciência. 

A partir deste momento é possível, pela primeira vez, imprimir movimento, criar energia cinética, ou seja, temos este octaedro base e podemos criar uma distância [afastar-nos ou aproximar-nos] ou então o Criador pode simplesmente permanecer imóvel levando este primeiro octaedro movimentar-se, passa a haver uma referência no centro do vácuo, logo passam a existir também distâncias.

Se movimentarmos este octaedro na direção dos vários eixos criamos os parâmetros perfeitos para uma esfera [figura 2], era exatamente isto o que os iniciados no Egito faziam nas suas meditações [quarto desenho da figura 1], tal como na Cabala em que as direções assumem bastante importância para algumas meditações específicas.

Toda a gente que estuda Geometria Sagrada está de acordo quanto ao fato de que uma linha reta representa o masculino e uma linha curva representa o feminino. O que os egípcios estavam a fazer ao realizar esta meditação era passar de uma forma masculina [octaedro] a uma forma feminina [esfera]. Isto está diretamente associado à Bíblia e à criação da Eva a partir de uma costela do Adão. 

Tudo o que conhecemos foi uma criação de uma consciência no infinito vácuo, os Hindus chamam-lhe Maya, que significa ilusão, todos nós podemos criar a nossa realidade [deuses criadores] e libertarmo-nos de Maya.

Anarion Macintosh
The spiral and the six stages of creation (acrylic on canvas)
Padrão da Génese

 

Figura 3

Partindo desta primeira esfera ou bolha no vácuo [primeiro desenho da figura 3] o Espírito projeta uma nova esfera [segundo desenho] obedecendo às mesmas regras. Este processo lembra-nos a divisão na Mitose [reprodução assexuada].Temos aqui a associação com o primeiro dia da criação [“Fez-se Luz”].

Neste momento encontramo-nos perante um símbolo sagrado muito antigo conhecido como “Vesica Piscis” [figura 4] associado ao Cristianismo e também conhecido como o “Peixe de Jesus” [numerologia]. Se considerarmos uma esfera como sendo Deus ou o Céu e uma segunda esfera como a humanidade ou a materialidade esta interseção simboliza o Cristo, o portal que une o Céu e a Terra. Este símbolo está intimamente associado à criação da Luz, sem ele a Luz não seria possível, sem esta imagem geométrica não seria possível por exemplo a criação dos nossos olhos, responsáveis pela recepção da Luz. 

No segundo dia da criação com uma terceira esfera obtemos o Símbolo da Santíssima Trindade [figura 4], a Geometria básica da Estrela Tetraédrica, uma das formas geométricas mais importantes na Criação [forma da Merkaba, Corpo de Luz que nos permite voltar ao estado de Consciência Original).

“Vesica Piscis”  “Tripod Of Life”
Figura 04

Continuando o movimento matemático da criação vamos chegar ao Sexto Dia da Criação obtendo-se o símbolo da flor de seis pétalas conhecida como a Semente da Vida, o Princípio da Criação do Universo no qual nós vivemos.

Este primeiro movimento em torno da primeira esfera, representa a primeira rotação ou Padrão da Gênese [os seis dias da criação da Bíblia], ilustrados no quadro de Anarion Macintosh.

Semente da Vida

Se pegarmos no padrão da Gênese, a primeira forma tridimensional que conseguimos extrair é conhecida como Torus [figura 5] , esta forma é obtida a partir da rotação da Semente da Vida em torno do seu eixo central [último desenho da figura representa o Torus visto de cima em duas dimensões].

Foi o matemático Arthur Young que descobriu que esta forma geométrica tem sete regiões conectadas, todas do mesmo tamanho [figura 6], o Torus representa a forma geométrica base da existência, está presente em todos os planetas, estrelas, galáxias. O nosso planeta é um Torus com dois pólos magnéticos em comunicação [primeiro desenho] o que permite as predecessões dos equinócios [ponto zero]. O Torus está também presente no corpo humano [como exemplo o coração que tem sete músculos formando um Toroidal bombeando para sete regiões] e pode ser encontrado em todas as formas de vida existentes.

 

Torus
Figura 5

 

 

 

 

Espiral Torus com as sete regiões diferenciadas
Figura 06

Se efetuarmos uma segunda rotação [figura 6] em torno da Semente da Vida , obedecendo às mesmas regras da primeira, vamos chegar a uma segunda figura tridimensional conhecida como o Ovo da Vida [figura 7].

Rotações
Figura 06

 

 

Ovo da Vida
Figura 07

O Ovo da Vida representa a estrutura morfogenética a partir do qual o nosso corpo foi criado. A nossa existência física depende desta estrutura, desde a cor dos nossos olhos ao formato do nosso nariz …

Uma forma que também é revelada neste segundo Vórtex [rotação] é a Árvore da Vida que contém dez círculos que representam os Sefirotes [esferas em Hebraico] na Cabala, 10 aspectos da personalidade sintetizados no Adão Kadmon, o Homem Celeste, Logos. Representa o caminho para iluminação espiritual e um mapa do Universo e da Psique.

 

 

 

 

Árvore da Vida 
Figura 08

Com uma terceira rotação obtemos um padrão determinante na formação da realidade física. Quando olhamos de forma atenta para a Flor da Vida [figura 9] vemos 19 círculos inscritos em dois círculos concêntricos, imagem essa encontrada um pouco por todo o mundo nas várias civilizações, a questão é porquê parar nos 19 círculos ?  Isto deve-se à descoberta do próximo componente que era de extrema importância , por essa mesma razão mantiveram-no em segredo. Esse conhecimento era considerado tão sagrado que decidiram não trazê-lo a público, codificando-o.

Olhando bem para a Flor da Vida deparamo-nos com a existência de vários círculos incompletos na periferia [esferas na verdade]. Tudo o que era preciso era completar estes círculos [técnica antiga para codificar o conhecimento]. Se efetuarmos uma quarta rotação torna-se fácil de perceber o padrão misterioso, o Fruto da Vida

 

 

 

 

Fruto da Vida
Figura 10

Este padrão de treze círculos é uma das formas mais sagradas em toda a existência. Na Terra é chamada de Fruto da Vida.

O Torus, Ovo da Vida e Fruto da Vida são os três padrões que nos permitem construir tudo aquilo que conhecemos como realidade, sem exceção.

Se combinarmos estes treze círculos [femininos] com todas as linhas rectas possíveis [masculinas] como é exemplificado na figura abaixo vamos obter a forma geométrica sagrada conhecida como o Cubo de Metatron  

 
Cubo de Metatron
Figura 11

 

Cubo de Metatron
 Figura 12
Os dois cubos dentro do Cubo de Metatron
Figura 13
O Cubo de Metatron representa um dos treze Sistemas Universais de Informação contidos no Fruto da Vida, nas linhas do Cubo de Metatron podemos facilmente encontrar os conhecidos sólidos platônicos, os tijolos construtores da nossa realidade física [figura 14].
O Cubo de Metatron demonstra-nos a verdade milenar de que toda a vida emerge da mesma origem, do mesmo centro.
Os Cinco Sólidos Platônicos
Estrela Tetraédrica (Merkaba)
contidos no Cubo de Metatron
Figura 14

 

 
Os Cinco Elementos
Figura 15

Esfera   Vácuo
Dodecaedro   Éter  
Cubo   Terra

Octaedro   Ar
Icosaedro   Água
Tetraedro   Fogo
“Isto não é apenas matemática, círculos ou geometria.
 Isto é o mapa vivo de toda a criação da nossa realidade.”
~Drunvalo Melchizedek~
Durante a sua permanência no Egito, Platão afirmou ter recebido O Conhecimento Sagrado do interior das Pirâmides. Os cinco sólidos mais tarde apelidados de Platônicos representam na Alquimia os cinco elementos.
The Ancient Secret Of The Flower Of Life
Volumes 1/2
 Drunvalo Melchizedek

As Chaves de Enoch

J.J. Hurtak

Imagens Internet

http://neusarochateles9.blogspot.com/search/label/PIRAMIDES%20DE%20… RELA%20DE%20DAVID

pesquisa de Fatima dos Anjos-https://portalarcoiris.ning.com/group/geometriasagradamerkaba/forum…

Programação Humana & Emoções, Memórias e Implantes…

Se você acha que não somos como computadores – que somos formas de vida orgânica e temos inteligência e não podemos ser programados – pense novamente!

Somos exatamente como computadores com sistemas operacionais, idiomas, memórias, CPUs. Lembra-se das séries WestworldDollhouse? Você acha que essas coisas são criadas apenas a partir da imaginação? O facto de alguém ter escrito os cenários para essas séries, significa que havia pessoas por aí que já tinham conhecimento interno de como a programação funcionava e que ela estava ocorrendo bem antes de essas séries serem concebidas.

Nos velhos tempos (após o colapso da Atlântida) quando os humanos viviam em sociedades de baixa tecnologia, a programação feita para controlar o comportamento humano era em grande parte alcançada através da programação da mente via imposição da normalização cultural. Os mestres de elite começaram lentamente a introduzir conceitos em várias civilizações que gerariam os resultados esperados. Essas técnicas iniciais de programação mental estavam mais focadas na criação de padrões de comportamento que faziam com que os humanos fossem facilmente gerenciados como gado. Esses padrões de comportamento acabaram resultando na criação de normas culturais e “costumes”, sistemas de crenças religiosas e sistemas legais / financeiros projetados para restringir ainda mais o comportamento humano para se adequar à agenda das elites.

Aqui está uma amostra das estratégias de programação que foram usadas historicamente:

Belicista – esta programação foi projetada para infundir os homens (género pretendido) com o desejo inerente de conflito armado constante. Isso inclui manipular diferentes grupos de homens e criar conflitos que resultariam em guerras. Cada grupo cria uma mentira sobre o outro, fazendo com que os grupos acreditassem que eles foram atacados de alguma forma. Esta é uma estratégia muito poderosa que é usada até hoje.

Programação de desportos (esportes) e jogos – Nos dias da Atlântida, as pessoas praticavam muitos desportos (esportes). Eles costumavam-se reunir e aproveitar encontros como os Jogos Olímpicos. No entanto, eles faziam isso apenas com o propósito de alegria. Depois da Atlântida, essa ideia foi levada para outro extremo e cenas cruéis foram criadas onde prisioneiros e animais foram mortos em frente a grandes audiências. As multidões foram programadas para que elas gostassem de assistir e até mesmo sentissem prazer sexual como emoções ao observá-las. Essa foi uma das primeiras implementações da programação emocional.

Caça como “Desporto” (“Esporte”) – esta é uma camada especialmente complexa de programação que combina tanto “belicência” quanto “programação de desportos (esportes) e jogos”. Por mais difícil que muitas pessoas não despertas acreditem, virtualmente todas as espécies sencientes que não vivem na superfície da Terra evoluíram geneticamente e tecnologicamente a um ponto em que não precisam matar outras espécies para se alimentar.

Assim, a primeira sub-camada da programação do ‘caçador’ era restringir a humanidade geneticamente e tecnologicamente, de modo que comer carne era considerado uma necessidade para a sobrevivência. Note-se que a desinformação dietética intencional através das eras, bem como os costumes sociais ritualísticos como “abate do gordo bezerro” também contribuiu para isso doutrinando humanos para o sacrifício animal como um aspeto necessário de muitas festas em dias santos – especialmente aqueles das religiões monoteístas.

Uma vez que a humanidade foi totalmente doutrinada na ideia de matar pela sobrevivência, então foi fácil criar um “desporto” (“esporte”) a partir disso. Especialmente nos EUA, a caça como desporto (esporte) tornou-se um grande negócio. Veja em

A caça por desporto (esporte) une a programação “belicista” com quase todos os outros métodos secretos de programação… de facto, pode-se ver na cultura popular e nas notícias nos últimos anos que “caçar animais por desporto (esporte)” … pode de facto estar treinando a humanidade “caçar os humanos por desporto (esporte)” … ou pelo menos para se tornar um fenômeno socialmente aceitável:

Criando Religiões e a Ideia de “O que Deus Aprova” – Essa era a ferramenta perfeita de programação mental. As pessoas estavam prontas para acreditar num “Deus” que não podiam ver. Desta forma, os controladores foram capazes de dizer à humanidade o que eles queriam, sem qualquer resistência. O maior dano das religiões foi suprimir o feminino divino e o conceito da “Deusa” feminina. Isso está relacionado com a programação “belicista”, porque as pessoas também foram coagidas a guerras em nome dos seus “deuses” masculinos.

O Sistema Educacional – Eventualmente, um novo sistema “o sistema educacional” começou a emergir para adicionar o mix. No século XVIII, alguns filósofos como Rousseau viram isso e advertiram a humanidade:

(Clique nas palavras ‘on education’ dentro da seção ‘Contents’)

O sistema educacional ensinaria diretamente às pessoas, a programação mental padrão. É aqui que o conceito de ciência deve estar separado da espiritualidade. Todos os cientistas foram educados no sistema, foram condicionados de forma a descartar a espiritualidade.

É claro que os governos, monarquias, jogavam a carta do medo e programavam as pessoas para obedecerem e serem escravas, enquanto as pessoas pensavam que isso era perfeitamente normal.

Os meios de comunicação – A mídia surgiu rapidamente depois da invenção da imprensa escrita por Gutenberg que permitiu que a palavra escrita fosse produzida em massa para um nível não visto no Ocidente desde, pelo menos, da época do Império Romano. Esta foi outra estratégia para controlar as mentes das massas, e tem sido uma arma desde o Renascimento para aqueles que lutam pela Luz / Liberdade, bem como pelas Trevas / Opressão.

Como a tecnologia evoluiu, também as estratégias e ‘mídias’ empregadas. Todos os povos do mundo estavam grudados na TV e estavam sofrendo lavagem cerebral e programação dia e noite. Eventualmente, mensagens subliminares ajudariam os controladores a alcançar os seus propósitos. Técnicas de programação emocional também estavam-se desenvolvendo. Agora isso mudou para a internet e são as mídias sociais como Facebook, Twitter, Instagram, etc.

Embora essas técnicas de controlo mental estivessem garantindo uma matriz de controlo sólida – juntamente com a tecnologia ultra-secreta dos véus – ao empurrar as imagens e ideias negativas para a mente humana, os cientistas empregados pela elite controladora têm estudado para inventar mais estratégias para controlar não apenas a mente, mas também as emoções humanas no século XX.

Neste ponto, os mecanismos se tornam mais ocultos, subtis … e poderosos. Para começar, os controladores tinham drogas que, quando ingeridas ou injetadas, faziam as pessoas seguirem as instruções sem questionar. Além disso, uma tecnologia chamada “Voz de Deus” (A ironia … aqui vem “Deus” novamente) que faria as pessoas ouvirem vozes nas suas cabeças.

Pesquisas adicionais também descobriram que, com o uso de certas frequências, elas poderiam forçar certas emoções no corpo humano. Na segunda metade do século 20, eles também teriam uma tecnologia de simulação que simularia / reproduziria certas coisas na mente humana. Então, essas pessoas “éticas” decidiram ser mais criativas e chegamos ao início dos anos 80, onde começaram a testar esses métodos em pessoas reais num grau mais amplo do que nunca (já se perguntou porque os orçamentos militares dispararam durante essa década… ).

Enquanto isso, a pesquisa fisiológica foi avançada o suficiente para que as Técnicas de Programação da Mente Baseada no Trauma (TBMPT) fossem combinadas com a pesquisa descrita acima para criar a escravização final dos seres que estavam encarnando para ajudar a humanidade a despertar e evoluir neste tempo profetizado na história.

O seguinte link que só deve ser lido por maiores de 18 anos explica o projeto MK-Ultra:

O que você vai ler depois desse ponto é apresentar alguns factos muito perturbadores que podem desencadear emoções profundas em você. Eu estou escrevendo isto, à medida que os Pleiadianos me pedem. Disseram-me que esta informação será um catalisador na desprogramação dos Trabalhadores da Luz (2) do que vocês estão prestes a ler.

Muito tem sido escrito sobre esses conceitos, de facto, aqui estão alguns links publicados há vários anos atrás que ajudarão a dar a todos que estão lendo, um contexto mais profundo sobre a “toca do coelho”.

“Então você tem uma escolha. Você pode tomar a pílula azul, esquecer isso e continuar com sua vida diária. Ao clicar nos links, você pega a pílula vermelha. Esteja ciente de que o que você lê aqui vai destruir a sua visão do mundo de forma bastante dramática e você precisará de algum tempo para digerir isso. Mas depois disso, você se tornará um pilar de força para as pessoas neste mundo, porque todo ser humano terá que lidar com essa informação mais cedo ou mais tarde, pelo menos até certo ponto. Por favor, entenda que não posso assumir responsabilidade por aqueles que lêem esta informação e suas reações psicológicas a isso. ”

Os três links a seguir são sobre o mesmo assunto, mas podem diferir ligeiramente:

Da mesma forma, os dois links a seguir são sobre o mesmo assunto, mas podem diferir ligeiramente:

A terrível verdade é que muitos Trabalhadores da Luz foram levados para várias instalações subterrâneas ao redor do mundo (principalmente entre 1996 e 2001, mas muitos foram tomados antes e depois deste período) e eles foram programados com TBMPT. Em outras palavras, tecnologicamente avançado “Abuso Ritual”. Mas a maioria não se consegue lembrar disso – pois as suas memórias foram apagadas ou alteradas para evitar a lembrança consciente do que aconteceu.

Muitos dos métodos descritos acima foram usados, juntamente com muitos outros. Observe que o número de técnicas que foram pesquisadas, desenvolvidas e “aperfeiçoadas” sobre a história humana registada é muito vasto para o escopo deste artigo.

Às vezes era apenas um tipo de simulação que era tocada na mente e assistida por drogas e/ou dada frequência para implantar a programação desejada. Em outros casos, configurações rituais reais foram criadas para ter um melhor sucesso na programação. Isso foi feito para pessoas-chave para aumentar o sucesso do programa. Crianças, ou qualquer coisa que tenha valor importante para a pessoa, foram usadas para gerar o efeito mais poderoso.

Com essa ciência feia e anti-ética, eles estavam programando as pessoas emocionalmente. Eles estavam impondo danos permanentes na psique do sujeito e imprimindo-o com um estado emocional sombrio. Esse estado emocional se mostraria sub-conscientemente dentro de todo processo de tomada de decisão na vida dessas pessoas. Deste modo, milhares e milhares de Trabalhadores da Luz foram impedidos de acordar e fazer as suas missões, de modo que a unidade seria inatingível, e nenhuma comunidade global ou alianças dessas pessoas poderiam surgir para desafiar o status quo da programação da humanidade.

Alguns importantes estados emocionais sombreados são os seguintes:

Culpa – Isso foi feito principalmente colocando a pessoa num estado que faz com que eles sintam que não conseguiram ajudar ou não puderam fazer algo ou prejudicar alguém. O palco seria muito perturbador. Depois de repetir os cenários vezes suficientes nessa programação emocional, essas pessoas constantemente se sentiam “culpadas” nas suas vidas. Nos seus relacionamentos, eles sempre sentiam que em todas as situações eles eram culpados e não seriam capazes de se afastar de relacionamentos disfuncionais.

Vítima – Algumas pessoas estão programadas para desempenhar constantemente o papel de “vítima”. Essas pessoas sempre farão com que você sinta que o que você fez não foi bom, e elas foram prejudicadas por isso. Eles farão com que você sinta que precisa fornecer ajuda para eles em todos os momentos. Eles sempre se queixam de outras pessoas que lhes causam dor. Considere alguém programado com culpa e alguém programado como sendo uma vítima vivendo junto … O relacionamento se torna um ciclo infinito de sofrimento.

O que está acontecendo por trás das minhas costas – Esta programação envolve fazer a pessoa sentir que sempre que alguém não concorda totalmente com ela, isso significa que ela está fazendo algo pelas costas. Isso é algum tipo de paranoia imposta. Essas pessoas acabam tendo tendência a mentir. Assim que se sentem ameaçados, começam a procurar provas conversando com outras pessoas que conhecem todas as partes e lhes dizem coisas incorretas. Isso acaba manipulando relacionamentos todos envolvidos. Esta é uma razão importante pela qual a unidade na comunidade e a clareza de propósito não podem ser alcançadas.

Passividade – Essas pessoas são programadas para não tomar qualquer ação em qualquer coisa. Isso impede o progresso. Essas pessoas, apesar de verem a verdade nos conflitos, permanecerão passivas e não tomarão nenhuma medida para promover a justiça.

Encontrando o Mau – Algumas pessoas estão emocionalmente programadas para constantemente procurar o ovo ruim na cesta. Eles sempre sentirão a necessidade de estar nalgum tipo de guerra na mente que procura maneiras de provar os seus pontos.

Para piorar ainda mais a situação, os Trabalhadores da Luz que deveriam cooperar entre si, foram programados para que todas as coisas ruins que aconteceram durante as suas sessões de TBMPT fossem feitas a eles por uma certa pessoa ou pessoas. Isto foi feito especificamente para impedir que Trabalhadores da Luz importantes cooperem com os outros – especialmente aqueles que encarnaram com o propósito de estar em posições de influência ou liderança.

Infelizmente, os conceitos compartilhados acima não podem ser provados até depois da Divulgação Completa – quando evidências indiscutíveis, como testemunhos de sobreviventes daqueles que se lembram totalmente e também de registos de vídeo/áudio, são exibidas abertamente ao público pela primeira vez.

Este não é um caso de “Imperador não tem roupa”, onde todas as pessoas vêem a mesma coisa e eventualmente a aceitam como a sua verdade. Essas atividades de programação foram realizadas nos locais subterrâneos escuros e as memórias das pessoas afetadas sobre esses lugares foram alteradas ou apagadas inteiramente. No entanto, a marca das emoções programadas permanece – alterando o comportamento pessoal durante anos.

O primeiro estágio de cura de qualquer trauma passado é reconhecê-lo e enfrentá-lo. O público-alvo das pessoas que estão lendo este artigo será accionado para lembrar algumas memórias estranhas depois que esses conceitos entrarem na sua consciência.

Para aqueles de vocês que serão accionados para iniciar o processo de desprogramação depois de ler este artigo, tente manter a calma e dedicar o seu tempo a atividades que o ajudem a relaxar e trazer alegria à sua vida. Além disso, esteja aberto e alcance todos os seres de luz com quem você ressoa (anjos, mestres ascensos, etc.) e chame-os para obter mais força e apoio durante todo esse processo.

O processo de cura pode ser caótico e desagradável, mas ter fé na sua capacidade de trabalhar através das memórias e emoções – cada um de nós tem um profundo reservatório de força que podemos acessar durante nossos testes emocionais mais difíceis. A hora de recuperar seu poder é agora! Fonte

Notas de rodapé:
1 Para aqueles leitores do “American Red Blooded” que podem acreditar que caçar e matar por desporto (esporte) é um direito inalienável, não que o texto da 2.ª Emenda não diga nada sobre matar animais ou humanos por desporto (esporte), como pode ser visto no elegante e simples texto real: “Uma milícia bem regulamentada sendo necessária para a segurança de um Estado livre, o direito do povo de manter e portar armas não deve ser infringido.”
2 O termo “Trabalhador da Luz” é frequentemente usado em demasia e incompreendido. Dentro do contexto deste artigo, “Trabalhador da Luz” geralmente se refere àqueles seres cujas almas têm origem em civilizações avançadas ou planos superiores de existência. Muitos desses seres encarnaram no planeta especificamente para ajudar a elevar a consciência da humanidade para a eventual ascensão física de Gaia / Terra, assim como a espécie humana. O TBMPT descrito neste artigo representa uma campanha maliciosa intencional ao longo de muitas gerações e até mesmo vidas para sequestrar esse processo e manter um baixo estado de consciência para a humanidade. O propósito primordial na publicação deste artigo é iniciar o processo de cura para aqueles seres que estão iniciando o processo de ‘lembrança’ para que eles saibam que não estão sozinhos … existem outros que são como eles e que experimentaram os mesmos traumas e agora se estão lembrando. A cura completa é e deve ser o objetivo final, não o medo desnecessário.
artigo em inglês: http://eventreference.org/2018/09/02/human-programming-101-emotions-memories-implants/
artigos relacionados:
oevento.pt/2018/10/14/cobra-atualizacao-planetaria-14-10-2018/ (COBRA referiu-se a este artigo na sua atualização)
oevento.pt/2018/09/29/pedofilia-trafico-de-criancas-rituais-com-assassinatos-projeto-mk-ultra/
oevento.pt/2017/04/20/o-controlo-da-mente-atraves-da-religiao-no-imperio-draconiano/
Pleiadianos
oevento.pt/2018/09/27/cobra-atualizacao-planetaria/

Música Reduz Stress e Ansiedade dizem os Neurocientistas…

Resultado de imagem para Musica que reduz estresse e ansiedadeNEUROCIENTISTAS DESCOBREM QUE ESSA MÚSICA REDUZ EM 65% O STRESS E ANSIEDADE…

Áudio Download: 01 – Weightless, Part 1.mp3
Álbum Completo Download: https://drive.google.com/open?
id=0BwO6gH2RPoL6TWFDR2VpZXFISGc

Stress, ansiedade, depressão são talvez o mal do século. O mundo moderno onde o contato entre as pessoas se tornou cada vez mais digital contribui muito para esses
estados.
Gadgets tendem a ser nossa janela para o mundo. Mas há um lado sombrio nisso, a necessidade de manter-se sempre no topo e seguir o que está todo mundo fazendo nas mídias sociais – também conhecido como Fomo, ou o medo de perder.

“Fomo é muito real e pode ser um vício constante que afeta os níveis de ansiedade e a sensação geral de bem-estar“, diz Kruger. A mídia social nos permite comparar tudo – relacionamentos, dieta, imagem, beleza, riqueza, padrão de vida – não só com nossos amigos, mas com celebridades também. E, algumas pesquisas mostram, que o tempo nas mídias sociais “pode causar depressão em pessoas que se comparam com os outros“.

Resultado de imagem para frequencia para cura estresse e ansiedade

A música…

Pesquisadores da Mindlab International, na Reino Unido, queriam saber que tipo de música induz o maior estado de relaxamento.
O estudo envolveu os participantes que tentavam resolver enigmas difíceis – isso desencadeou um certo grau de estresse neles – enquanto estavam conectado a sensores.
Ao mesmo tempo, os participantes ouviram uma variedade de músicas, onde os
pesquisadores mediram sua atividade cerebral, freqüência cardíaca, pressão arterial e taxa de respiração.

O que eles descobriram é que uma canção – “sem tanta importância” – resultou em uma impressionante redução de 65 por cento na ansiedade geral dos participantes e uma redução de 35 por cento em suas taxas fisiológicas normais de repouso.

Curiosamente, a música escolhida tinha sido projetado para induzir um alto grau
de relaxamento, e os cientistas não sabiam a origem da música.
Criada por Marconi Union, os músicos se juntaram com especialistas em som para organizar cuidadosamente harmonias, ritmos, que por sua vez diminuíram a freqüência cardíaca e pressão arterial do ouvinte, ao mesmo tempo em que reduziram os hormônios do estresse(cortisol).

De fato, a música é tão eficaz, que muitas participantes do sexo feminino até ficaram sonolentas – inclusive o pesquisador David Lewis-Hodgson aconselha não ouvi-la dirigindo.

Estabelecimento da Vida em Urântia…

O Livro de Urântia

VI. Energia e Modelo Original

A toda e qualquer coisa que é sensível ao circuito da personalidade do Pai, chamamos pessoal. A toda e qualquer coisa que é sensível ao circuito espiritual do Filho, chamamos espírito. A toda e qualquer coisa que é sensível ao circuito da mente do Agente Conjunto, chamamos mente; mente, como um atributo do Espírito Infinito — e mente, em todas as suas fases. A toda e qualquer coisa que é sensível ao circuito material da gravidade, centrado no Paraíso inferior, chamamos matéria — matéria-energia, em todos os seus estados metamórficos.

ENERGIA é um termo que usamos em um sentido inclusivo amplo, aplicado aos reinos espiritual, mental e material. Força é também usada assim amplamente. Poder tem o seu uso geralmente limitado à designação do nível eletrônico da matéria, no grande universo, que é sensível à gravidade linear ou material. Poder é também empregado para designar soberania. Não podemos ater-nos às vossas definições, geralmente aceitas, de força, energia e poder. Há uma tal pobreza de linguagem, que devemos atribuir significados múltiplos a esses termos.

A energia física é um termo que denota todas as formas e fases fenomênicas do movimento, seja de ação ou seja de potencial.

Ao abordarmos as manifestações da energia-física, geralmente usamos os termos força cósmica, energia emergente e poder do universo. Essas expressões são empregadas freqüentemente como se segue:

1. A força cósmica abrange todas as energias que derivam do Absoluto Inqualificável, mas que até o momento não reagem à gravidade do Paraíso.

2. A energia emergente abrange as energias que reagem à gravidade do Paraíso, mas que ainda não são sensíveis à gravidade local ou linear. Esse é o nível pré-eletrônico da matéria-energia.

3. O poder do universo inclui todas as formas de energia que, conquanto permaneçam ainda sensíveis à gravidade do Paraíso, são sensíveis diretamente à gravidade linear. Esse é o nível eletrônico da matéria-energia e de todas as evoluções subsequentes.

Mente é um fenômeno que denota a presença-atividade do ministério vivo e também de sistemas variados de energia; e isso é verdadeiro para todos os níveis de inteligência. Na personalidade, a mente intervém continuamente, entre o espírito e a matéria; e desse modo, o universo é iluminado por três espécies de luz: a luz material, a luz do discernimento intuitivo-intelectual e a luminosidade do espírito.

Luz — a luminosidade do espírito — é um símbolo verbal, uma figura de discurso que conota a manifestação da personalidade característica dos seres espirituais de várias ordens. Essa emanação luminosa não está relacionada, sob nenhum ponto de vista, à luz do discernimento intuitivo-intelectual nem às manifestações da luz física.

MODELO ORIGINAL pode ser projetado como energia material, espiritual ou mental, ou como qualquer combinação dessas energias. Pode estar presente nas personalidades, identidades, entidades ou na matéria não vivente. Mas o modelo é arquétipo e permanece como tal; apenas as cópias são múltiplas.

O modelo original, ou arquétipo, pode configurar a energia, mas não a controla. A gravidade é o único controle da matéria-energia. Nem o espaço nem o arquétipo são sensíveis à gravidade, mas não há nenhuma relação entre o espaço e o arquétipo; o espaço não é nem modelo, nem modelo potencial. O modelo é uma configuração da realidade que já pagou todo o seu débito à gravidade; a realidade de qualquer arquétipo consiste nas suas energias, nos seus componentes de mente, de espírito ou de matéria.

Em contraste com o aspecto do total, o modelo original revela o aspecto individual da energia e da personalidade. As formas da personalidade, ou da identidade, são modelos resultantes da energia (física, espiritual ou mental), mas não são inerentes a ela. Essa qualidade da energia ou da personalidade, em virtude da qual o arquétipo é levado a surgir, pode ser atribuída a Deus — à Deidade — ao dom de força do Paraíso e à coexistência da personalidade e do poder.

O modelo arquetípico é o desenho-mestre do qual as cópias são criadas. O Paraíso Eterno é o absoluto dos modelos; o Filho Eterno é a personalidade-modelo; o Pai Universal é a fonte-ancestral direta de ambos. E, assim, pois, o Paraíso não outorga arquétipos, e o Filho não pode outorgar a personalidade.

Resultado de imagem para livro de urantia Energia

(Documento 58)

EM TODO o Satânia, há apenas 61(sessenta e um) mundos semelhantes a Urântia, planetas de modificação da vida. Os mundos habitados, na sua maioria, são povoados de acordo com técnicas estabelecidas e, em tais esferas, os Portadores da Vida têm pouca liberdade para fazer variar os seus planos de implantação da vida. Todavia, um mundo, entre dez, é designado como planeta decimal, e destinado ao registro especial dos Portadores da Vida; e, nesses planetas, é-nos permitido efetuar certos experimentos de vida, num esforço para modificar ou possivelmente aperfeiçoar o padrão dos tipos de seres vivos no universo.

1. Os Pré-Requisitos para a Vida Física

Há 600 milhões de anos, a comissão de Portadores da Vida, enviada de Jerusalém, chegou em Urântia e começou o estudo das condições físicas preparatórias, para dar início à vida no mundo de número 606, do sistema de Satânia. Essa seria a nossa sexcentésima sexta experiência de iniciação da vida nos padrões de Nébadon, em Satânia, e a nossa sexagésima oportunidade de efetuar alterações e instituir modificações no projeto básico padrão da vida do universo local.

Deve ficar claro que os Portadores da Vida não podem iniciar a vida antes de uma esfera estar amadurecida para a inauguração do ciclo evolucionário. E também não podemos promover um desenvolvimento mais rápido da vida do que aquele que pode ser suportado e acomodado pelo progresso físico do planeta.

Os Portadores da Vida de Satânia haviam projetado um padrão de vida baseado no cloreto de sódio; e, portanto, nenhum passo poderia ser dado, no sentido de plantar essa vida, antes que as águas dos oceanos se houvessem tornado suficientemente salgadas. O tipo urantiano de protoplasma pode funcionar apenas em uma solução salina adequada. Toda a vida ancestral—vegetal e animal—evoluiu em um habitat dentro de tal solução salina. E mesmo os animais terrestres mais altamente organizados não poderiam continuar a viver, se essa mesma solução salina essencial não circulasse nos seus corpos, na corrente sanguínea, que livremente banha e literalmente submerge cada pequena célula viva nessa “profundidade marinha salgada”.

Os vossos ancestrais primitivos circulavam livremente no oceano salgado; hoje, essa mesma solução salina oceânica circula livremente nos vossos corpos, banhando cada célula individual com um líquido químico comparável, em essência, à água salgada que estimulou as primeiras reações protoplasmáticas das primeiras células que funcionaram com vida no planeta.

Contudo, quando essa idade tem início, Urântia encontra-se, em todos os sentidos, evoluindo para um estado favorável à sobrevivência das formas iniciais da vida marinha. De modo seguro e vagarosamente, os desenvolvimentos físicos na Terra e regiões espaciais adjacentes preparam o cenário para as futuras tentativas de implantar formas de vida tais que, conforme havíamos decidido, seriam as mais adaptáveis ao ambiente físico que despontava—tanto terrestre, quanto aéreo.

Subsequentemente, a comissão de Portadores da Vida de Satânia retornou a Jerusalém, preferindo aguardar a quebra posterior da massa continental de terra, o que proporcionaria um número ainda maior de mares avançando terra adentro, e de baías abrigadas, antes de iniciarem de fato a implantação da vida.

Num planeta em que a vida tem uma origem marinha, as condições ideais para a implantação da vida são providas por um grande número de braços de mares, em linhas extensas de praias de águas rasas, cheias de baías abrigadas; e essa distribuição das águas na Terra era, exatamente, a que se estava desenvolvendo com rapidez. Esses antigos mares interiores raramente excediam a profundidade de cento e cinqüenta a duzentos metros; e a luz do sol pode penetrar na água do oceano por mais de cento e oitenta metros.

E foi a partir dessas baías de climas amenos e regulares, de uma idade posterior, que a vida vegetal primitiva encontrou seu caminho para a terra. Ali, o alto grau de carbono da atmosfera proporcionou às novas variedades de vida terrestre uma oportunidade de crescimento rápido e luxuriante. Embora essa atmosfera fosse, então, a ideal para o crescimento das plantas, ela continha um grau tão alto de dióxido de carbono que nenhum animal, e o homem menos ainda, poderia então haver vivido na face da Terra.

2. A Atmosfera de Urântia

A atmosfera planetária filtra para a Terra cerca de dois bilionésimos da luz total emanada do sol. Se a luz que cai sobre a América do Norte fosse taxada, a uma tarifa de dois centavos por quilowatt-hora, a conta de luz anual subiria a 800 quatrilhões de dólares. A conta de Chicago, da luz do sol, atingiria a soma considerável de mais de 100 milhões de dólares por dia. E deveria ser lembrado que vós recebeis do sol outras formas de energia—a luz não é a única contribuição solar que alcança a vossa atmosfera. Muitas energias solares derramam-se sobre Urântia, abrangendo comprimentos de ondas tanto acima quanto abaixo do alcance de reconhecimento da visão humana.

A atmosfera da Terra é quase opaca para muitas das radiações solares no extremo ultravioleta do espectro. A maioria dessas ondas de comprimentos curtos é absorvida por uma camada de ozônio que existe até um nível de dezesseis quilômetros acima da superfície da Terra, e que se estende por mais outros dezesseis quilômetros no espaço. O ozônio que permeia essa região, nas condições que prevalecem na superfície da Terra, formaria uma camada de apenas dois milímetros e meio de espessura; essa quantidade relativamente pequena, e aparentemente insignificante, de ozônio, contudo, protege os habitantes de Urântia dos excessos das radiações ultravioleta, perigosas e destrutivas, presentes na luz do sol. Todavia, se essa camada de ozônio fosse ligeiramente mais espessa, vós estaríeis sendo privados dos raios ultravioleta, altamente importantes e provedores de saúde, que agora alcançam a superfície da Terra e que são os ancestrais de uma das vossas vitaminas mais essenciais.

E, ainda assim, alguns dos menos imaginativos entre os vossos mecanicistas mortais insistem em ver a criação material e a evolução humana como um acaso. Os seres intermediários de Urântia reuniram cerca de cinqüenta mil fatos da física e da química que eles julgam ser incompatíveis com as leis das probabilidades do acaso, os quais, segundo eles defendem, demonstram inequivocamente a presença de propósito inteligente na criação material. E tudo isso não leva em conta o seu catálogo das mais de cem mil descobertas, fora do domínio da física e da química, que eles sustentam serem uma prova da presença da mente no planejamento, criação e manutenção do cosmo material.

O vosso sol derrama um verdadeiro dilúvio de raios mortais, e a agradável vida que tendes em Urântia acontece devido à influência “fortuita” de mais de quarenta operações protetoras, aparentemente acidentais, semelhantes à ação dessa camada singular de ozônio.

Não fora o efeito “cobertor” da atmosfera, à noite o calor perder-se-ia por irradiação e tão rapidamente que seria impossível manter a vida, exceto por dispositivos artificiais.

A camada dos primeiros oito ou dez quilômetros inferiores da atmosfera da Terra é a troposfera; é a região dos ventos e correntes de ar que causam os fenômenos meteorológicos. Acima dessa região, está a ionosfera interna, e, mais acima, está a estratosfera. Subindo, da superfície da Terra, a temperatura vai caindo constantemente por dez ou doze quilômetros, altitude em que é registrada a temperatura de cerca de 56 graus Celsius abaixo de zero. Essa faixa de temperatura, entre 54 e 56 graus abaixo de zero, permanece sem alterações até uma altitude de mais de sessenta e cinco quilômetros; essa região de temperatura constante é a estratosfera. A uma altitude de setenta ou oitenta quilômetros, a temperatura começa a aumentar, e esse aumento continua até que, no nível das auroras boreais, uma temperatura de 650 graus Celsius é atingida, e é esse intenso calor que ioniza o oxigênio. No entanto, a temperatura nessa atmosfera rarefeita não pode ser comparável à sensação de calor na superfície da Terra. Lembrai-vos de que a metade de toda a vossa atmosfera está concentrada nos primeiros cinco mil metros. A altitude da atmosfera da Terra é indicada pelos arcos luminosos, os da mais elevada altitude, das auroras boreais—de cerca de seiscentos e cinqüenta quilômetros.

Os fenômenos das auroras boreais estão diretamente relacionados às manchas solares, aqueles ciclones solares que turbilhonam em direções opostas acima e abaixo do equador solar, tal como o fazem os furacões terrestres tropicais. Tais perturbações atmosféricas giram em sentidos opostos, quando ocorrem acima ou abaixo do equador.

O poder que as manchas solares têm de alterar as freqüências da luz mostra que esses centros de tempestades solares funcionam como enormes magnetos. Esses campos magnéticos são capazes de arrastar as partículas carregadas, das crateras das manchas solares, arrojando-as no espaço até a atmosfera externa da Terra, onde a sua influência ionizante produz os desdobramentos espetaculares da aurora boreal. Por isso, tendes os maiores fenômenos de auroras quando as manchas solares estão no seu apogeu—ou estarão, logo em seguida—, momento este em que as manchas estão em geral situadas perto do equador.

Mesmo a agulha de bússolas é sensível a essa influência solar, pois elas inclinam-se ligeiramente para o leste quando o sol se levanta, e ligeiramente para o oeste quando o sol está preste a se pôr. Isso acontece todos os dias, mas, durante o apogeu do ciclo das manchas solares, a variação da bússola é duas vezes maior. Esses desvios diurnos da bússola ocorrem por reação ao aumento da ionização da atmosfera superior, que é produzida pela luz solar.

É a presença de dois níveis diferentes, de regiões eletrificadas condutoras, na super estratosfera, que permite a transmissão, a longa distância, das vossas emissões radiofônicas de ondas curtas e longas. As vossas transmissões radiofônicas são, algumas vezes, perturbadas pelas terríveis tempestades que ocasionalmente assolam os domínios dessas ionosferas externas.

3. O Meio Ambiente Espacial

Durante os primeiros tempos da materialização do universo, as regiões do espaço estão intercaladas com vastas nuvens de hidrogênio, muito semelhantes às nuvens astronômicas de poeira que agora caracterizam muitas regiões no espaço remoto. Uma grande parte da matéria organizada, que os sóis abrasadores reduzem e dispersam como energia radiante, originalmente era composta dessas nuvens espaciais primitivas de hidrogênio. Sob certas condições inusitadas, a desintegração dos átomos também ocorre no núcleo das massas maiores de hidrogênio. E todos esses fenômenos de constituição e desintegração do átomo, como nas nebulosas altamente aquecidas, são seguidos pela emergência de fluxos de marés de raios de energia radiante de comprimento curto. Acompanhando essas radiações diversas, há uma forma de energia-espaço desconhecida em Urântia.

Essa carga de energia de raios curtos do espaço, no universo, é quatrocentas vezes maior do que todas as outras formas de energia radiante que existem nos domínios do espaço organizado. A emissão de raios espaciais curtos, originários seja das nebulosas abrasadoras ou de tensos campos elétricos, seja do espaço exterior ou das vastas nuvens de pó de hidrogênio, é modificada, qualitativa e quantitativamente, pelas flutuações e pelas súbitas mudanças nas tensões, na temperatura, na gravidade e nas pressões eletrônicas.

Essas eventualidades, nas origens dos raios do espaço, são determinadas por muitas ocorrências cósmicas, bem como pelas órbitas de matéria circulante, que podem variar, de círculos modificados a elipses extremas. As condições físicas podem também ser grandemente alteradas, porque os elétrons algumas vezes giram no sentido oposto ao do comportamento da matéria mais grosseira, ainda que na mesma zona física.

As imensas nuvens de hidrogênio são verdadeiros laboratórios cósmicos de química, abrigando todas as fases da energia em evolução e matéria em metamorfose. Atividades energéticas intensas também ocorrem nos gases marginais das grandes estrelas binárias, que com tanta freqüência se sobrepõem e, em conseqüência disso, se misturam profundamente. Contudo, nenhuma dessas atividades energéticas, tremendas e extensas, do espaço, exerce a menor influência sobre os fenômenos da vida organizada—o plasma germinador das coisas e seres vivos. Essas condições da energia espacial são inerentes ao meio ambiente essencial ao estabelecimento da vida, todavia não são efetivas nas modificações subsequentes dos fatores de herança do plasma da germinação, como o são alguns dos raios mais longos de energia radiante. A vida implantada pelos Portadores da Vida resiste plenamente a toda essa torrente assombrosa de raios curtos de espaço da energia do universo.

Todas essas condições cósmicas essenciais tinham que evoluir até um estado favorável, antes que os Portadores da Vida pudessem, de fato, iniciar o estabelecimento da vida em Urântia.

4. A Era da Aurora da Vida

Não vos deixeis confundir pelo fato de sermos chamados de Portadores da Vida. Podemos transportar a vida, e nós a transportamos aos planetas, mas não transportamos nenhuma vida para Urântia. A vida de Urântia é única, e original com o planeta. Esta esfera é um mundo de modificação da vida; toda a vida que surgiu aqui foi formulada por nós, aqui mesmo, no planeta; e não há outro mundo em todo o Satânia, e mesmo em todo o Nébadon, que tenha uma existência de vida igual a essa de Urântia.

Há 550 milhões de anos, o corpo de Portadores da Vida retornou a Urântia. Em cooperação com os poderes espirituais e as forças supra físicas, nós organizamos e iniciamos os modelos originais de vida desse mundo e os plantamos nas águas hospitaleiras desse reino. Toda a vida planetária (excluindo as personalidades extraplanetárias) até os dias de Caligástia, o Príncipe Planetário, teve a sua origem nas nossas três implantações originais, idênticas e simultâneas de vida marinha. Essas três implantações de vida foram designadas como sendo: a central ou eurasiana-africana, a oriental ou australásica, e a ocidental, que abrange a Groenlândia e as Américas.

Há 500 milhões de anos, a vida marinha vegetal primitiva estava bem estabelecida em Urântia. A Groenlândia e a massa de terra do Ártico, junto com as da América do Sul e América do Norte, estavam começando a sua longa e lenta derivação para oeste. A África moveu-se ligeiramente para o sul, criando uma depressão a leste e, a oeste, a bacia do Mediterrâneo, entre ela própria e o corpo-mãe. A Antártida, a Austrália e a terra marcada pelas ilhas do Pacífico desprenderam-se ao sul e a leste, e derivaram para mais longe desde aquela época.

Havíamos plantado a forma primitiva de vida marinha nas baías tropicais abrigadas dos mares centrais da segmentação leste-oeste da massa continental de terra que se desprendia. O nosso propósito, ao fazer três implantações de vida marinha, era assegurar que cada uma dessas grandes massas de terra tivesse vida nas suas águas marinhas quentes, quando a terra posteriormente se separasse. Previmos para a era seguinte, quando surgisse a vida terrestre, que grandes oceanos de água separariam tais massas continentais de terra à deriva.

5. A Deriva Continental

A deriva da terra continental continuou. O núcleo da Terra havia-se tornado tão denso e rígido quanto o aço, estando sujeito à pressão de quase 3 500 toneladas por centímetro quadrado, e, devido à enorme pressão da gravidade, foi e ainda é muito quente no seu interior profundo. A temperatura cresce, da superfície para dentro, até que, no centro, está ligeiramente acima da temperatura da superfície do sol.

Os mil e seiscentos quilômetros exteriores da massa da Terra consistem principalmente em espécies diferentes de rocha. Por baixo, ficam os elementos metálicos mais densos e pesados. Nas primeiras idades pré-atmosféricas, o mundo estava, no seu estado altamente aquecido e de fusão, tão perto do estado fluido, que os metais mais pesados afundavam pesadamente para o interior. Aqueles que hoje se encontram próximos da superfície representam as exsudações de vulcões antigos, fluxos de lava posteriores e extensos, e depósitos meteóricos mais recentes.

A crosta externa tinha cerca de sessenta e cinco quilômetros de espessura. Essa casca externa estava apoiada e repousava diretamente sobre um mar de basalto fundido, de espessura variável, uma camada móvel de lava fundida, mantida sob alta pressão, mas sempre tendendo a fluir, aqui e ali, para equalizar as flutuações das pressões planetárias, tendendo, desse modo, a estabilizar a crosta da Terra.

Mesmo hoje, os continentes continuam a flutuar sobre essa almofada não cristalizada que é o mar de basalto fundido. Não fosse essa condição protetora, os terremotos mais severos fariam literalmente o mundo em pedaços. Os terremotos são causados por deslizamentos e deslocamentos da crosta externa sólida, e não pelos vulcões.

As camadas de lava da crosta da Terra, quando esfriadas, formam granito. A densidade média de Urântia é um pouco maior do que cinco vezes e meia a da água; a densidade do granito é de menos do que três vezes a da água. O núcleo da Terra é doze vezes mais denso do que a água.

Os fundos dos mares são mais densos do que as massas de terra, e é isso que mantém os continentes acima da água. Quando o fundo dos mares é expelido até um nível acima do mar, verifica-se que consiste em uma parte maior de basalto, uma forma de lava consideravelmente mais pesada do que o granito das massas de terra. E, por outro lado, se os continentes não fossem mais leves do que os fundos dos oceanos, a gravidade arrastaria as bordas dos oceanos até acima das terras, mas tais fenômenos não acontecem.

O peso dos oceanos é também um fator que aumenta a pressão sobre os fundos dos oceanos. As camadas mais profundas e relativamente mais pesadas, dos fundos dos oceanos, mais o peso exercido pela água que está por cima, aproximam-se do peso dos continentes mais elevados, mas bem menos pesados. Todos os continentes, porém, tendem a deslizar lentamente para os oceanos. A pressão continental no nível do fundo do oceano é de cerca de 1 300 quilogramas por centímetro quadrado. Quer dizer, esta seria a pressão de uma massa continental que se eleva a 5 000 metros acima do fundo do oceano. A pressão de água no fundo do oceano é de cerca de apenas 350 quilogramas por centímetro quadrado. Essas pressões diferenciais tendem a fazer os continentes deslizarem na direção dos leitos dos oceanos.

A depressão do fundo dos oceanos, durante as idades anteriores à vida, havia elevado uma massa continental solitária a uma altura tal que a sua pressão lateral tendia a fazer com que as bordas orientais, ocidentais e sulinas deslizassem para baixo, sobre os leitos subjacentes da lava semi viscosa, até as águas do oceano Pacífico, que rodeavam a massa continental. Isso compensava a pressão continental tão completamente, que não ocorreu nenhuma ruptura maior na margem oriental do continente asiático anterior, mas, desde então, essa linha costeira oriental tem estado suspensa sobre o precipício das profundezas oceânicas adjacentes, ameaçando deslizar para dentro de um túmulo marinho.

6. O Período de Transição

Há 450 milhões de anos, aconteceu a transição da vida vegetal para a vida animal. Essa metamorfose teve lugar nas águas rasas das lagoas e das baías tropicais, abrigadas ao longo das linhas costeiras extensas dos continentes que se separavam. E esse desenvolvimento, todo ele inerente aos padrões originais da vida, deu-se gradativamente. Havia muitos estágios de transição entre as formas iniciais primitivas de vida vegetal e os organismos animais posteriores bem definidos. E, ainda hoje, persistem as formas de limos de transição, as quais não podem ser classificadas, seja como plantas, seja como animais.

Ainda que a evolução da vida vegetal em vida animal possa ser determinada, e embora hajam sido encontradas séries graduais de plantas e animais que progressivamente se desenvolveram dos mais simples aos mais complexos e avançados organismos, vós não sereis capazes de encontrar esses elos de ligação entre as grandes divisões do reino animal, nem entre o mais elevado dos tipos de animais pré-humanos e o alvorecer dos homens das raças humanas. Esses chamados “elos perdidos” permanecerão para sempre perdidos, pela simples razão de nunca haverem existido.

De era para era, aparecem espécies radicalmente novas de vida animal. Elas não evoluem como conseqüência da acumulação gradual de pequenas variações; surgem como novas ordens de vida, plenamente desenvolvidas, e aparecem subitamente.

O aparecimento súbito de novas espécies e de ordens diversificadas de organismos vivos é totalmente biológico, estritamente natural. Nada há de sobrenatural ligado a essas mutações genéticas.

No grau apropriado de salinidade nos oceanos, a vida animal evoluiu, e foi relativamente simples permitir que as águas salgadas circulassem nos corpos animais de vida marinha. Quando, porém, os oceanos se contraíram e a porcentagem de sal aumentou consideravelmente, esses mesmos animais desenvolveram a capacidade de reduzir a salinidade dos fluidos dos seus corpos, exatamente como aqueles organismos que aprenderam a viver na água doce adquiriram a capacidade de manter o grau adequado de cloreto de sódio nos fluidos dos seus corpos, por meio de técnicas engenhosas de conservação desse sal.

O estudo das fossilizações de vida marinha dentro de rochas revela as lutas iniciais dos ajustamentos desses organismos primitivos. As plantas e os animais nunca deixaram de efetuar tais experimentos de ajustes. O ambiente mantém-se em constante alteração e os organismos vivos estão sempre lutando para acomodar-se a essas flutuações sem fim.

O equipamento fisiológico e a estrutura anatômica de todas as ordens novas de vida respondem continuamente à ação das leis físicas, mas o dom subseqüente da mente é uma dádiva dos espíritos ajudantes da mente, de acordo com a capacidade inata do cérebro. A mente, ainda que não seja proveniente da evolução física, é integralmente dependente da capacidade do cérebro, proporcionada por desenvolvimentos puramente físicos e evolucionários.

Durante ciclos quase sem fim de ganhos e perdas, de ajustes e reajustes, todos os organismos vivos progridem e regridem de uma idade para outra. Aqueles que alcançam a unidade cósmica perduram, enquanto aqueles que perdem essa meta cessam de existir.

7. O Livro da História Geológica

O vasto grupo de sistemas de rochas que constituiu a camada externa da crosta do mundo durante a era do alvorecer da vida, ou era Proterozoica, não aparece atualmente em muitos pontos na superfície da Terra. E, quando de fato emergem de baixo de todos os sedimentos das idades subsequentes, serão encontrados apenas os remanescentes fósseis de vegetais e da vida animal muito primitiva. Algumas dessas rochas mais antigas, depositadas pela água, estão misturadas a camadas posteriores, e algumas vezes elas apresentam restos fósseis de algumas das formas anteriores de vida vegetal, enquanto, ocasionalmente, nas camadas mais superficiais podem ser encontradas algumas formas mais antigas de organismos marinhos animais primitivos. Em muitos locais, essas camadas mais antigas de rocha estratificada, que contêm os fósseis de vida marinha primitiva, tanto animal quanto vegetal, podem ser encontradas diretamente acima da pedra mais antiga e não diferenciada.

Os fósseis dessa era trazem algas, plantas semelhantes a corais, protozoários primitivos e organismos esponjosos de transição. Contudo, a ausência desses fósseis nas camadas mais antigas não prova necessariamente que coisas vivas não existissem em outros locais, na época do seu depósito. A vida era esparsa durante esses tempos iniciais, e apenas vagarosamente gerou o seu caminho pela superfície da Terra.

As rochas dessa idade mais antiga encontram-se agora na superfície da Terra, ou muito próximas da superfície, sobre mais de um oitavo da área atual de terras. A espessura média dessas pedras de transição, das mais antigas camadas de rocha estratificada, é de cerca de 2 500 metros. Em alguns pontos, esses antigos sistemas de rochas têm até 6 500 metros de espessura, mas, muitas das camadas, atribuídas a essa era, pertencem a períodos mais recentes.

Na América do Norte, essa camada antiga e primitiva de rocha contendo fósseis vem à superfície nas regiões oriental, central e setentrional do Canadá. Também existe uma cordilheira intermitente dessa rocha na direção leste-oeste, que vai do estado da Pensilvânia e das antigas montanhas do Adirondack, a oeste, e atravessa os estados de Michigan, Wisconsin e Minnesota. Outras cordilheiras estendem-se desde as Terras Novas até o estado do Alabama, e do Alasca ao México.

As rochas dessa era estão expostas aqui e ali em todo o mundo, mas nenhuma delas é de interpretação tão fácil como as vizinhas do lago Superior e do Grande Canyon no rio Colorado, onde essas rochas, que contêm fósseis primitivos, existentes em várias camadas, atestam as elevações e flutuações da superfície das terras naqueles tempos bastante remotos.

Essa camada de pedra, o mais antigo estrato com fossilizações na crosta da Terra, foi desmoronada, dobrada e caprichosamente torcida, pelos solavancos dos terremotos e vulcões primitivos. Os fluxos de lava nessa era traziam muito ferro, cobre e chumbo até bem próximo da superfície planetária.

Há poucos lugares na Terra onde essas atividades são mais graficamente visíveis do que no vale de Santa Croix, em Wisconsin. Nessa região, ocorreram cento e vinte e sete fluxos sucessivos de lava no solo, seguidos de submersões pela água, com o conseqüente depósito de rocha. Se bem que grande parte da sedimentação superior da rocha e dos fluxos intermitentes de lava esteja ausente, hoje em dia, e embora a base desse sistema esteja enterrada muito profundamente no solo, ainda assim, cerca de sessenta e cinco ou setenta desses registros estratificados de eras do passado atualmente encontram-se expostos à vista.

Nessas idades iniciais, quando grande parte das terras estava próxima do nível do mar, ocorreram muitas submersões sucessivas e vários levantamentos. A crosta da Terra estava apenas entrando no seu último período de relativa estabilização. As ondulações das massas, as elevações e os mergulhos provocados pelo início da deriva continental contribuíram para a freqüência das submersões periódicas das grandes massas de terra.

Durante esses tempos de vida marinha primitiva, grandes áreas das margens continentais afundaram nos mares a profundidades de um a oitocentos metros. Grande parte dos arenitos mais antigos e outros conglomerados representam as acumulações sedimentares dessas antigas margens. As rochas sedimentares, pertencentes a essa estratificação mais antiga, repousam diretamente sobre camadas que datam de muito antes da origem da vida, e remontam ao aparecimento inicial do oceano mundial.

Algumas das camadas mais superficiais desses depósitos de rocha de transição contêm pequenas quantidades de xistos e de ardósias de cores escuras, indicando a presença de carbono orgânico e atestando a existência dos ancestrais das formas de vida vegetal que invadiram a Terra durante a era Carbonífera subseqüente, ou era do carvão. Boa parte do cobre nessas camadas de rochas resulta de depósitos de água. Um pouco desse cobre é encontrado nas fissuras de rochas mais antigas e vem da concentração de águas pantanosas turfosas de alguma antiga linha de costa abrigada. As minas de ferro da América do Norte e da Europa estão localizadas em depósitos e extrusões que repousam, em parte, sobre rochas mais antigas não estratificadas e, em parte, sobre essas rochas estratificadas posteriormente, dos períodos de transição de formação da vida.

Essa era testemunha a disseminação da vida pelas águas do mundo; a vida marinha tornara-se já bem estabelecida em Urântia. O fundo dos mares rasos, mas longos, adentrando nas terras, está sendo gradualmente invadido por um crescimento profuso e luxuriante de vegetação, enquanto as águas da linha costeira encontram-se infestadas das formas simples de vida animal.

Toda essa história está graficamente contada, nas páginas fossilizadas do vasto “livro de pedra”, o arquivo deste mundo. E as páginas desse gigantesco registro biogeológico dirão, infalivelmente, a verdade, tão logo vós adquirirdes a capacidade para fazer a interpretação delas. Muitos desses fundos marinhos antigos estão agora elevados bem acima do nível da superfície terrestre e os seus depósitos, de idade sobre idade, contam a história das lutas pela vida naqueles dias iniciais. Como disse o vosso poeta, é

[Apresentado por um membro do Corpo de Portadores da Vida de Urântia, atualmente residente neste planeta.] Fonte

Leia: Livro de Urântia em Pdf
         Livro de Urântia para Ler

Transição da Terra & Transição Interdimensional…

Resultado de imagem para transição planetáriaFase de preparação mais intensa de uma nova humanidade e uma nova Terra. Do ponto de vista externo, a transição planetária teve início em 8.8.88, data em que se intensificou o processo de transformação planetário e solar.

Considerando que a forma do algarismo 8 contém a de todos os demais, pode-se dizer que os quatro oitos dessa data simbolizam o estabelecimento da supremacia da Energia Única em quatro níveis de consciência: o físico, o etérico, o emocional e o mental, bem como a Quarta Iniciação, à qual o planeta se encaminha.

A transição de Terra vem sendo preparada há milênios, o que se fez notar sobretudo nos últimos tempos. Caracteriza-se pela purificação de sua superfície em âmbito global e pelo resgate dos seres que se capacitaram para trilhar caminhos evolutivos segundo as leis que passarão a reger a existência no ciclo vindouro.

É período em que se fazem mudanças profundas, entre as quais se destacam:

  • A sutilização da planetária
  • A reestruturação dos níveis de consciência
  • O juízo em todos os reinos da Natureza
  • A mudança da inclinação do eixo da Terra
  • A reconfiguração dos continentes e mares
  • O implante de novo código genético na parcela da humanidade que prosseguirá na Terra ou em mundos mais evoluídos.
  • O relacionamentos aberto do ser humano da superfície terrestre com civilizações intraterrenas e extraterrestres evoluídas e a maior integração do planeta na vida solar e cósmica.

Corresponde também a importante avanço na processo iniciático do Logos planetário.
Essa transição permitirá a superação dos aspectos materiais da lei do carma como regentes da evolução.
São os atuais conflitos e desarmonias que proporcionam, em parte, o ajuste de débitos cármicos necessário para essas mudanças. A transição constitui-se basicamente em duas etapas.

Na primeira, a lei da purificação é aplicada em âmbito planetário, grupal e individual e os seres que não devem sucumbir ao caos são resgatados. O confronto final entre as diversas falanges das forças do caos redundará em vasta destruição externa.

Na segunda etapa, a superfície da terra é reordenada e alguns dos seres resgatáveis trasladados na primeira fase retornam para a reconstrução do mundo de superfície e a fundação da nova civilização A transição da Terra como um todo é conduzida por Inteligências e seres intergaláticos, energias supra físicas e entidades intraterrenas que representam leis imateriais.

Paralelamente a esse movimento libertador que visa à redenção da vida terrestre, há outro, obscuro, organizado pelo poder material da presente civilização. Este tem por objetivo exterminar grande parte da população da superfície da Terra pelo incentivo à guerra e ao uso de drogas, pela fome, pelas enfermidades e pela miséria, aumentadas com a permissividade do chamado poder judiciário e com a omissão dos governos.

Por meio da dominação econômica e da corrupção dos políticos, os representantes desse movimento (empresas multinacionais, nas quais se incluem certas organizações religiosas) planejam apoderar-se das regiões menos contaminadas de radiações nucleares e epidemias, regiões que ainda possuam recursos naturais mínimos, tais como água potável e área cultivável, e manter a população nativa em condição servil ou de apatia e não-reação. No caso da contaminação nuclear geral e incontrolável, imaginam poder trasladar-se para uma base física no espaço, criada com a atual tecnologia científica terrestre.

Todavia, apesar dessas aparências, nos níveis internos da existência está assegurada a continuidade da Terra em condições de harmonia e integrada na ordem cósmica. O comportamento da humanidade na atual transição pode conduzir o transcurso de certos fatos dolorosos, mas não alterar a consumação de um processo salvífico já determinado com elementos extraplanetários que  transcendem as forças obscuras.
Aos indivíduos despertos cabe aperfeiçoar a sintonia com as leis evolutivas superiores e com a Hierarquia espiritual (seres evoluídos) e efetivamente servir, sabendo que o verdadeiro governo da Terra é invisível, interior, conhecedor dos ciclos e tudo dirige para o Bem. Fonte

Extraído do livro Glossário esotérico de Trigueirinho

                          Transição Interdimensional

Um dos principais trabalhos que as naves laboratório estão a implementar é a atribuição, no máximo de indivíduos possível, daquilo a que se pode chamar “um manto de luz”. Um manto de luz é o fortalecimento da proteção, o campo de permanência dentro do qual cada ser consciente é transportado durante a desmaterialização e a rematerialização do planeta Terra.
Neste momento a Terra aproxima-se inexoravelmente para um portal do qual não há retorno. Esse portal está a uma distância temporal de, sensivelmente, 10 anos, gera a passagem da Terra inteira a um nível de forma-pensamento durante 72 horas e depois, as formas-pensamento capazes de se ajustar a uma matriz da 4ª dimensão, atravessam o portal, são resolidificados do lado de lá. Ou seja, a transição que está a acontecer não pode ser medida por regras e compassos sociológicos, políticos, intelectuais ou religiosos.

A transição que já começou atua num nível bem abaixo da matéria que nós conhecemos e bem acima do espírito tal como nós o conhecemos.

Os gatilhos da transição interdimensional e as âncoras que fazem com que uma realidade seja estável, encontram-se muito abaixo da matéria tal como nós a conhecemos a níveis indescritíveis do comportamento da energia física absoluta e muito acima da própria mônada do Homem. Todos os gatilhos e as âncoras que estão a ser mexidos situam-se em “regiões” extremas da vida que praticamente todo o conhecimento que nós temos como espécie não tem campo semântico para compreender o que está a acontecer.

Esta transição de 72 horas acontece porque os guardiões do espaço/tempo destravam a Terra de toda a substância densa a que ela está vinculada e apenas as formas pensamento, que estão por detrás da matéria densa, atravessam o portal.
Significa que o Homem é essencialmente uma impressão de luz sobre uma tela biológica e essa identidade superior imprime-se numa tela biológica através de uma sequência organizada em ângulos rectos de pontos cristalinos (retícula cristalina) que, no plano etérico profundo, informa o código genético da entidade residente, do tipo de entidade superior que é residente naquele corpo. O que significa que a imagem sagrada, real, entendida como um modelo indestrutível para o teu ser (e cada ser tem o seu), essa imagem está apenas ligeiramente impressa nestes corpos (físico, emocional, mental).

O Homem é uma imagem de luz impressa na substância.

Existe esta retícula cristalina, a que nós chamamos corpo gemátrico, no profundo
eletrônico do nosso ser que recebe a imagem em estado perfeito – imagem imaculada do que nós somos. Esta imagem tem um poder para se impor. A impressão da imagem sobre o suporte biológico é regulada pela vontade do espírito dentro de nós e é ele que aumenta o poder dessa imagem através dos corpos subtis, é ele que aumenta o poder de luz dessa imagem imprimindo-se nessa quadrícula do cristalino que existe dentro de nós, e o código genético não seria nada se essa imagem sagrada não chegasse até ele sob a forma de ondas carregadas de modelação de frequência.

A Terra inteira é a mesma coisa, uma impressão num campo biológico, num campo inter espécies, num campo geológico,… . Ela é a impressão de uma poderosa imagem que é a própria ideação do Logos planetário terrestre complementada pelo Amor, pela Sabedoria, pela Inteligência e pela Plasticidade da Mãe do Mundo, que é a guardiã do potencial máximo de toda a matéria.

Quando a Terra se aproximar desse portal e entrar numa zona de nulo magnético… porque existe um nulo magnético o vínculo entre a imagem sagrada do mundo e o seu atual corpo é solto momentaneamente. Existe um afrouxar das âncoras e dos pontos de fixação que prendem a imagem sagrada do mundo na mente do Logos em relação a toda a matéria terrestre.
Grande parte da substância terrestre que atingiu um certo grau vibratório nos reinos mineral, vegetal, animal e no físico humano, grande parte desta substância física que teve, durante milhões de anos, sucessivamente, programas logóicos de formação de espécies, de formas e de modos de comportamento, grande parte da substância da Terra também se está preparando para ser elevada a forma pensamento durante essas 72 horas.

As montanhas, os lagos, as florestas, os oceanos, as espécies, os elementos, grande parte da biomassa e também da majestosa massa inorgânica está-se preparando para este salto interdimensional. A matéria também quer atravessar o portal mas nem toda a matéria o pode fazer, assim como nem todos os corpos físicos, nem todas as espécies podem atravessar, porque a transição que vai ser feita é entre uma forma de captar a imagem logóica para a Terra que é a fórmula da 3ª dimensão, para uma fórmula da 4ª dimensão onde a forma como a substância Mãe, a consciência Filho e o fogo do Pai interagem muito mais próximos de um triângulo equilátero do que na 3ª dimensão, em que o triângulo está descalibrado.
Só podem atravessar o portal aquelas substâncias, aquele corpos, aquelas consciências, aqueles pensamentos, aquelas calibragens e frequências que se podem ajustar ao retículo cristalino da Nova Terra.

De uma forma muito geral, o que acontece é que, no momento em que a Terra entra no “grande zero magnético”, acontecem duas coisas: um bombardeamento cósmico extremamente forte e todo o tipo de radiações benignas e nocivas à vida; e, simultaneamente o desligar da imagem forma-pensamento poderosíssima que o Logos tem, e que contém, e que emite da Terra para a Terra do seu corpo físico.
Há um desencarne da Terra inteira. Isto é, um desajuste entre a súmula, amplexo de formas-pensamento que geram a Terra e a sua base física estrita e uma grande parte (60 a 70%) da substância terrestre está tão contaminada por sistemas metódicos regulares de distribuição de energia, matrizes de controle, matrizes de pensamento negativo, matrizes químicas tóxicas, a massa terrestre já está tão contaminada que ela não tem tempo de saltar, mas uma grande parte (30 a 40%) da biomassa da Terra consegue acompanhar a vibração da forma-pensamento que desencarna, subir ao máximo a vibração e passar o limiar entre as duas dimensões e o resultado é que, para trás, na 3ª dimensão, vai ficar um caroço geológico velho que contém todas as construções humanas, reinos e áreas de esforço natural que não conseguem, ou não fizeram o trabalho de se preparar para esta transição. Fica como um cadáver na 3ª dimensão que é o que se passa com Vénus e com a Lua.
São cadáveres de planetas que se transformaram em formas-pensamento durante poucas horas e transitaram para uma dimensão superior.

O processo da morte que nós conhecemos é muito semelhante a isto. A morte quando ela é dirigida pela mônada, não é mais do que a admissão de um ser a uma dimensão forma-pensamento (Bardo em tibetano) no qual todo o material etérico, inclusive físico subtil, que pode acompanhar a alma e a consciência que desencarna, atravessa o túnel de luz, e tudo o que pode ser resgatado vai. O físico pode enviar partes da sua informação através do túnel de luz sob a forma de ondas de calor e de partículas fosfóricas e fotônicas que podem sair do cérebro e que são físicas, têm massa. Não estamos a falar do físico nem da consciência, nem da alma, do emocional, mental ou etérico, estamos a falar do fósforo, partículas de luz que no momento de desencarnar são disparadas pelo sangue(?) num esforço, numa vontade suprema da matéria partilhar da vida acima, super natural.

É o próprio físico que emana ondas de calor, partículas luminosas que atravessam o túnel de luz juntamente com a tua consciência, e tem massa, a massa do teu corpo de luz, portanto, a informação física é resgatada da mesma maneira. Dos 250 sentimentos possíveis que nós temos, uns 30 ou 40 estados de sentimento podem atravessar o túnel de luz e ser integrados à consciência superior do lado de lá. Da mesma forma, grupos complexos de pensamentos que têm uma vibração resgatável atravessam o túnel.

Portanto, no processo de desencarnar, tanto o físico como o emocional, como o mental, enviam partes de si com a alma. O psíquico nunca sai do corpo sem levar o melhor e esse melhor acompanha a consciência na transição dos 7 chacras dentro do corpo para o 8º chacra (que é, basicamente, o tal túnel de luz que toda a gente vê), do 8º para o 9º, até ao 10º chacra que é onde está a imagem crística transformadora que é o tal Eu Superior supremo que as pessoas referem encontrar quando atravessam o túnel de luz.

Muitas pessoas que tiveram experiências fora do corpo e voltaram falam desta sequência: desligamento dos 7 centros; uma progressiva dificuldade de mexer os membros; frio nos braços e pernas mas muito calor no coração e na cabeça, cada vez mais forte até que há uma explosão e a (?) psíquica sai do corpo etérico traz consigo todo o material emocional/mental útil. Depois as pessoas referem o túnel com um lado de cá – 8º chacra – e um lado de lá – 9º chacra e depois uma luz tremenda que é o ser crístico (o cristo interno) à tua espera no 10º chacra.

Os 5 chacras acima do crânio já se conhecem há muito tempo com outra linguagem e agora a linguagem está a adquirir qualidades numéricas, geométricas, exatas, de forma a que a nossa consciência se organize mais rapidamente (?) o processo.

A transição da Terra dentro de 10 anos é um desencarne da Terra inteira, só que não é um desencarne deixando o corpo físico ou a Terra para trás. Os Controladores da fixação entre a imagem sagrada… existem formas-pensamento sustentadoras que emanam uma onda que contém uma variação exata capaz de informar as estruturas cristalinas da cadência e da sequência de acumulação de substância de uma forma qualitativa até que o resultado é uma montanha belíssima, uma espécie natural, um pássaro,… o que vai entrar na “arca” são as imagens sagradas de todos os animais, seres humanos, montanhas, oceanos, etc..
A arca terá que navegar do antigo para o novo estado de coisas. O mar onde esta arca de Samana navegará é o mar turbulento entre dois campos electromagnéticos.

Nessa transição os operadores que fixam a imagem cósmica da Terra na matéria desligam-na e 2/6 da substância terrestre e 2/6 do corpo físico da Humanidade conseguem acompanhar o processo de desmaterialização.

Quando tu és liberto da matéria física tu compreendes que a tua forma física é eterna. Tu percebes que essa imagem sagrada física está a descolar-se do corpo físico. O que acontece é que a membrana electromagnética, entre outros factores, que fixam a imagem à matéria descolou e a consciência sempre acompanha essa imagem sagrada, por isso é que há pessoas que pouco antes de morrerem têm momentos de uma enorme lucidez porque a consciência já está fora do cérebro acompanhando os envelopes vibracionais subtis para a viagem que vem a seguir. E quando isso acontece tu percebes o teu corpo com uma densidade imensa!

Os seres que assistem à ascensão (de baixo para cima), vão libertar também a matéria, não só a imagem, a memória cósmica indestrutível à qual a tua matéria responde mas também a própria substância do teu corpo é solta do contínuo espaço/ tempo/ matéria/ energia e adquire uma vibração uma oitava mais alta.

O que acontece na transição é que a mônada envia um raio extremamente forte para o cérebro e daí para o coração e para a base da coluna vertebral. Esse raio é a vontade/poder monádica. É um buraco branco, de um magnetismo imenso, que desce na vertical e tem o poder de centrar os corpos de uma pessoa de uma forma esmagadora e, ao mesmo tempo, todo o material prânico é elevado ao coração.
Nesse momento o mônada envia um sinal aos chacras abaixo do chacra da raiz (os 5 chacras que entram no interior da Terra) e começa a soltar as âncoras que fixam o corpo na matéria. A mônada pode decidir que quer fazer a transição levando o corpo consigo ou deixá-lo para trás. Ela pode decidir que este corpo pode ser acelerado até atingir a mesma vibração da forma-pensamento que atravessa o portal e isto é um estado sobrenatural da matéria – matéria transfigurada.

Se a mônada decide que este corpo é resgatável, ela envia um sinal aos 5 centros inferiores e, de acordo com a Mãe divina, que controla a fisicalidade e a gravidade em todos nós, ela desliga o 1º centro abaixo do muladara e as formas elementais da Terra deixam de ser reais para ti. Depois destrava o 2º centro e a força electromagnética deixa de ser real para ti. Depois o 3º centro e as energias nucleares mais suaves deixam de ser reais para ti. Nesse momento a tua mão já atravessa uma pedra porque foste para outro campo de sustentação e a seguir destrava as forças nucleares mais fortes e aí, o teu corpo, que se mantém integral porque a imagem está lá, fica numa bolha de sustentação (não estás nem na antiga nem na nova Terra) mas a tua imagem está lá e é essa imagem cósmica, no fundo do código genético, no retículo cristalino, que mantém as ligações entre as moléculas e substitui as 5 forças fundamentais pelas suas contrapartes cósmicas.
Isto é, substitui elementais da Terra por elementais celestes. Substitui o electromagnetismo da Terra por electromagnetismo celeste. Substitui as forças nucleares da Terra por forças nucleares angélicas e substitui as forças nucleares mais poderosas (protão e neutrão) por uma coesão metatrônica. E, uma vez feita a substituição desses 4 centros, o último centro a ser desligado é a gravidade e, nesse momento, a Terra inteira, para ti, é só uma forma-pensamento assim como tu o és para a Terra.

Tu estás a ser desligado da âncora que nos prende aos fundos abissais do controlo material, abaixo dos átomos, e o teu corpo começa-se a desmaterializar não se desmaterializando porque a substância é mantida agregada pela imagem sagrada.

Imagem relacionada                                          A Terra é desfotografada da matriz antiga da mesma maneira, primeiro os elementos, depois as forças electromagnéticas, depois as energias nucleares fracas, as energias nucleares fortes e, finalmente, a gravidade.

Ora, se a gravidade da Terra é desligada, a Terra transforma-se numa película de luz e com ela vem toda a substância mental, emocional, física/etérica do antigo planeta e para trás fica quase nada, depende. E o que fica para trás fica na 3ª dimensão, como a Lua, hoje, é o cadáver de um grupo de consciência que subiu para a 4ª e para a 5ª dimensão, Vénus e Mercúrio também. Isto é, estão lá as civilizações de 4ª dimensão, só que na 4ª dimensão. . Por mais que apontes para lá um telescópio, só vês os restos do que foi aquele planeta na fase da 3ª dimensão.
Como estão muito próximos do Sol, esses restos tendem a ser incinerados pela própria potência solar.

Eu não sei explicar qual é a experiência óptica destas coisas, mas a Terra que transita é a Terra em ti que pode fazer a transição e, portanto, é muito importante que a média vibracional deste corpo seja ativada.

O corpo, a consciência e a imagem que modela o corpo a partir de estruturas cristalinas são coisas completamente diferentes, mas, se o indivíduo gostaria de levar este corpo com ele, então ele que cuide deste corpo porque tu podes estar salvo em consciência, em vibração, na pureza do coração e até em termos de conexão cósmica mas o teu corpo ficou para trás. Quando Eles desfotografam esses 5 campos a Terra inteira desloca-se da 3ª dimensão. Desaparece. O campo luminoso, as imagens e as substâncias resgatáveis entram num vórtice, da mesma forma que uma pessoa que desencarna entra num túnel, a Terra inteira entra num vórtice de luz branca. Todos os seres humanos vivem o mesmo processo em 72 horas (que era o tempo que antigamente se dava antes de enterrar uma pessoa). A Terra atravessa esse portal e do lado de lá estão à espera as 5 forças de fixação:

  • Energia de gravidade
  • Energia nuclear fraca
  • Energia nuclear forte
  • Energia electromagnética e
  • Os 5 elementos – Terra, Água, Ar, Fogo.

Está tudo do lado de lá à espera só que numa oitava mais alta. Então, a Terra sai da 3ª dimensão, desencarna, fica para trás o resíduo, o que não pode ascender.

Esse desencarne é uma Glória. A Ascensão da Terra assim como a nossa Ascensão são controladas.

Quando vocês mudam mesmo de alimentação, seja qual for o motivo, ao fim de 3 anos e meio vocês viveram uma desmaterialização, não estão mais no mesmo nível de densidade. As forças de gravidade que vos controlam já são outras (a gravidade tem muitos níveis), as forças nucleares nos átomos e a que liga os electrões ao núcleo já é outra e os elementos e os elementais presentes em vós já são outros.
Quando estas 5 coisas mudam, o indivíduo desmaterializou só que são desmaterializações com coeficientes muito baixos, tu podes continuar a cumprimentar as pessoas na rua independentemente da alimentação que elas fazem.

À medida que o processo se desenvolve, na transição, toda a Terra salta o portal e o que fica para trás é o que não pode passar. É geológico, cultural, urbano, civilizacional, mental, emocional, e o que fica para trás é um assunto dos arcanjos e das naves laboratório.

Durante a transição ela entra nesse túnel e todos nós entramos com ela, todos nós somos acelerados. A mônada apodera-se da alma, a alma apodera-se do psíquico, o psíquico faz descer o raio monádico, os corpos entram na vertical total. Passa o que puder passar e é muito importante compreender que as regras do divino não são as nossas. O divino conhece o coração de tudo, mais do que nós próprios conhecemos o nosso. Vai haver muitas surpresas!

Nessa transição, quando a forma-pensamento, porque a Terra é desgravitada, desnuclearizada, desmaterializada, e as forças dinâmicas que regem os elementos (terra, ar, água e fogo) tudo isto pára. O que um físico vos diria é que se isso acontecesse, a Terra explodiria em poalha de luz, ou seja, a luz entrava de novo no contínuo universal e deixava de estar congelada sob a forma de um planeta. Isto é o que um físico diria: “que nenhuma coisa subsiste à quebra das 5 forças fundamentais”.

O que se passa é que nessa altura já a Terra tem a merkabah, isto é, o seu campo vibratório numa vibração tal, que a imagem sagrada protege as ligações entre as partículas. Isto é, nós somos desligados de um nível mas aquilo que ampara está presente.

Ao chegar ao lado de lá do portal, tal como a morte é um portal, ela começa a ganhar densidade outra vez e é elegantemente pousada nas planícies electromagnéticas, gravíticas e nucleares da 4ª dimensão.

O que os Irmãos estão neste momento a implementar é aquilo a que se pode chamar um manto de luz.

O manto de luz é um campo protetor.

O pilar de luz é o 1º Raio cósmico fortalecendo cada um de nós. Um dia vamos descobrir que o pilar está tão ativado que as coisas nem chegam a aparecer na nossa vida. Elas desaparecem antes de entrarem no horizonte da consciência.

Quando o pilar está poderosamente formado, o que não pertence ao Caminho nem sequer entra no horizonte cognitivo. Isso é um estado de Bem Aventurança e a pessoa sabe que é um estado de Bem Aventurança porque não acontece nada de dramático na vida dela e ela está cada vez mais cheia de um mel espiritual inexplicável.

O pilar está relacionado com a vontade monádica associada aos corpos, à coluna vertebral e aos centros superiores e ao teu Mestre e até às naves para onde tens que ir se for necessário levar-te para lá.
Agora, o manto de luz é o 2º Raio e o 3º Raio. Ele é um envelope de vibração angélica que está sendo colocado à nossa volta e que rompe e volta a ser construído, rompe e volta a ser construído. Rompe porque caminhar nesta cidade com um manto de luz é difícil. É uma cúpula protetora que está muito próxima da pele e que te envolve constantemente e que nós podemos romper com qualquer reação mais inconsciente.

A fúria sagrada, a revolta ética, dizer de uma forma desorganizada e deselegante e contraproducente a nossa fé, aquilo em que nós acreditamos, o nosso sentido de justiça não rompe o manto de luz, uma sexualidade que respeita o coração não rompe o manto de luz, a geração de energia monetária com base numa verdadeira relação entre valor e trabalho não rompe o manto de luz, o exercício do poder com amor ao próximo não rompe o manto de luz. O que rompe o manto de luz é a perca de consciência de nós mesmos, o adormecer para fora da memória espiritual de nós próprios e a partir daí isso cria uma baía que permite muitos “barcos” aportarem.

Este processo de receber e manter o manto de luz é um trabalho super íntimo. É a essência da intimidade. É tu sentires e criares um estado de suspeição e oração e cumplicidade para com esse manto que te envolve e fortalecê-lo. Como Mestre Morya dizia: ”no meio do mercado andai como leões”. Isto é o trabalho porque este manto de luz é absolutamente essencial para a transição planetária. Ele está a ser implantado em cordilheiras, em lagos, lagunas, desertos, florestas e em bairros, só que estes são super descontínuos, aqui o manto não consegue estabilizar-se. Vocês, como co-responsáveis pela ascensão da Terra, são os primeiros a receber esse manto de luz. Ele é que fortalece a imagem sagrada durante a transição. A imagem sagrada reflete-se sob a forma de um manto de luz à nossa volta (as túnicas nupciais do casamento com Cristo) são essa imagem, nada sobrevive à transição.

Este manto de luz é um campo electromagnético que não está enraizado na história do Universo.

Nós estamos a ser preparados para um processo em que as coisas vão ficar cada vez mais subtis até que há um momento… porque a preparação é gradual mas a transição não é gradual, é ao meio dia e tantos minutos do dia X, do mês X, do ano X. Quando Eles decidirem: “é agora” este planeta é desfotografado do contínuo em que está, transforma-se em forma-pensamento, a matéria acompanha e é refixado do lado de lá do grande portal como planeta de 4ª dimensão. Portanto, quem vai lá estar são as pessoas que, do lado de cá, já estavam a vibrar na 4ª dimensão e as espécies de insectos, plantas, pássaros e animais que podem vibrar de acordo com aquele nível da matéria e da consciência, e toda a matéria de que um planeta de 4ª dimensão é composto já é uma matéria híbrida, é composto por toda a matéria iniciada da Terra que fez a transição no portal e por jatos de luz que se condensam e são cristalizados vindos basicamente das Plêiades.

As Plêiades vão doar radiação para a construção das montanhas, vales, planícies, lagos, florestas da Nova Terra. A Nova Terra já é uma Terra pleiadiana no sentido em que grande parte da matéria que compõe a Nova Terra vem de um outro sistema solar.
Se isto não acontecer eu não sei como é que se vai viver neste planeta nos próximos anos.

Então:

Apertem os cintos, recolham o tabuleiro e evitem ir à casa de banho durante a descolagem.

A beleza deste processo é indescritível, ela inclui tudo o que os Egípcios, os Maias, as dinastias secretas da China, os Sufis tentaram e em parte conseguiram.

Todas estas acelerações vibracionais são agora comandadas pelas Ordens de Michael, Melquisedeque, Enoch.

Vamos começar a trabalhar na experiência deste corpo e deste manto de luz. É o magnetismo e a luz da mônada através do corpo crístico que vão descendo e vão sedimentando e vão-nos protegendo e nutrindo e fortalecendo.

Algumas pessoas podem experimentar a presença de pleiadianos que trabalham nesse fortalecimento do manto de luz como frio porque os pleiadianos têm uma vibração fria, mas é um frio muito especial, é como uma refrigeração. Fonte

André Louro de Almeida 25/11/2005
Transcrição de Alice Jorge

 

Dores Físicas & Mudança do DNA…

dna-ascension-5d
As Dores Físicas, especialmente na coluna, ombros e costas — Isto é resultado de intensas mudanças no nível do DNA à medida que “a semente da nova energia” vai despertando dentro de vocês. Tudo isto passará.

Sentimento de profunda tristeza interior sem razão aparente — Vocês estão liberando seu passado (estas vidas e outras) e isto provoca este sentimento de tristeza. É como a experiência de se mudar de uma casa onde vocês moraram por muitos anos para uma nova. Quanto mais vocês quiserem ir para esta casa nova, mais experimentarão a tristeza de deixar para trás as recordações, a energia e as experiências da casa antiga. Tudo isso também passará.

Mudanças repentinas no trabalho e na profissão — Sintoma muito comum. Quando vocês estão mudando, as coisas ao seu redor também mudam. Não se preocupem em encontrar o trabalho ou a profissão perfeita. Tudo isto passará. Vocês estão em período de transição e deverão passar por muitas mudanças de trabalho antes de encontrar o que realmente os atrai.

Afastar-se das relações familiares — Vocês estão conectados com sua família biológica através do carma passado. Quando termina o ciclo cármico, os vínculos estabelecidos com essas relações se liberam. Ainda pode parecer que a relação com sua família e amigos esteja à deriva. Tudo isto também passará. Passado um tempo, vocês poderão novamente retomar a relação com eles se for apropriado. De qualquer maneira, essa nova relação se baseará numa nova energia, sem vínculos cármicos.

Padrões de sono anormais — Pode ocorrer que vocês se sintam muito sonolentos ou despertem muitas noites entre as 2 e as 4 horas da manhã. Há muito trabalho a ser feito em seu interior, o que faz com que a mente necessite de uma folga. Não se preocupem. Se não puderem pegar no sono outra vez, levantem e façam alguma coisa em vez de ficar na cama preocupando-se com assuntos mundanos. Tudo isto também passará.

Sonhos intensos — Podem incluir sonhos com conteúdo de batalhas ou guerras, sonhos em que são perseguidos ou sonhos com seres monstruosos, ou que correm para fugir de algum monstro. Vocês estão literalmente liberando velhas energias de dentro de vocês. E estas energias do passado são representadas como lutas. Tudo isto passará.

Desorientação física — Algumas vezes se sentirão como se não estivessem pisando no chão.

Sentir-se desafiado pelo espaço — Com a sensação de não conseguir pôr os pés no chão ou de andar entre dois mundos. Durante a transição de sua consciência para uma nova energia, o corpo pode ficar estafado. Vocês precisam passar mais tempo na natureza para enraizar a nova energia em seu interior. Tudo isto passará.

Aumento das conversas consigo mesmo – Vocês se verão mais frequentemente falando com o seu eu interno. Há um novo nível de comunicação assentando-se no seu ser. Vocês estão experimentando a ponta do iceberg com essa sua conversa interna. As conversas se intensificarão e se farão mais fluidas, mais coerentes e mais visionárias. Vocês não estão ficando loucos; apenas estão dando vazão à nova energia.

Sentimentos de saudade — Ainda que estejam na companhia de outros, podem sentir-se sós e separados dos demais. Poderão sentir o desejo de se afastar dos grupos e da multidão. Como humanos angélicos, estão caminhando para o caminho sagrado que cada um tem que trilhar por si próprio. Quanto mais ansiedade esses sentimentos de saudade lhes causam, mais difícil será interagir com os demais nesses momentos. Os sentimentos de saudade também estão associados ao fato de que os seus “guias” anteriores se foram. Eles estiveram com vocês por todas as viagens, em todas as vidas. Mas veio o momento de se afastarem para que vocês pudessem partilhar seu espaço com sua própria Divindade. Tudo isto também passará à medida que a voz interior se encha com o Amor e a energia da própria consciência Crística.

Perda da paixão — Vocês podem sentir-se totalmente desapaixonados, ou com pouco desejo de fazer as coisas. Está bem assim. Isto também faz parte do processo. Vocês tomarão algum tempo para não fazer nada. Não lutem consigo mesmos por isso, porque tudo isto passará. É parecido com o ato de reiniciar o computador. Vocês necessitam parar por um breve período para carregar um software novo e mais sofisticado, que, neste caso, é a nova energia da semente Crística.

Um profundo anseio de voltar para casa — Esta é a condição mais difícil e desafiante de todas. Vocês poderão experimentar um desejo profundo e irresistível de deixar o planeta e retornar ao “Lugar”. Não é um sentimento suicida, pois não está baseado em raiva nem em frustração, e vocês não querem nenhum drama, nem para vocês nem para ninguém. Há uma parte muito pequena de vocês que quer voltar para Casa, pois vocês completaram seu ciclo cármico, concluíram o contrato com a vida atual, e estão liberados para se empenhar em uma nova vida. Porém, ainda estão num corpo físico, e mesmo que estejam preparados para aceitar os desafios relativos à entrada numa Nova Energia, e de fato vocês poderiam voltar para Casa neste exato momento, vocês percorreram um longo caminho, e depois de tantas vidas, seria vergonhoso se vocês deixassem a cena antes de o filme terminar. Além disso, o Espírito necessita que vocês ajudem os demais a fazer a transição para a nova energia. Eles necessitam de um guia humano, como vocês, que caminharam da velha energia para a nova. A senda pela qual vocês estão caminhando os provê de experiências que os capacitaram a chegar à maestria do Novo Humano Divino. E apesar de às vezes a sua viagem parecer escura e solitária, lembrem-se de que jamais estão sozinhos e que serão ajudados se pedirem.

Fonte: www.pax.org.br

A Vida que nos espera – A Grande Transição – (Trigueirinho)

Princípio da Correspondência…

Nosso Universo é constituído de vários planos e subplanos                  Nosso Universo é constituído de vários planos e subplanos. Foto: iStock

Resultado de imagem para principio de correspondenciaTodos já ouviram a máxima: “Como está em cima é como está embaixo e o que está embaixo é como está em cima.”

Essa máxima descreve o princípio da correspondência. Esse princípio nos diz que, tudo o que existe no Universo tem uma correspondência. Esse princípio é uma Lei Universal e, através dele, podemos pensar além do conhecido, podemos dar passos na direção do desconhecido. Mas o que isso tudo quer dizer?

Nosso Universo é constituído de vários planos e subplanos e, logicamente, quando falo em Universo, coloco todos nós dentro desse “pacote”, como seres pertencentes a esse mesmo Universo.

Todos nós possuímos um campo de energias ao nosso redor, similar e conectado aquilo que chamamos de Energia Universal, que é o campo de energias do nosso Universo. Esse campo ao nosso redor pode ser visto por aqueles que possuem sentidos mais aguçados, os chamados sensitivos. Esse campo é luminoso, constituído de matéria mais sutil que o corpo físico.

Ele emite uma radiação própria e é popularmente denominado aura. Nossa aura humana ou campo de energia humano possui conexão com o campo de energia Universal, sendo impossível separá-los. Para compreendermos melhor esse campo, foi preciso segmentá-lo, ou seja, dividi-los em camadas ou planos. Para facilitar a compreensão, podemos falar em corpos sutis que se interpenetram uns nos outros. Eles são diferenciados pela cor, brilho, grau de sutileza, forma, fluidez e também pela função e principalmente pela vibração.

Foram observadas 7 camadas nesse campo de energia humana, sendo que as mais densas são aquelas que ficam mais próximas do corpo físico.

  1. O primeiro corpo, logo depois do físico é o corpo etérico. Essa palavra vem de éter.
  2. O segundo corpo é o corpo emocional. Ele é mais fino, colorido e sutil e está associado aos nossos sentimentos. Nossos sentimentos são registrados e mantidos, em sua maioria, nesse corpo. Sentimentos positivos têm cores brilhantes e negativos, cores escuras e sombrias.
  3. O terceiro corpo é o mental, que tem vibração superior ao emocional. Possui vibração mais intensa. Quando nos determinamos a desenvolver nossa consciência, esse corpo se expande e produz uma cor amarelo brilhante. Ele é construído a partir de nossas ideias e pensamentos.

Somos um pequeno Universo, um microcosmo, pois, simultaneamente, em nosso Universo, existem 3 grandes planos:

    1. O Grande Plano Físico
    2. O Grande Plano Mental
    3. O Grande Plano Espiritual

Podemos tentar compreendê-los a partir da idêntica explicação que foi dada em relação aos nossos corpos, ou seja, não são planos separados, mas sim conectados e interpenetram-se uns nos outros, diferenciando-se pelo seu grau de vibração. Quanto maior sua densidade, mais próximo estará do plano físico e mais baixa será sua vibração. Procure não entender como divisões do Universo, pois não são. 

Lembre-se que a matéria nada mais é que a manifestação da energia mais densa. O Grande Plano Mental compreende toda forma de pensamento que existe no Universo.

O Grande Plano Espiritual é quase ininteligível para nós, tão elevada é sua vibração. Esse plano é constituído pela Vida, a mente e a Forma muito acima da do Homem e está além da nossa compreensão.

Esse é o Grande Universo, o macrocosmo. O que quero que fique em você, em sua compreensão, é que o Universo, do qual fazemos parte,  é dividido em diversos planos: físicos, mentais e espirituais. A mente está em todos os planos, porque tudo nasceu da mente do Todo e existe correspondência em toda manifestação do Universo. O que está em cima é como o que está embaixo e o que está embaixo é como o que está em cima. Fonte

Princípio de correspondência de Bohr Pdf

O 2° Princípio Hermético - Correspondência

O 2° Princípio Hermético – Correspondência…

O princípio da Correspondência é uma das Sete Leis Herméticas Universais. Derivadas dos escritos de Hermes Trismegisto, os sete princípios nos ajudam a compreender a essência universal presente em todas as religiões.

Para uma compreensão ideal dos princípios, recomendamos que você leia cada um dos tópicos seguindo a ordem das leis. Neste artigo, vamos abordar a segunda lei – o princípio da Correspondência – portanto, recomendamos que você leia antes o artigo sobre o Princípio do Mentalismo.

“O que está em cima é como o que está embaixo. O que está dentro é como o que está fora.”

O princípio da Correspondência diz respeito aos padrões – ocultos ou não – presentes em todos os planos pelos quais caminhamos. De acordo com esta lei, o estudo do microcosmo pode nos ajudar a compreender o macrocosmo, pois sempre haverá uma correspondência de um em relação ao outro.

Ao dizer que “o que está em cima é como o que está embaixo”, este princípio hermético fala sobre a correspondência existente em planos superiores e inferiores. No caso de céu e Terra, por exemplo, encontramos correspondências entre estes dois níveis – seja se considerarmos o plano físico científico ou o espiritual.

O princípio do Mentalismo nos ajuda a compreender a última frase deste princípio: “o que está dentro é como o que está fora”. Aqui, a ideia é que o nosso universo interior, comandado pela mente, tem o seu correspondente no universo ao nosso redor.

Se nosso pensamento é obsessivo, por exemplo, assim será nosso comportamento; da mesma forma, a desorganização emocional interna de alguém poderá ser refletida em uma bagunça no ambiente em que ela vive.

O Princípio da Correspondência e suas possíveis relações…

Na ciência

O princípio da Correspondência sempre foi utilizado como recurso metodológico em vários campos da Ciência. A própria compreensão do espaço só pôde ser possível a partir do conceito de escalas na geometria – o nosso universo visível nada mais é do que uma pequena representação de algo maior.

A descoberta da própria natureza do átomo se deu a partir dessa correlação: a partir de uma analogia com o sistema solar, o físico Ernest Rutherford descobriu que o átomo é composto, em grande parte, por espaços vazios, com elétrons de carga negativa (assim como os planetas) girando em torno de um núcleo com carga positiva (assim como o Sol).

Na biologia, o curso dos rios e das correntezas servem de analogia para a corrente sanguínea; na Sociologia, Émile Durkheim diz que a sociedade se estrutura como um “organismo” social. Inúmeros são os exemplos do uso do princípio da Correspondência para alcançar um maior entendimento, seja em questões científicas como do cotidiano.


Na religião

Vemos o princípio da Correspondência ser aplicado em todas as religiões, por meio das metáforas e analogias presentes nos mais diversos textos sagrados. A Bíblia diz que Deus criou o homem à sua imagem e semelhança: aqui encontramos a primeira grande correspondência. Assim como Deus, o homem também cria o seu próprio universo, que é mental; porém, a mente humana é imperfeita, portanto assim o é aquilo que criamos.

O Espiritismo é uma das doutrinas que mais se debruçam sobre o princípio da Correspondência. O próprio conceito de Karma nos diz sobre algo que corresponde a vidas passadas; aquilo que encontramos nos planos celestiais corresponde ao que vivemos e fizemos no plano terrestre.


Definição da Correspondência em O Caibalion

“Este Princípio contém a verdade que existe uma correspondência entre as leis e os fenômenos dos diversos planos da Existência e da Vida. O velho axioma hermético diz estas palavras: “O que está em cima é como o que está embaixo, e o que está embaixo é como o que está em cima.’

A compreensão deste Princípio dá ao homem os meios de explicar muitos paradoxos obscuros e segredos da Natureza. Existem planos fora dos nossos conhecimentos, mas quando lhes aplicamos o Princípio de Correspondência chegamos a compreender muita coisa que de outro modo nos seria impossível compreender. Este Princípio é de aplicação e manifestação universal nos diversos planos do universo material, mental e espiritual: é uma Lei Universal. Os antigos Hermetistas consideravam este Princípio como um dos mais importantes instrumentos mentais, por meio dos quais o homem pode ver além dos obstáculos que encobrem à vista o Desconhecido.

O seu uso constante rasgava aos poucos o véu de Isis e um vislumbre da face da deusa podia ser percebido. Justamente do mesmo modo que o conhecimento dos Princípios da Geometria habilita o homem, enquanto estiver no seu observatório, a medir sóis longínquos, assim também o conhecimento do Princípio de Correspondência habilita o Homem a raciocinar inteligentemente,do Conhecido ao Desconhecido. Estudando a mônada, ele chega a compreender o arcanjo.” Fonte